Por que o catálogo ainda é o mais importante?

Saiu o novo número da Revista Ponto de acesso. E nele está um artigo com o seguinte título: Navegando entre nuvens de etiquetas: Uma proposta de utilização de tag cloud em catálogos eletrônicos de bibliotecas. O artigo de certa forma é óbvio e até um pouco ultrapassado (tags clouds perderam um pouco de espaço na web) mas minha crítica aqui é mostrar insistimos em trazer as ferramentas da web para os catálogos ao invés de levarmos os catálogos para a web.
Precisamos levar nossos catálogos para a web… como?

  • Tornando os indexáveis pelas ferramentas de busca. É algo fundamental, uma vez que a grande maioria dos acessos de qualquer site é por meio delas, mas é algo que nenhuma biblioteca que conheço faz.
  • Criando a possibilidade de usar os catálogos em mashups. Possibilitar pequenos web services com os catálogos, para que possam ser utilizados em outras aplicações.
  • PS. Ainda não me acostumei com essa nova versão do WordPress…

    3 pensamentos em “Por que o catálogo ainda é o mais importante?”

    1. Mais uma vez um ótimo comentário Tiago. E mais uma vez, assim como naquele artigo sobre blog, o que vai ficar como referência é esse artigo, que já tá ultrapassado como você comentou. Cara, você precisa escrever! Abraço!

    2. Muito bom, mas eu fico imaginando o que passa na cabeça do bibliotecário-padrão quando lê algo assim. Ele deve pensar: por que eu vou mexer nisso se o meu catálogo funciona bem? … 🙂

    Deixe uma resposta