Biliotecários e redes sociais online – curso

Desde os tempos em que o Vasco ganhava do Flamengo (muitos, muitos anos atrás…) eu venho falando sobre a importância da utilização das redes sociais em bibliotecas e no trabalho interprofissional dos bibliotecários.

Eu tive minhas decepções, revisitei as coisas que acreditava, mas continuo achando que existe um potencial enorme na social media, que quando bem aplicada, pode trazer bons benefícios não só para os usuários, mas também para os bibliotecários.

E é especialmente entre os bibliotecários que eu tenho percebido o melhor uso das redes sociais, mais do que entre bibliotecários e usuários. Esse blog aqui é um exemplo disso.

—–

Embora eu ache estranho cobrar para apresentar coisas que podem ser aprendidas sem auxílio de qualquer especialista, eu aceitei fechar uma agenda de cursos sobre redes sociais na web.

A questão do valor dos cursos (acho bom esclarecer aqui da forma mais transparente possível) em geral é estipulado em comum acordo entre mim e o agente organizador. Algumas vezes o valor arrecadado serve para cobrir os custos totais da organização, onde nem eu, nem o organizador leva qualquer fatia, apenas a visibilidade (importante para mim) e o oferecimento do conteúdo (importante para o agente). Em outros casos, o valor do curso serve para cobrir os gastos referentes ao meu translado (caso eu vá ministrar ou palestrar em uma outra cidade, por exemplo). E ainda, os casos em que os valores simplesmente seguem uma tabela do mercado, pois afinal, uma competência, mesmo autodidata, é construída em longo prazo e o compartilhamento desse conhecimento exige retorno.

Eu não sei de casos de pessoas que pediram o dinheiro do curso de volta, depois de fazê-lo, por terem se decepcionado. Mas se fosse o caso, eu acharia justo. Do mesmo modo que, enquanto houver uma demanda ou convites, eu aceitarei compartilhar o que eu sei.

—-

O que me incomoda em certo grau é que muitas das pessoas que se dispõem a fazer os cursos e oficinas que eu ofereço estão bastante distantes da realidade daquele tipo de conteúdo que eu domino. Então sai o especialista e entre o educador, que exige um comprometimento maior de ambas partes.

Pois afinal, as pessoas que já estão inseridas de alguma maneira no mundinho da social media, já trilharam seus próprios caminhos. Sabem tanto quanto eu ou bem mais do que. Talvez essas pessoas não precisem mesmo de cursos e sim mais prática com as ferramentas, até compreenderem a melhor forma de utilizá-las. Mas as pessoas que ainda não despertaram para essas potencialidade, por quaisquer razões, talvez precisem de guias justamente para recuperarem aquilo que perderam por não estarem tão interadas quanto outras pessoas. E se elas já demonstram esse interesse, eu acho louvável que se compartilhe com elas algum tipo de informação especializada.

Porém, ainda que a premissa seja louvável, algumas pessoas estão interessadas apenas nos certificados (como se os certificados fossem mais importantes para a sua carreira do que a competência que venham alcançar) e não aplicam nada daquilo que aprenderam nos cursos posteriormente, nas suas atividades cotidianas.

No final das contas, corre o risco de eu estar ministrando “cursinhos for dummies” e entrando em um dilema ético sobre a efetivadade daquilo que eu me proponho a fazer, e cobrar por isso.

Se as pessoas pagam por algo que não tenha retorno, seja para elas próprias, para as instituições a qual estão vinculadas ou a comunidade a qual servem, então por que eu deveria continuar a extorquí-las dessa maneira?

—–

Foi pensando assim que eu decidi optar por um nova estratégia de oficinas de curta duração. Retorno garantido, solução de problemas, ali, na hora.

Os conteúdos estão por aí, referências, bibliografias, centenas de manuais, tutoriais, ferramentas, comunidades de suporte. Quem tem interesse, que leia.

Mas não desperdiçar a oportunidade de ter um grupo de mentes pensantes, em um brainstorm, em torno de um interesse comum. Pensando em uma sala de aula sim, mas propondo idéias e resolvendo problemas que estão do lado de fora das salas, possivelmente dentro das bibliotecas. É pra isso que essas oficinas servem.

Parece demagogia e discurso gasto, eu sei. Mas eu só encontrei duas soluções para todos os problemas que eu enfrentei dentro da profissão: trabalho colaborativo e subversão ao sistema. E que melhor maneira de alcançar isso se não por meio das redes sociais online?

—–

Os cursos são essencialmente sobre técnicas de colaboração entre bibliotecários com base em sistemas emergentes, softwares open source, blogs, redes sociais, social media, experiência dos usuários e descentralização. Tudo isso para a turma pensar e executar, no brainstorm, estratégias efetivas na implementação de serviços de informação, na web ou no mundo físico.

A agenda é a seguinte:

EREBD Sul
http://www6.ufrgs.br/XIIEREBDSUL/
Dia 24/04, 08:00 – 12:00
Local: FABICO – UFRGS, Porto Alegre
Valor: R$ 10,00
Inscrições

Rio de Janeiro, APCIS: http://www.apcisrj.org/
Data: dia 30/04/2010, das 13 às 17:30 horas
Local: UniverCidade – Unidade Carioca (Estação do Metrô-Carioca), Rio de Janeiro
Preço: R$100,00 por pessoa (desconto de 20% para Associado)
Inscrição: Marta Magno – (21) 3511-1101
E-mail: martamagno@hotmail.com

SNBU
http://www.snbu2010.com.br/
Local: Rio de Janeiro
Data: 17/10
Valor: R$70-120
Inscrições

10 pensamentos em “Biliotecários e redes sociais online – curso”

  1. Moreno,

    O seu minicurso vai ser no mesmo horário que o da Airtiane? Queria fazer os dois, mas parece que não vai ser possível… Sei que vai ser no mesmo dia, mas tu confirma que vai ser no mesmo horário ou não sabe ainda?

    Bjs.

  2. Maneiro, maneiro! Que ferramentas pretende mostrar?

    Organizei um kit de ferramentas para fazer a alegria das bibliotecas que querem prestas serviços de informação sociais e colaborativos: Google Apps + WordPress + MediaWiki + Managing News.

    ExtraLibris 2010. 😉

    1. o basicão é google docs e twitter, para comunicação; blogs, delicious, reader, buzz, slideshare para acompanhamento, compartilhamento.
      WP, Apps, web based para operacionalização.

  3. Oi, sou da Universidade Federal de Juiz de Fora – MG, e juntamente com algumas bibliotecárias daqui, vamos assistir essa exposição de idéias suas..
    Como está sendo tudo previamente organizado ( teremos que ir no carro da universidade) e moramos a 3 horas do RJ, peço, que por gentileza, avisem quaisquer mudança em relação ao horário, pois poderá nos prejudicar uma possível mudança repentina..ok!?
    Somos 5 bibliotecárias…
    bjaum

  4. Pessoal,
    Apesar de SP ter uma quantidade grande de pessoas com conhecimentos sobre redes socais. Seria legal um workshop por aqui, não?
    Topo ajudar a arrumar lugar, etc….

  5. Gostaria de trocar ideais com vc a respeito de suas ideias e cursos,inclusive esse que vc vai dar no EREBD e, quem sabe, trazê-lo a Salvador para realizar uma atividade aqui. O potencial aqui é grande, pois temos uma quantidade razoavel de bibliotecarios atuantes e necessitando desse tipo de conhecimento. Mande um contato seu para meu e-mail por gentileza, para que eu entre em contato e nos comuniquemos a respeito. Grande abraço

Deixe uma resposta