Frente Parlamentar em Defesa da Biblioteca Pública

8 pensamentos em “Frente Parlamentar em Defesa da Biblioteca Pública”

  1. Discussão chegou tarde.

    Com o custo de administração de uma biblioteca pública poderiamos comprar quantos Kindles para os cidadãos?

  2. Bem penso que mesmo tarde, a discussão sobre um assunto tão importante seja válido, desde que tenham no final questões resolvidas na prática.
    E Caruso, é caro sim administrar uma biblioteca pública,ainda mais quando ela não tem recursos próprios e na maioria está ligada a orgãos que parecem não perceber a importãncia desde local. A biblioteca pública não é só empréstimo de livros, é informação, projetos de incentivo a leitura, educativos e culturais. Vamos comprar vários Kindles e distribuir para o cidadão e daí… o que ele faz?? Se muitos mal tem o letramento completo, se muitos não tem contato com o computador, não sabem nem o que é um email. Kindles não é uma realidade brasileira… precisamos de escolas bem equipadas com professores capacitados e bibliotecas com profissionais que saibam que biblioteca é “um organismo em crescimento”, não pode ficar parada no tempo só com empréstimo de livros.

    Abraços

    Kátia
    Bibliotecária- CBR14/1157
    Biblioteca Pública Ary Cabral
    Brusque/SC

  3. Será que serão discutidos pontos básicos do assunto ou será mais um bla, bla, bla de político para ganhar voto?
    Será que nessa frente ficará acertado que a lei que regulamenta nossa profissão será cumprida pelos governos e governantes… já que são eles que colocam para chefiar essas bibliotecas pessoas desqualificadas e sem formação???
    A maioria das bibliotecas públicas e municípais tem nas chefias pessoas sem formação, quando nossa lei coloca que para exercer a administração e a direção de Bibliotecas é necessário ser Bibliotecário e ter registro no CRB da região.
    Até as universidades estão nomeando leigos, como aqui em MG…
    Vejo isso como uma forma de fazer campanha barata!
    GeDu

  4. Estava fazendo uma provocação em relação ao Kindle…

    Mas sou cético em relação a eventos baseados em defesas, argumentos, discussões sobre o papel estratégico. Querem saber o papel estratégico? Consultem os bibliotecários.

    Quem tem vontade política e poder econômico vai lá e faz acontecer. O que está sendo realizado de fato?

  5. Eu acho muito válida esta discussão, pois não existem políticas públicas para as bibliotecas, que estão carentes de recursos materiais e profissionais. E discutindo o problema já é um começo.

  6. Colegas:
    Sou diretora da Biblioteca Pública do Estado do RS e há 20 anos atua em bibliotecas públicas. Coordenei de 2003 a 2010 também o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e já fui presidente do conselho regional de biblioteconomia do RS (10 região). Este evento será de grande importância para dar destaque para a biblioteca pública e sua importânica para a formação cultural e social dos cidadãos. Estarei nesse evento, na mesa da Frente Parlamentar para falar da importância desse espaço e suas carências, o que ainda precisa ser melhorado e respeitado em nossa área: orçamentos maiores, recursos humanos qualificados, acervos atualizados, modernização dos espaços e serviços da bibliotecas pública, enfim, relatar minha experiência na área e cobrar políticas para nossa área. Acredito que outros bibliotecários farão parte da mesa também, assim como fui convidada a contribuir com minha experiência. Espero que a partir desse evento (antes tarde do que nunca!) possamos ampliar a visão e as ações das bibliotecas públicas e qualificar ainda mais este espaço da comunidade.

Deixe uma resposta