VI Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais

Começou ontem o VI Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais, organizado pela PUCRS e pelo Consórcio Ibero-americano de Educação em Ciência e Tecnologia (ISTEC).

VI Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais

Confesso que a princípio não esperava muito do evento, pois acho que é complicado sair do discurso “olha como os bibliotecários são importantes na Era Digital”, mas o evento me surpreendeu positivamente.

Não que esse discurso não tenha ocorrido, mas houve palestras e debates que fizeram valer a pena.

Conferência de abertura

No primeiro dia, gostaria de destacar:

– Catherine Sohener reforçou a importância da educação continuada e da leitura para bibliotecários. Claro que à primeira vista parece óbvio, mas se refletirmos melhor, quantos bibliotecários que conhecemos estão parados no tempo? Quantos existem que não gostam de ler?

– A @raquelrecuero na palestra que iniciou a primeira mesa redonda do dia, cujo tema foi cibercultura e pensamento contemporâneo, trouxe à tona o fato de que não há compartilhamento desinteressado. As pessoas compartilham porque estão atrás de valores como reputação, visibilidade, popularidade, etc.

– Já o @trasel em resposta a perguntas ocorridas durante o debate da mesma mesa redonda, trouxe em seu discurso o fato de que muitos professores reclamam quando os alunos levam laptops para a sala de aula e utilizam para ver facebook, email, twitter… Ele lembrou que antigamente os alunos não usavam computadores em sala, mas já existia o jogo da forca…

(O que me lembra que as empresas que bloqueiam determinados sites alegando que eles podem baixar a produtividade, esquecem que sempre existiu o cafezinho. Quem não quer trabalhar vai tomar um café e leva duas horas. E aí?).

Houve também uma palestra com Janet McCue que destacou a importância das bibliotecas atuarem fora das bibliotecas, citando o exemplo da Cornell University Library e a mesa redonda com a participação de César da PUCRS e Maria Carmem Romcy de Carvalho.

Tenho somente duas ressalvas a fazer:

– Não há tradução simultânea, o que gerou reclamação por parte de muitos participantes. Ainda que se parta do princípio que a grande maioria fala inglês, acho que essa informação poderia ter sido divulgada no site do evento.

– Senti falta de tweets da @BibliotecaPUCRS sobre o Simpósio. =D

As atualizações no twitter ficaram por conta da @karolbraun majoritariamente.

Vou aguardar o segundo dia. O @trasel já disponibilizou seus slides. A organização informou que as apresentações estarão disponíveis ao final do evento.

(Foto via @danielbeltran )

2 pensamentos em “VI Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais”

  1. Acho que o fato do site do evento não dizer que haveria tradução simultânea parte do entendimento que não haverá tradução. Apenas uma percepção.

  2. Eu também não entendo essa prática de bloquear sites. Onde trabalho, além de bloquearem Orkut, YouTube, Facebook (Twitter e Gmail ainda estão liberados, por enquanto), criaram uma cota diária de internet. Se passar do limite, cortam o acesso. Dose…

Deixe uma resposta