BSF no Facebook

Vez ou outra a gente recebe uns emails assim:

“Moreno, você acha que eu devo ir pro trabalho hoje de coque ou de cabelo solto? De óculos gatinha ou de lente?”

“Editores do BSF, trabalho em uma biblioteca escolar mas não sou bibliotecária. O CRB vai vir me pegar?”

“Qual é o melhor software para catalogar todos os 23 livros que eu tenho na minha estante?”

“Descubri uma máquina de busca super interessante, é lançamento, dá pra encontrar de tudo lá, é incrível. Vocês podem divulgar no blog? Se chama Yahoo!”

e por aí vai…

não dá pra responder todas as perguntas, nem publicar tudo que indicam e nem temos competência suficiente para servir de consultores em determinadas situações.

Mas certamente, a gente recebe muitos comentários interessantes, indicações e sugestões de notícias, links, novidades e outras coisas relevantes que passam desapercebidas no nosso refino pessoal.

Então eu decidi criar uma página no facebook (fan page) que permite que qualquer pessoa associada à página insira links e comentários lá na comunidade. Em princípio não vou instituir nenhum critério de aprovação, vai ser tudo automático. Basta usar o “What’s on your mind” e postar, pronto.

É uma comunidade focada no conteúdo do blog.

Isso talvez reduza a carga de emails que a gente recebe e vai permitir uma interação maior, não só entre os visitantes individuais e os editores do blog, mas a comunidade toda interessada na temática (eu ainda consegui pegar o vanity “biblioteconomia”).

Vai ficar mais fácil pra gente gerenciar esse tipo de troca (links, sugestões, etc) e até mesmo conceder crédito às pessoas que enviarem as dicas, sempre que aparecer alguma coisa que mereça ser publicada no próprio blog.

Funciona mais o menos como a fan page da Coca Cola, Grey’s Anatomy e do Brainstorm, vejam lá.

A página do BSF no Facebook é essa aqui: http://www.facebook.com/biblioteconomia

4 pensamentos em “BSF no Facebook”

  1. sim, mas a diferença é que no facebook você pode publicar um link de interesse e ele aparecer automaticamente na página inicial. No orkut as restrições nas comunidades são maiores, então essas intervenções estão sujeitas à aprovação do moderador e/ou não são apresentadas de forma adequada para que todos os membros da comunidade possam ver o que está sendo compartilhado entre todos.

  2. “(…) e nem temos competência suficiente para servir de consultores em determinadas situações.”
    Moreno Barros, quanta elegância na resposta! Valeu a criação da fan page!

  3. Na linha da “hotnews” sobre o yahoo:

    Uma vez falando com um usuário de uma b. pública:

    -Vocês contratam esse gógle?
    -Não senhor, é um serviço gratuito.
    -Porque instalaram isso lá no meu computador em casa, mas lá eu não consigo achar nada! Então pensei que vcs pagavam!

Deixe uma resposta