101 bibliotecários e bibliotecas no Twitter

Este é o resultado de um pequeno estudo envolvendo 101 bibliotecários e bibliotecas, escolhidos sem critérios claros, para teste da metodologia usando redes complexas para análise de redes sociais. O número de 100 foi definido, primeiramente pela dificuldade de levantamento de uma grande quantidade de dados e porque, segundo os slides do @moreno, existem cerca de 400 bibliotecários no twitter. Uma mostra de 1/4 é um universo representativo.

Premissa: Os edges ( ou relações ) escolhidos foram os seguidos dos bibliotecários, por que seguir alguém implica em uma escolha dos proprietários das contas escolhidas.

Amostra

101 contas, classificadas arbitrariamente da seguinte maneira:

Limitações: As contas escolhidas acabam sendo muito próximas a minha conta, o que influencia consideravelmente os resultados.

Resultados obtidos

Número de nós: 10.775
Número de edges (relacionamentos): 18.692

Diâmetro: 7 ( maior distância entre os nós )
Distância média: 3.12

10 principais hubs desta rede

@FBN – 56
@trmurakami – 54
@Biblioteconomia – 51
@moreno – 50
@febab – 48
@ofaj – 45
@LuisMilanesi – 45
@blattmann – 43
@SNBU – 42
@bvsp – 42

5 não bibliotecários

@plevy – 39
@CulturaGovBr – 30
@marcelotas – 30
@OCriador – 28
@millorfernandes – 27

Distribuição dos Hubs

Mapa completo

Confira o mapa completo aqui – Versão Seadragon.
Confira o mapa completo aqui – Versão GEXF Explorer – Atenção, esta é uma versão pesada e pode deixar seu computador lento
Confira o mapa completo aqui – Versão GexfWalker.

As contas escolhidas foram:

weblibrarian ofaj caue_ce tucmcgyver rod_galvao gustavohenn tip_eu_topo trmurakami alexsandroccarv moreno MarinaMacambyra gerlandy rudisantos jorgivania ppgci_unesp mariliabarcello cfraga jubuse JosyMorenno juliorei betenovaes leocianconi dgcunha BCI_UFSCar PPGCI SIBi_USP robertocoelhojr linei_cm silvanavidotti giseleporfirio PerairaJorge Arquivistica ArquivologiaSMA ArquivoUFSC unbiblio BibliotecaPUCRS cammy_oliveira
PatHellmanns bibifsc pergamumoficial biblioo angelaclaro kahheart Raymundohotaces rohmarinho luciano jaideraf lubpiovezan odiliaribeiro MarcelaCecilia linafuko xxxFe tatimfcosta GMeletti marodrigues89 karusimionato Moyra_ fsassumpcao robinson_ma ashtoffen Leonardo_Assis roosewelt EnioBarbosa natalrm thigsf lu_castilho semanabiblio anapaulags LucianaMartinsF Salenka sibelefausto Caliljr EstudandoBiblio caruso Targinoche klaxonsbc biblio_design rodrigopereiraf CEDOCSEME florargen89 val_otoni WillOk AnaCAcosta adrianoagr bibjuufpr elisadel clovisml alexpessoal bibliotecadaeca blattmann bibfobusp fanara iaravps BibliotecaFDUSP BibliotecaFURG bibliotecact bibliofflch AntonioBriquet lillyf_ cabam vivilibrarian

Como coletar dados do twitter

Google Docs
Variável com o screen_name do twitter ( Exemplo: Planilha Twitters campo B2 )

Numa nova planilha com as fórmulas para baixar os dados a API do twitter:

A1 =
ImportXML(“http://api.twitter.com/1/users/show.xml?screen_name=”&Twitters!B2;”/user/id”)
(esta baixa o ID da conta consultada)

B1 =
=ImportXML(“http://twitter.com/friends/ids.xml?screen_name=”&Twitters!B2;”//id”)
(esta baixa os IDs das contas seguidas pela conta consultada)

Observação: Apenas dados não protegidos são acessíveis

8 pensamentos em “101 bibliotecários e bibliotecas no Twitter”

  1. Foda! muraka, depois vou conversar contigo sobre essa pesquisa, pois estou chegando na metodologia da minha, e é sobre capital social no twitter, e estava pensando justamente por essa linha.

  2. coisa linda de se ver

    pelos meus cálculos, são mais de 600 agora (muitos não-ativos, claro). A lista de pessoas que o @SNBU segue serve como base, que era como eu ia incluindo todos que tinham alguma coisa biblio-relacionada na bio do twitter. Mas eu parei de contar.

    Me parece justo, mas diâmetro 7, talvez não, porque daí estaríamos quebrando a regra do Kevin Bacon. São poucos bibliotecários, eu chutaria no máximo, no máximo, um diâmetro de 4: um amigo, de um amigo, de um amigo, de um amigo bibliotecário meu.

    matemáticamente @FBN e afins podem ser considerados hubs, mas no contexto da rede social não. Pois não participam da conversa, não permitem interação e não seguem um número de pessoas que eu julgo ser mínimo para manter a roda girando em torno de seu próprio eixo. Um twitter repleto desses tipos de hubs não faria o menor sentido.

    Além do @moreno, @trmurakami e @luismilanesi, o número de conversas nos outros hubs usando o “@” é nulo ou descontextualizado. Ou seja, você certamente é o maior e melhor hub.

    você consegue explicar aquele efeito visual que a @blattmann produz no seadragon? Eu e ela somos os pontos limites da rede. Eu talvez porque tenha o maior número de seguidores não-bibliotecários. Mas ela, não sei explicar ao certo. Mas pode ser que seja pelo mesmo motivo.

    Parabéns, keep it up.

  3. Moreno,

    Só tem uma possibilidade de o maior caminho entre nós ser 7, isso acontece pq tem bibliotecários que seguem quase 1000 pessoas e são pouco seguidos. Adicionam muitos nós na rede, mas o caminho até esse nó se torna distante. A média é isso mesmo, 3 a 4 passos.

    O efeito que você e a blattmann conseguiram é pq seus gráficos acabaram pegando uma cor forte. Eu usei o arco iris para dar cores diferentes para os nós, e como a cor do link é a da pessoa que segue, algumas aparecem mais do que as outras. Vocês acabaram um pouco mais distantes porque seguem pessoas de fora da rede, o que “gravitacionalmente” te puxa para fora.

    E concordo em relação a interação dos “hubs”. Mas é que em teoria, uma boa informação divulgada pela FBN tende a se espalhar mais rápido por toda a rede. Mas não sei se na prática isso acontece.

  4. Boa pesquisa! Parabéns! Da um apoio aí “biblioamigos(as)”, @acessohotblog, Twitter do nosso Blog!
    Alunos do 4° Bloco de Biblioteconomia da Universidade Estadual do Piauí.

Deixe uma resposta