Chuvas no Rio e Niterói – Uma noite na biblioteca

Pra quem queria saber se eu ainda estava vivo, estou.

Menção honrosa na minha saga pelas chuvas do Rio e Niterói vai para uma noite na biblioteca do CCMN (Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza) da UFRJ.

Na impossibilidade de voltar pra casa na segunda feira a noite por estar literalmente ilhado na ilha universitária, decidi me juntar aos bibliotecários que também ficaram e fui dormir nos confortáveis sofás dos usuários no salão da biblioteca. Não tinha comida, não tinha cobertor ou travesseiro, mas tinha internet, livros e fantasmas. Eu estava seguro.

Esse era o panorama:

biblioteca ccmn

No crepúsculo seguinte, essa era a visão da Biblioteca do Centro de Tecnologia, onde eu trabalho:

biblioteca do ct ufrj

Mas já está tudo bem. Os fantasmas tiveram a sua cota de diversão, eu tive a minha. As bibliotecas retomaram as suas atividades normais.

—-

Eu sou residente de Niterói. Tudo bem comigo. Mas me senti um pouco como “A estrada”, do Cormac Mccarthy.

Fotos do fim do mundo

Não tenho notícias de bibliotecas no Rio ou Niterói terem sido afetadas pelas chuvas.

—-
Alguém sabe de alguma lei, alguma norma que trata de danos à bibliotecas causados por chuvas, fenômenos naturais? [Falta pouco pra 2012], é bom os bibliotecários ficaram cada vez mais atentos à isso.

Quanto ao serviço prestado à comunidade, como as bibliotecas (públicas) devem se portar nesses casos? Que tipo de assistência elas podem e devem oferecer (abrigo, coleta de donativos, informações topográficas, informações históricas, informações jurídicas, etc) ?

10 pensamentos em “Chuvas no Rio e Niterói – Uma noite na biblioteca”

  1. Ola …

    Chuvas no Rio e Niterói – Uma noite na Biblioteca … otima sugestão para o título de um livro! rsrsrs

    Estudante de biblioteconomia
    Teresina – PI

  2. Moreno,
    Não tenho conhecimento se há lei mas imagino haver algum respaldo de proteção ao patrimonio público. Sobre prestação de serviços social à comunidade, com certeza, deveria ser obrigatório. Em nossa biblioteca já lideramos algumas (para aldeias indígenas e crianças desprovidas). Há tanta carência neste país, que o ano todo poderia se arrecadar todo tipo de material. Liderar uma campanha solidária dá trabalho mas o resultado final é incrível. Boa sorte a todos e que juntos vocês possam reconstruir.
    Mara Beatriz.

  3. Sorte sua q não apareceu desabrigados gritando: Abra a porta Noéeee!!
    Sorte sua q não teve q dormir com um monte de livros velhos e sujos como algumas bibliotecas por aí q eu não vou citar o nome. rs

  4. “Que tipo de assistência elas podem e devem oferecer (abrigo, coleta de donativos,…)?”

    Lembrei que no livro Dewey a bibliotecária disse que a biblioteca tinha um acervo de formas para bolos com motivos especiais.

    Possibilidades interessantes e aplicáveis.

  5. Um biblioteca que foi afetada? A Biblioteca Nacional… A água vazou no armazém de periódicos, mas havia funcionários por lá que cobriram o acervo. Saiu no jornal que o Ministério da Cultura liberou verbas para a BN fazer os reparos necessários

Deixe uma resposta