6 pensamentos em “Repositórios institucionais no Brasil”

  1. Pô, estão aparecendo um monte de iniciativas bacanas neste sentido. A gente tinha que conseguir criar um espaço para que elas possam ser compartilhadas. Inclusive fazer a sobreposição desses mapas. 😉

  2. Percebe-se um crescimento dos repositórios, no entanto, muitos ainda estão estagnados. Além disso, aqueles que funcionam “a todo vapor” precisam ser melhor divulgados. Parabéns ao Professor pelo Mapeamento.

  3. Minha monografia foi exatamente sobre o mapeamento dos repositórios institucionais existentes nas universidades públicas brasileiras e tive o prazer de ter o Robson na banca.
    Acho interessante essas iniciativas que estão surgindo, mas infelizmente as pessoas ainda não sabem distinguir um repositório institucional de uma biblioteca digital.

  4. Ainda falta alguns:
    Na região Norte o Museu Paraense Emílio Goeldi participou do primeiro edital que financiou a infra-estrutura para a criação e manutenção dos Repositórios Institucionais. O Museu Goeldi (RI-MPEG) e, junto com a Universidade Federal do Acre (UFAC), foram as únicas instituições selecionadas na região norte na época.
    Atualmente conta com mais 300 trabalhos disponíveis na web sobre Botânica; Ciências Humanas; Ciências da Terra e Ecologia; Zoologia; Comunicação, Informação, Museologia e Educação entre outras categorias

    Link: http://repositorio.museu-goeldi.br/jspui/

  5. No Brasil existem outras instituições que também possuem Repositório tais como:
    CBPF/MCT: http://cbpfindex.cbpf.br/
    O CBPF INDEX é o sistema de acompanhamento da produção científica e tecnológica do CBPF, tem mais de 13 anos. Nele é possível obter a lista de publicações de artigos, livros, relatórios técnicos, etc de toda a comunidade do CBPF.

Deixe uma resposta