O melhor bibliotecário que eu conheço

Quem é o melhor bibliotecário(a) que você conhece, conheceu, trabalhou junto, foi atendido por?

E por que?

39 pensamentos em “O melhor bibliotecário que eu conheço”

  1. Conhecer, eu vou considerar ter trabalhado junto.
    Porque muitos mesmo, quando a gente coloca no olho do furacão:
    no serviço, longe do blá,blá… Não dá em nada.
    Outros, eu suspeito acho que podem ser muito bons, mas vou ficar com a que vi em ação.

    Sem dúvida,
    Ana Luiza Chaves.
    Fui estagiário dela no ano de 2006.
    Por quê ela é a melhor?
    Capacidade de projetar serviços de informação;
    Acompanhava as mudanças;
    Sempre se preocupou com a qualidade dos serviços;
    Visão de Negócio;
    Capacidade de liderança;
    Capacidade de motivar;
    Causa uma excelente imagem da nossa profissão;
    Comunica-se bem;
    Escreve bem;
    Trabalha no serviço privado e ganha bem (rssrsrrs). Essa é para poucos…

  2. Bah… difícil é escolher um só, na nossa são tantos os bibliotecários que estão se destacando.
    Nos CBBD´s, SNBUs, etc vemos tantas inovações e perfis altamente competitivos e com diferenciais que creio que nossa profissão está mudando 100% o seu perfil sua imagem por meio de suas atitudes profissionais.
    Assim como Yuri falou muitos ficam só no discurso, por isso vou destacar três grandes profissionais que conheço e sei qe além do blábláblá, estes sei que fazem e acontecem em Santa Catarina e pela classe profissionais atuando voluntariamente em entidades de classe:
    Biblioteca Universitária: Marli Machado
    Biblioteca Escolar: Eliane Fioravante Garcez
    Biblioteca Pública: Evandro Jair Duarte

    Poderia acrescentar aqui outros… mas estres três dão conta do recado 😉

  3. Nestes anos de carreira na Biblioteconomia, convivi com muitos profissionais e, sem dúvida, a que considero a melhor é a Lilia Neves, da Biblioteca de Ciências da Saúde (Hospital de Clínicas) da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba.
    Profissional arrojada, destemida e que luta para melhorar as condições tanto para usuários quanto para servidores da Biblioteca e que certamente engrandece a categoria dos profissionais bibliotecários.

  4. As bibliotecárias que fizeram com que eu me apaixonassem pelo Serviço de Referência foram Rosana, Elenise e Eleninha da EESC-SC USP, foi o melhor estágio que tive e fez com que eu me apaixonasse mais pela profissão.
    Já como profissional, tenho como modelo a bibliotecária Graça da UNIP que como gestora e bibliotecária é fenomenal , não trabalho mais lá e já trabalhei em outros locais, porém ela é uma gestora que quer ver seu crescimento e ajuda com que você o ancance.

  5. Sou muito fã de muita gente, mas tem duas que queria destacar:

    Alzira Regina Ferreira, com quem tive a sorte de trabalhar no período que estive no CEU.
    E Marialva Busche Rodrigues, bibliotecária agora aposentada do Banco Itaú.

    São duas bibliotecárias que ainda chamo com orgulho de chefe.

  6. Marlene de Oliveira,da UFMG,
    Yone de Oliveira, ex-Binagri e Biblioteca Nacional e Fátima de Oliveira, ex-Binagri pelo pioneirismo e dedicação à informatização de bibliotecas;
    Adriana Ferrari, ex-USP, por idealizar a Biblioteca de São Paulo

    1. Caramba… Post antigo e agora comentado por uma ex-aluna da Marlene no 1º Semestre-UFMG em Biblio. Não sei como você teve a capacidade de achá-la uma boa bibliotecária, honestamente. Suas limitações fogem daquilo que seria aceitável e normal, tanto no ambiente acadêmico como na própria sociedade. Sem querer colocar a cabeça na corda, mas já colocando, ela seria o último profissional com que eu me identificaria nesse ou em qualquer momento da minha formação. Só para fins de graça e eterno desgosto, Marlene em uma de suas aulas teve a audácia de recusar uma opinião de um grupo alunos sobre Bibliotecas Públicas simplesmente porque não se apoiava em nenhum estudioso, sendo que essa opinião era extremamente embasada no cultural, nada de conhecimento para-além de sala de aula, dizendo que não tinha o direito de dizer tais palavras, ” Você só é um aluno de graduação! ” e depois dos argumentos da turma, algo como ” pare com o academicismo, não somos folha em branco ” ainda teve a audácia de dar exemplos aleatórios ( como sempre ) de que na Alemanha os alunos não pegam elevador com os professores. Conceito D para essa professora… Basta.

  7. Isis Almeida do TRF 5. Como o Gustavo falou acima, competentíssima. Trabalhar com ela foi um grande aprendizado. Um grande exemplo e profissional.
    Amanda

  8. Conheço a Rosane Lopes da UERJ, que durante ANOS lutou contra todos os obstáculos pra por o catálogo das bibliotecas em base de dados e na internet. Também a Sibele Fausto da USP que, no seu twitter, tá sempre ajudando alguém da sua timeline a localizar algum documento que precisa.

  9. Márcia Valéria (UNIRIO)
    Fui estagiária desta bibliotecária e aprendi muitas coisas com ela, sempre a via como o exemplo de profissional que gostaria de ser. Até hoje temos contato e continuo a admirá-la.

  10. Rosa Maria Beretta (Bibliotecária da FESPSP),estou aprendendo muito com ela durante essas anos que trabalho na FESPSP. A cada dia ela tem dado o seu melhor pela nossa biblioteca, que tds que já trabalharam com ela possam ter esse determinismo dentro de si, e que possam ter esse desejo de tratar a informação e disseminá-la a qualquer tipo de pessoa.

  11. Com toda certeza foi a Dona Eliana da Procuradoria Geral de Fortaleza. Fui estagiária lá de 2006 a 2008.

    Realiza o trabalho usando toda a competência e responsabilidade . Sempre escuta os estagiários, além de ler muito. Uma Profissional com P maiúsculo. Ela ama ser bibliotecária…Foi uma mãe…aprendi muito com ela…

  12. Trabalhei com duas bibliotecárias que me ensinaram muito de forma bastante diferente.

    A primeira delas foi a Edna Gubitoso do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo. Nos idos de 1995/1996, o diretor da Divisão onde eu era estagiário definiu que a Biblioteca seria um dos primeiros lugares a ter acesso à Internet na instituição inteira. Porque? Porque ela era uma excelente bibliotecária de referência e de pesquisa. Buscava informação no Brasil e no mundo em um período “medieval” da Internet no país! Foi ali que tive a oportunidade de mexer pela primeira vez em CDS-ISIS e MS-Access!

    A segunda bibliotecária merece uma placa!!! É a Lélia Maria Kelner Haak que até o início do ano era bibliotecária do Ônibus-Biblioteca da Prefeitura de São Paulo. Ela foi a minha primeira chefe na Prefeitura e aprendi com ela o que é dar o sangue pelo serviço público, ou melhor, dar o sangue para a população. A situação que ilustra isso foi o dia que vi um carro vermelho estacionado na Biblioteca Monteiro Lobato (antigo local onde ficava o acervo do Ônibus) com o porta malas aberto e alguns engradados com livros dentro dele. Não era um veículo oficial levando livros para a periferia: era o carro dela substituindo uma das Kombis nojentas da Secretaria Municipal de Cultura que devia ter quebrado ou estava sem motorista (detalhe: era início de governo Marta em SP e os Ônibus estavam quebrados na garagem!). Colegas, ela usava o carro dela para levar os livros para a população quando os carros oficiais não vinham!
    E essa é só uma história do compromisso desta colega com a qual tive a honra de trabalhar!
    Abs,
    William

  13. Há muitos nomes, mas lembro de um em especial: Ângela Maria Belloni Cuenca, da Faculdade de Saúde Pública-USP. Maravilhosa!

    E obrigada, Teresa! 🙂

  14. Considero a Vivi Silva (que faz parte ou fazia do blog, heheheh). Trabalhei com ela, como estagiária, na British School de 2006 a 2007. Gente boa toda vida, inteligente e acima de tudo muito prestativa, ajudava com boa vontade sempre quem a solicitava!
    Vivi quando eu crescer, quero ser igual à vc! rss
    Bjs

  15. Sempre cito como exemplo de profissionalismo e simpatia a Gorete, da setorial BSCCSM no HU em Floripa. Me salvou quando eu era uma estudante perdida no meio das estantes e me salva até hoje, recebendo meus alunos de Fontes de Informação. Parceirona também é a Iraci, da BC UDESC! Bjs meninas, vocês dão orgulho!

  16. Carlos Luiz da Silva, que trabalhava na Feevale (Novo Hamburgo) e agora é um dos donos da Palavraria, em Porto Alegre. Me ensinou tudo de classificação e indexação. E me fez ver que é imprescindível ser ético e dedicado e estudar sempre mais e mais.

  17. Nossa … tanta gente boa pra ter que apontar uma ou outra.
    Mais vamos lá, apesar de nao ter trabalho diretamente com ela, mais tive o prazer de ser aluno, a Bibliotecária Joimara Santos da UFPI é uma profissional bastante competente, inteligente e dedicada a profissão. Também tenho o prazer de ter como melhor amigo um Bibliotecário, Jayron Viana que trabalha na Escola Florestan Fernandes em THE, muito correto nas suas atitudes. Outra bibliotecária que me mostrou a realidade das bibliotecas universitárias do PI/CE/MA através das nossas acessorias (Tempo Bom) é a Antonia Melo … um poço de conhecimento. Gostaria de dizer que admiro todos(a)Bibliotecários(a) que contribuem para o crescimento da nossa profissão. Estou caminhando para um dia ser citado aqui por alguém também. (Rsrsrrsrs)

  18. Tive a oportunidade de ser estagiária de três bibliotecários muito competentes, mas, sem sombra de dúvida, o MELHOR foi RUI YURI DE MESQUITA MARTINS. Pois, ele gosta do que faz, é a pessoa mais motivada desse mundo, além de saber compartilhar todo seu conhecimento de forma bastante simples prática. Nunca vi um profissional para gostar tanto de aprender, a biblioteconomia precisa de gente como esse cara!!!!

  19. Um exemplo, como pessoa e profissional é a Lucília (SENAI/MG). Ela é ótima líder, sempre procura inovar, super sensata, com ela as coisas realmente fluem…

  20. Tive a oportunidade de trabalhar com bibliotecárias maravilhosas, mas uma delas é o meu exemplo de pessoa e profissional: Maurinete dos Santos, da Câmara dos Deputados. Fui estagiária dela por 1 ano e aprendi muito. É uma profissional que não tem medo de serviço e me ensinou que o bibliotecário tem que investir na educação continuada. Me tratou como uma colega de profissão e não como uma estagiária. Sou grata pelo aprendizado e pela amizade que a experiência do estágio me proporcionou.

  21. O melhor bibliotecário que eu “conheço” é o Fabiano Caruso! Passei um período super desmotivada com a área e cansada daquela biblioteconomia clássica que eu tinha aprendido na faculdade! Depois que tive contato com as ideias do Fabiano pela net passei a ter uma nova visão da área…para mim ele é o grande intelectual da biblioteconomia moderna! Sou super fã do cara 🙂

  22. Naliana Dias Leandro, Bibliotecária IFMG-Campus Formiga; por sua disponibilidade em partilhar seus conhecimentos, e por ser alguém qu eluta pela classe bibliotecária.Parabéns pelo seu trabalho!! Ângela/UFOP

  23. Meu voto vai para a dupla que comanda a biblioteca da escola dos meus filhos, Vaneide e Naima. Meus filhos adoram a biblioteca e assim entendem um pouco o trabalho dos pais. Pra mim são as melhores.

  24. Regina Fazioli. Idealizadora da Bib. Virtual do Governo do Estado. Uma inspiração para mim desde o curso técnico em biblioteconomia. Nunca trabalhei com ela, nunca tive aula (acho que trabalhar junto nao é critério de saber quão competente alguem é trabalhando. Todas as bibliotecárias – exceto Sarah Lorenzon Ferreira e a galera da Medicina da USP – foram uma péssima (P-É-S-S-I-M-A) referencia para mim, que até assedio moral sofri trabalhando com essas outras. Inclusive e principalmente qdo trabalhei no Estado). fica aqui também minha gratidão e admiração para Cibele Marques, que foi minha professora de Linguagens documentárias na FESPSP, me fez apaixonar por essa linha de pesquisa, foi minha orientadora do TCC da graduação e hoje tenho privilegio de tê-la novamente me orientando no mestrado da USP. Obrigada para quem me fez bem e para quem não me fez bem (aprendi ser resiliente).
    Bjs.
    Avante, jovens!

  25. A melhor bibliotecária de universidade privada que conheço aqui no Rio de Janeiro é a Vera Pataco. Exerce um trabalho incrível por onde passa.

  26. O melhor bibliotecário que conheci foi a Bibliotecária Mirian Lecinio? quem com seu profissionalismo me ensinou muito sobre a Biblioteconomia e me incentivou a cursar biblioteconomia, profissão que hoje honro no meu dia a dia na biblioteca que trabalho. Mirian Lecínio você é minha eterna chefe Bibliotecária e admirada.

  27. Na minha singela opinião a Bibliotecária referência no Maranhão é a Prof. Dr. Maria Mary Ferreira. Por que ela é um exemplo de mulher que luta pelo crescimento da biblioteconomia no Estado, na qual desenvolve atividades como tutora do PET/Biblio (Programa de Educação Tutorial), luta pela relação de gênero ( referência NACIONAL). Membro da Coordenação Estadual do Fórum Maranhense de Mulheres. Professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Politicas Públicas e dentre outras atividades.

    1. Que lindo!! Obrigada Joyce pelas palavras de carinho. Quisera ter mais tempo para contribuir mais ainda com esta profissão que abracei muito jovem. Tenho uma relação de profundo afeto pela Biblioteconomia Bjs

  28. Posso falar da pior bibliotecária que conheci chama´
    -se Marli Sanches vem há anos desrespeitando o seu ambiente de trabalho com comportamento inadequado que viola todos os códigos de éticas e envergonha a classe das bibliotecárias.

  29. Incrível! Só mesmo no Brasil seria possível fazer esta pergunta! Eu fiz um curso em Portugal sem nunca recorrer a uma bibliotecária. Assim sendo, na prática, não me atrevo a dizer bem de nenhuma. Ignorância pura. Claro que a maioria das bibliotecas públicas à volta do Porto têm uma secção Local boa para o leitor. Nesse aspecto são boas. Em Teoria, quando fiz o curso de bibliotecário, fiquei bem impressionado com as minhas professoras, especialmente a Drª Teresa Pinto Mendes, que ensinava Indexação (assuntos) e outros de Coimbra, além de um de Braga, das bibliotecas públicas. Profissionalmente, já conheci bibliotecários que detestam assuntos e leitores no mesmo grau. Mas nem é bom falar disso… coitados dos leitores…

  30. Impressionante, Eu também conheci as histórias tal da Marli Sanches , bibliotecária do Senai…..
    Sei histórias cabeludas dessa bibliotecária. Só a direção d oSenai não se liga na situação dessa funcionária dentro desse estabelecimento de ensino.
    A coroa é sem safadona mesmo.

Deixe uma resposta