Como popularizar a discussão sobre Internet Aberta e Livre?

Na última sexta tive a oportunidade de participar do Mozilla Drumbeat, evento promovido pela Fundação Mozilla e pela Casa de Cultura Digital. A chamada do evento é a seguinte:

Se você ama a internet, pode um dia ter se perguntado: a web vai permanecer tão interessante, criativa e inventiva quanto é hoje daqui a 100 anos? A Fundação Mozilla, criadora do navegador Firefox, pensa que a internet pode e deve ser assim no futuro – mas, para isso, ela deve permanecer aberta e livre. Para que ninguém tenha que pedir permissão na hora de criar projetos na internet (nem a governos, nem a empresas); para que ninguém tenha seu acesso prejudicado ou bloqueado quando estiver compartilhando cultura e conhecimento; para que haja menos interesses políticos ou de mercado, e mais interesse público na rede.

Sai do primeiro dia com as seguintes questões na cabeça:

  • O que é uma Internet aberta?
  • O que é uma Internet livre?
  • Como popularizar essa discussão?
  • O interessante da forma como foi conduzida a reunião é que não trouxeram nenhuma resposta para as perguntas acima. E sim, nos convidaram a discutir e interagir. E nos trouxeram o desafio de ajudar a popularizar essa discussão. As fotos abaixo representam perguntas que criamos para instigar discussões.

    E aqui representamos o que achamos que tem que ser discutido e juntamos em “clusters” para facilitar as discussões.

    As discussões continuaram no sábado, mas não pude participar. Mas acho que o Blog é um espaço ideal para discutirmos as duas primeiras questões. O que vocês consideram “Internet aberta” e “Internet livre”?

    Vamos manter essa discussão viva!

    2 pensamentos em “Como popularizar a discussão sobre Internet Aberta e Livre?”

    1. Participei de um WikiShop com o Nepô sobre iniciativas Gov 2.0 e na ocasião o grupo discutiu sobre as formas de (des)controle sobre o que é publicado na internet atualmente.

      Chegamos à conclusão que esse controle existe, mas de forma cada vez mais participativa e colaborativa.

      A partir daquelas discussões, penso que não há possibilidade de “Internet Livre” e “Internet aberta” sem que o direito de expressão seja garantido.

      Creio ainda que essa internet só será possível com a utilização de padrões abertos e compartilhamento.

      Acho que iniciativas como o ‘Drumbeat’ são fundamentais.

    2. Por conta da vontade da atual e futuras gerações, acredito que seja impossível pensar numa internet manipulada e sob controle dos velhos burocratas de plantão. O único controle que deve existir é a respeito da organização da internet, adequação de padrões e de leis que garantam os direitos dos usuários de internet (como é pretendido pelo pessoal do Marco Civil: http://culturadigital.br/marcocivil/).

      A internet é livre. Basta entrar e participar. As pessoas estão naturalmente descobrindo o seu poder. Nós, como profissionais da informação, devemos abraçar a responsabilidade de oferecer orientação no uso dessas ferramentas e fazer da internet não só um canal de comunicação e lazer, mas também um ferramenta em pró da cidadania.

    Deixe uma resposta