Stockholms universitetsbibliotek

Biblioteca da Universidade de Estocolmo, Suécia, uma das bibliotecas que melhor representa o conceito de biblioteca universitária que eu já conheci (gosto muito da biblioteca da PUC-RS também).

Era domingo, a biblioteca estava fechada por conta das férias acadêmicas. Em dias normais eles recebem cerca de 7 mil visitas locais.

A bibliotecária chefe explicou que periodicamente eles fazem uma pesquisa de satisfação com os usuários, sobre o ambiente físico, o que explica o excesso de mesas e cadeiras (eles tem contrato de mobiliário com a IKEA, que é aquela loja sueca lindona), que é uma demanda dos próprios alunos. Ao contrário do que se pensa (eu mesmo) os alunos não querem espaços necessariamente amplos ou hiperconectados: querem espaços silenciosos, para estudos individuais ou coletivos. E tomadas, muitas tomadas.

Mas, se por ventura uma nova turma de calouros indicar que prefere mais espaços amplos, menos salas fechadas e menos cadeiras, então a biblioteca guarda o mobiliário em um depósito, até que uma nova turma de calouros apareça com uma demanda diferente.

A arquitetura da biblioteca é dos anos 70, tem um quê de arte soviética, como eu senti mais forte na Noruega. O plano central do prédio da biblioteca é o formato de um navio. Afinal, eles são vikings.

A biblioteca usa sistema de catalogação e classificação sueco, e como isso é problemático para fins de importação/exportação, estão migrando tudo para LoC e Dewey. Sabe-se lá como, porque o volume de materiais é absurdo.

Hall de entrada, com lanchonete

mascote da universidade, uniformizado pelos próprios alunos

devolução

monitor de navegação, wayfinding

devolução automática e reservas

Paris Hilton na biblioteca

postos de trabalho dos bibliotecários

departamento de cartografia

mesas, muitas mesas. Todas IKEA


salas coletivas ao fundo, filtros de linha sobre as mesas

salas de estudo coletivo

2 pensamentos em “Stockholms universitetsbibliotek”

  1. Prezado Moreno
    Esta biblioteca universitária é simplesmente fantástica, os espaços amplos arejados, com luminosidade natural,áreas verdes, fascinante.
    Realmente um modelo a ser seguido.
    Abraços

  2. Ao ver essas imagens ,só me vem a mente, ( eu até nem queria pensar) mas infelzmente vem a Fundação Biblioteca Nacional, seus atrasos e suas politicas mediocres, incriveis.
    Mas ao citar politicas, digamos que poderia ser mas flexivel , mas humana, em fim, menos burocratica. ( juro que não vou me estender)e nem detalhar …
    Graças as sucessivas gestões , bem como falta de planejamento ( direcionado a tecnologias de ponta) e quanto a visão( a nossa é mediocre).
    Quanto aos aparatos tcnologicos etc ..e tal..
    E não venham dizer nada parecido com que: Algo como. bilbioteca é lugar sagrado, de silencio , um santuário e tudo mais .um mausoléo… Nem vou retrocucar…
    Recursos, temos e com certeza, esse atraso é devido a gestões, no minimo de origem conservadoras, isso para não prolongar essa conversa velha e chata, pois onde nada muda mesmo..
    Ou pelo menos iremos ter que esperar no barato de tudo uns breves meio seculo , para um dia a FBN, chegar proximo da excelencia da Biblioteca de Estocolmo.( ou quem sabe nunca)
    De certo temos que adimirar o que vem de fora,( algumas coisas srrs) pois exemplo aqui com certeza tem , embora poucos, mas como centro de Referencia Nacional ( como Bilioteca Nacional) ainda não percebi nada..
    Até quando?, Até quando? Até quando?
    Abs
    Cardoso

Deixe uma resposta