CBBD – Resultados

cbbdabertura

Este post é um agradecimento a todos que fizeram e participaram do CBBD deste ano. O fato de ter sido numa cidade pequena e turística foi interessante por que aproximou muito as pessoas do evento. Até li um comentário no twitter ( o que se contesta aqui é a idéia e não a pessoa, por isso não será citada ) que não vale a pena participar por não ter nada de novo. Isso é verdade, quem acompanha o que está acontecendo na área não se surpreendeu com os assuntos abordados. Porém, o mais importante do evento são as pessoas. Os assuntos podem não serem novidade, mas o evento conseguiu agrupar pessoas que tem interesses comuns e foi muito interessante conhecer como alguns assuntos são tratados na prática.

bsfCBBD2

Esta interação social ai acima foi extremamente positiva. Conheci pessoas e realidades que dificilmente teria acesso em outro evento. E fiz amizades maravilhosas. O saldo foi muito positivo.

cbbdbsf

E ainda eu e a Sibele apresentamos um poster. O poster e o texto integral do trabalho já estão disponíveis no RABCI para download:

Uso de ferramentas de Sistemas de Gestão de Conteúdo para o compartilhamento da informação e conhecimento: O caso do Repositório Acadêmico de Biblioteconomia e Ciência da Informação – RABCI

Outro trabalho que já está disponível é do Alex da Silveira: O QR Code em periódicos brasileiros e o tratamento da informação codificada pela Biblioteca Nacional

E ainda, só para completar tudo isso, teve muito turismo:

peixes

Todas as fotos foram tiradas do álbum da Gerlandy, que agora que lembrei, também tirou a nossa com o Jimmy Wales. Obrigado Gê!

E Gustavo, quase ninguém mais tem cartão de visitas.

10 pensamentos em “CBBD – Resultados”

  1. Muito boa essa transição. É minha ladainha desde quando era graduanda, que aprendemos muito em corredores da Universidade. O mesmo ocorre com os congressos e encontros. As discussões nos corredores do evento tal como as palestras sentado em uma mesinha de bar (mesmo os que não bebem), são momentos únicos.
    Impressionante como discutimos mais a Biblioteconomia nesses momentos do que na salas dentro do evento.
    Valeu muito. Ah, valeu pelos créditos.
    Tenta desenhar melhor o teu trabalho para que o Gugão entenda melhor e esse peixinho aí tava uma delícia. hahaha

  2. Concordo 100%. Desde o ENEBD a gente entende isso. O que menos interessa em congressos/encontros é a parte científica.

    Me arrependi totalmente, nunca mais falto um CBBD.

    Onde será o próximo?

  3. Eu, que tive a oportunidade de esta lá com você nessa empreitada, assino embaixo Tiago.
    Como ouvi em uma das palestras do CBBD 2009: ‘um evento deste porte serve também, para aumentar as nossas redes de contatos’.

    Eu aumentei muito a minha…..em questões profissionais ou não.
    E conheci você….=D

    E concordo também, quando você diz que o local contribuia para isso. Bonito é o ligar perfeito para isso.

    Parabéns pelo Blog. Só tem a somar….^^

  4. ‘O que menos interessa em congressos/encontros é a parte científica’. Frase dura essa. Mas verdadeira, grosso modo.

    É uma pena que os eventos da área não se preocupem tb em se reafirmar nesse quesito. Quando fazemos algo aqui na USP, seja mais restrito, como nossa anual Semana de Biblio, seja no IX EREBD SE/CO (pra relembrar, veja post, aqui no bsf, ‘IX EREBD SE/CO – Programação’, do dia 13.11.08) isso é uma preocupação constante nossa: uma boa programação, com bons nomes e temas relevantes ou inovadores. Não importa se a pessoa tem vínculos estreitos com a área de biblio: importante é o seu grau de conhecimento em relação a temática pretendida, que por sua vez é que terá uma estreita relação com a área, ainda q não seja devidamente reconhecida.

    Claro que aqui não fazemos um trabalho perfeito. Mas eu espero que nos eventos da nossa área personalidades relevantes e que tenham efetivamente algo novo e construtivo a dizer possam cada vez mais estar presentes. Certo é que o ‘networking’ vale muito nesses eventos, e tb é fato que nem td q se apresenta é irrelevante, muito pelo contrário; como o Murakami apontou ‘agrupar pessoas que tem interesses comuns’ e ‘conhecer como alguns assuntos são tratados na prática’ são pontos muito positivos.

    Discussões construtivas só podem ser proporcionadas se houver elementos relevantes e críticos em meio as conversas. Uma cerveja ajuda tb 😉

  5. Valeu por buscar cartões, Tiago. Quase ninguém tem mesmo, mas vou continuar procurando. Quem tiver, é só mandar. Valeu!

    Braun, a frase é verdadeira da mesma forma que o que menos interessa em uma universidade são as aulas.

  6. Adorei o CBBD… se em muitos temas os trabalhos eram repetitivos pelo menos os de acessibilidade eram excelentes, houve um questionamento em relação ao uso da gestão do conhecimento que foi muito bom, um trabalho do Waldomiro Vergueiro que falou do problema das bibliotecas públicas frente as comunitárias sem aquelas conclusões que sempre se chega e não se leva a lugar algum e alguns bons trabalhos de traçam linhas para o futuro…

    A maioria era repetição, sem inovação, sem mudanças, mas aqueles que diferentes e inovadores foram fizeram o congresso valer a pena… e muito… mostrando que ainda tem muita gente criativa e inovadora na biblioteconomia, principalmente, mas não só, quando o assunto é acessibilidade

    Agora… quanto a cidade…
    acesse meu album no flickr e apreciem…
    http://www.flickr.com/photos/alexdasilveira/collections/72157621243938590/

    Seria bom se todo congresso fosse em cidades pequenas com no máximo 18.000 habitantes…

    Ah… meu trabalho… a apresentação e o texto estão no RABCI como o Tiago colocou lá em cima… para quem interessar… até sexta estarei colocando o vídeo da apresentação no site.. http://www.alexdasilveira.com

    abraços…

  7. Desde o ENEBD de Recife, em 2004, eu não participava de um evento da área – só de alguns específicos sobre informação em saúde. Foi muito proveitoso (re)encontrar colegas e ouvir os debates. Que venham outros!

Deixe uma resposta