Koha – Software livre para grandes bibliotecas

Passei as últimas semanas testando o Koha, um dos mais comentados softwares livres para bibliotecas no mundo. Minha primeira conclusão é: O Koha não é para bibliotecas pequenas, pois é um software que exige bastante da máquina e muito conhecimento técnico para ser instalado e mantido.
Para começar, a documentação não está completa e por que existem diversos tipos de sistemas, é muito confuso achar onde você se encaixa e ainda, se essa documentação está atualizada. O melhor local para se buscar informações é no forum ou nas listas de discussão via google.

Características:

2 modos de indexação: Pelo software Zebra e pela base mysql. Na base mysql não consegui que funcionasse, mas via Zebra é muito eficiente, mas bem trabalhoso para configurar.
Servidor Z39.50 e Cliente Z39.50 (Usando o software Yaz)
Servidor OAI-PMH
Compatibilidade total com os formatos MARC21 e UNIMARC.
Utiliza web services no catálogo como por exemplo os comentário e capas da Amazon ( pouco útil para nós brasileiros )

Quando usar o Koha?

Eu acredito que o sistema está bem estável, com poucos bugs e portanto a hora é agora. Falta desenvolver uma comunidade brasileira para corrigir a tradução para o português do Brasil ( que dá um pequeno bug ) e criar uma documentação no nosso idioma. Ele serve como alternativas a bibliotecas maiores que queiram controlar melhor o sistema, e ter acesso a uma comunidade forte internacional. O Koha tem um sistema para a tradução coletiva do sistema.

Vale a pena consultar: http://koha-community.org/ e seguir no twitter: kohails

Mapa de bibliotecas usando o Koha (nenhuma no Brasil) .

Tá vindo uma nova versão. A atual é a 3.00.04 e agora virá a 3.2.

—————————————————————————————————————————
Você pode consultar o meu OPAC: http://rabci.com:85/. Inicialmente criei duas bibliotecas nele. Uma com meus livros e outra com livros de biblioteconomia. Essa última quero ampliar coletivamente. É possível criar vários catálogos totalmente separados nesta instalação. Vou explorar melhor esta possibilidade.

O servidor Z39.50 é: http://rabci.com:9999 ( base biblios, formato MARC21 )

(post brainstorm – vou atualizando aos poucos)

12 opiniões sobre “Koha – Software livre para grandes bibliotecas”

  1. Sempre é bom experimentar novos softwares. Principalmente quando esse traz recursos tão avançados quanto o Z39.50, e disponibiliza vários idiomas!

  2. O uso de uma plataforma nesta linha depende da colaboração entre várias bibliotecas grandes que decidam migrar para uma mesma plataforma para que ela amadureça.

    Mas a minha visão é que a colaboração é mais necessária na utilização de um mesmo recurso compartilhado, do que na implementação do mesmo em cada uma delas.

    Por isso acho que a linha do Evergreen é mais interessante. Faz-se uma única instalação em um servidor e as bibliotecas interessadas começam a migrar para a plataforma.

    O nosso problema hoje não são as grandes bibliotecas (as universitárias por exemplo possuem recursos para investir em uma plataforma como o Pergamum).

    Mas sim em potencializar as de pequeno e médio porte que muitas vezes não possuem recursos para sozinhas implementarem e desenvolverem sistemas de automação (na web) de forma efetiva.

  3. A uns 5 anos atrás tentei instalar o o koha e nunca obtive sucesso. Acho o Z39.50 um protocolo obsoleto, não tem necessidade utilizar um padrão de recuperação de informação em redes distribuídas em plena era SOA. O problema é que muitos sistemas de gerenciamento de bibliotecas usam esse padrão para interoperabilidade, o que dificulta o uso de web services.

  4. Caro amigo,
    Penso que a sua visão tem a ver com a fase inicial de aprendizagem em que está. Quando diz “O Koha não é para bibliotecas pequenas” mostra que não compreende a diferença entre instalação (feita pelo informático) e administração (feita pelo bibliotecário). No actual ambiente WEB 2.0 não há bibliotecas pequenas nem grandes mas todas precisam que um técnico coloque o programa no servidor (que implica conhecer tecnologia). Depois é só usar e é tão fácil. Em Portugal estamos a usar o KOHA em várias instituições desde escolas a ensino superior e Administração Pública. Sem qualquer dificuldade.

  5. É interessante esse universo que implica em sistemas complexos. Entretanto esses softwears implicam sim, em conhecimento na área tecnológia.Trabalho em uma bilioteca e constantemente estou com o pessosa de TI, que aos poucos vou aprendendo alguns pequenos detalhes desse campo.

  6. Tento instalar o Koha há alguns anos, mas é uma tarefa praticamente impossível. A necessidade de conhecimento de muitos outros programas para realizar o processo de instalação e/ou manutenção. Só consegui fazer funcionar com uma ISO distribuída com uma versão do ubuntu que vem apenas com o koha. Mas não é a versão mais atual, e não me atrevo a atualizar.
    Mas achei o programa bastante interessante.

  7. Instalei o Koha pela primeira vez a uns 5 anos atrás, em uma biblioteca pequena do meu curso de biblioteconomia e atualmente utilizo ele na biblioteca de uma escola de inglês em que trabalho.
    Na primeira vez tive que instalar ele do zero, todo o processo demorou alguns dias e tive que corrigir falhas no sistema depois. Nessa ultima instalei através de um live cd, mas acredito que não teria dificuldades em instalar do zero, visto que acabei me tornando meio que um “técnico” em linux depois da primeira instalação. Acho que o debian/ubuntu facilita bastante o trabalho, e como o ubuntu é o meu sistema operacional atualmente…fica mais fácil rsrs

    Não concordo que ele não sirva para bibliotecas pequenas, porém ele requer um alguém com um bom conhecimento de marc21 para catalogar, coisa que muitas bibliotecas não possuem. Para a maioria eu recomendaria o openbiblio, por ser mais “acessível”, mesmo não tendo tantos recursos.
    Mas se acaso a biblioteca tiver um bibliotecário, não vejo o porque não utilizar o koha…e ele não demanda tanto hardware, atualmente utilizo em um servidor dentro de uma maquina virtual, e roda sem muitos problemas, tudo depende do tamanho do acervo e do cronjob de indexação do zebra. Se o intervalo for muito curso o servidor acaba ficando lento.

Deixe uma resposta