Biblioteca de ferramentas

west philly tool library

Tem uma cena do filme Sex and the City que a Carrie pergunta pra sua estagiária como ela conseguiu comprar uma bolsa Louis Vuitton genuína. E a moça responde que é alugada.

A idéia não é original, e fora as implicações legais de cobrar por empréstimos de produtos com branding forte, poderia-se pensar maneiras efetivas para novas modalidades de empréstimos em bibliotecas.

Por que o modelo de biblioteca pública só utiliza livros como recursos de acervo? No Brasil então pior ainda, porque nem outras mídias se consegue com facilidade: cds, dvds, mp3, jogos de video game.

Eu teria que estudar mais o processo de abertura das bibliotecas públicas na França e os embates com os editores e isenção fiscal, especialmente no caso do Carnegie nos Estados Unidos.

De qualquer forma, pra citar um caso recente, em função da crise imobiliária, estão surgindo nos EUA mais bibliotecas de ferramentas. Ferramentas mesmo, metais, já que as pessoas estão constantemente mudando de residência em função da flutuação dos preços do mercado.

Por alguns dólares por mês, os membros podem ter acesso a uma garagem repleta de ferramentas e recursos comunitários para ajudá-los a realizar a manutenção e reparo das casas e apartamentos. Algumas cobram cerca de $20 por ano, e você pode utilizar ferramentas como serras-elétricas, macacos hidráulicos, etc.

Tem no wikipedia uma lista dessas bibliotecas.

Deixe uma resposta