Biblioteconomia no Sistema de Seleção Unificada

Vi no Biblio Eventos e tô replicando aqui:

Segundo o Ministério da Educação (MEC), houve em 2012, 17.609 inscritos para 701 vagas em cursos de graduação em biblioteconomia nas Instituições participantes do SISU.

A Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) lidera o ranking como uma das intituições mais desejadas para o curso de biblioteconomia.

Confira a lista de instituições mais concorridos para o curso de biblioteconomia no SISU 2012.

Classificação: nº de candidatos

sisu biblioteconomia

Classificação: candidato/vaga

sisu bibliotec

——-

Até hoje eu não entendi bem como funciona o SISU associado ao ENEM. Mas das coisas que ficam claras nesses dois quadros é o aumento da relação candidato vaga comparada aos tempos dos vestibulares clássicos, quando a média nacional girava em torno de 5 por vaga, e o aumento da oferta de vagas nos cursos de biblio.

Aumento da oferta de vagas pode estar associada ao levante econômico do país e a necessidade de adequação à leis que exigem ocupação de profissionais bibliotecários.

A minha dúvida principal é saber se essa alta relação candidato vaga representa de fato um salto qualitativo dos alunos que ingressam nos cursos de biblio, ou se é exatamente o contrário, uma corrida a um curso que obviamente não é a primeira opção de nenhum vestibulando e por ter nota de corte baixa no SISU, abre espaço para muitos novos interessados.

Mais de 17 mil pessoas dispostas a fazer o curso como um oportunidade dentro do sistema de ingresso ou a biblioteconomia virou mesmo um chamariz?

Supõe-se que em uma relação candidato vaga de grande concorrência a escala qualitativa seja maior (melhores aluno entrando nos cursos de biblio). Mas se a nota menor limite for muito baixa, provocando uma corrida pela posto de menor exigência de nota (ou como se diz, “lei do menor esforço”), então um grande volume de candidatos pode não representar um escala qualitativa alta, pois como se diz, se “nivelaria por baixo”.

Antes de qualquer análise é preciso entender por completo como funciona o SISU.

Depois é procurar saber:

– por que a relação candidato vaga no nordeste é maior?
– por que a unirio e a ufc oferecem tantas vagas?
– comparado a outros cursos tradicionais, a relação candidato vaga da UFPB por exemplo, ainda é alta?
– a relação candidato vaga tende a aumentar, diminuir ou estabilizar nos próximos anos?

Alguém faz uma monografia sobre isso?

update: Allan Ramalho me enviou as planilhas do ano passado

“Pontos percebidos na comparação 2010/2011 com 2011/2012:

-Aumento do numero de candidatos procurando por Biblioteconomia.

-A procura na UFRJ caiu esse ano talvez por conta da nota de corte ter sido alta. E ao mesmo tempo cresceu na UNIRIO e na UFC (Universidade Federal do Ceará) talvez por conta da nota de corte ter sido baixa nessas instituições a ( o que pode indicar que a qualidade dos ingressantes não é tão boa quanto das demais instituições que têm nota de corte maior).

– Duas instituições aparecem oferecendo Biblioteconomia em 2011/2012 UFAL e UFG

– Em 2010/2011 o total foi de 9.981 vagas oferecidas para biblioteconomia, já em 2011/2012 foram 17.609 vagas.
Realmente um aumento bem grande um total de 7.628 vagas a mais. Isso indica que Biblioteconomia está crescendo?”

15 pensamentos em “Biblioteconomia no Sistema de Seleção Unificada”

  1. Na UFPB tem muita pouca vaga para uma quantidade significativa de concorrentes. Isso faz com que a relação candidato/vaga fique nesta proporção.

    Muito me impressiona a UNIRIO, é muita gente tentando. Pode-se imaginar que, por ser um curso bastante antigo e tradicional no Rio de Janeiro, tem “nome”, talvez as pessoas logo o procurem.

    Realmente daria uma monografia interessante, em tentar descobrir o que os cursos oferecem que o atraem tanto (tenho medo de a maioria das respostas acusar que o número de corte é baixo, ou é a segunda opção da galera…)

    Quem se arrisca?

  2. Acho que essa dúvida talvez seja meio subjetiva, não? “Salto qualitativo dos alunos”? Tem como saber isso? Concordo que muita gente cai de pára-quedas no curso sem ter muita idéia do que vai encarar, mas imagino que os mais desmotivados larguem o curso logo nos 2 primeiros anos. Mas pela minha experiência ao menos, percebi colegas adaptando o curso aos seus conhecimentos e este, precisamente, foi o salto qualitativo. Claro que deve ter gente que se formou só pelo diploma, mas pelo menos não cheguei a perceber isso na minha turma.

    Acho que não há como saber sobre esse suposto salto qualitativo dos alunos antes do ingresso no curso, mas sim depois, quando já ingressaram e são questionados sobre as expectativas do curso, etc. Muita gente acaba se descobrindo bibliotecário/a depois.

    1. Certo, certo. O qualitativo é apenas uma inferência sobre a relação entre o número de candidatos e as vagas oferecidas. Assim como nos concursos públicos, os que ficam nos primeiros lugares são invariavelmente pessoas mais capacitadas e com maior conhecimento acumulado para ocupar o cargo, demonstrado por meio da prova admissional.

      Só que no SISU, como a escolha é feita posteriormente ao recebimento da nota, é como se houvesse o risco de você ter um concurso em que a maioria dos candidatos teve uma nota de regular a ruim. E aí se estebelece um critério de média entre a menor nota e o número máximo de vagas. Um “nivelamento por baixo” supostamente, considerando o perfil médio dos ingressantes no curso, como a gente conhece.

      1. em outros termos: salto qualitativo seria o curso de biblioteconomia concorrido entre os melhores aluno do vestibular, digamos, aqueles com nota 800; e não uma disputa entre aqueles que tiveram nota 600, que é a nota de corte mínima tolerável para passar.

        1. Ah saquei, tu fala dos “alunos elite”. Meu pitaco é que alunos assim, que pensam em cursos de humanas prestem pra administração, jornalismo e quando mto direito mesmo. Biblio é um curso mais pra especializado do que pra genérico, não é a toa que muita gente cursa como segunda graduação. o/

  3. Outros fatores também que fizeram com que aumentasse o número de inscritos foi a questao da taxa para se fazer o vestibular.
    Ate alguns anos atras o aluno pagava para tentar todas as universidades do RJ, por exemplo, uns 500 reais no total de taxas de inscriçao, agora com menos de 50 reais você pode tentar uma vaga e ainda fazer essa comparaçao de canditato vaga do país todo. E alem disso poucas pessoas se dispoem a ir a outro estado para fazer uma prova e agora o ENEM permite que voce faça a prova no seu estado para qualquer curso de qualquer estado sem ter q se descolar para sair do seu estado, nem gastar com locomoçao para realizar prova.
    Obvio que isso sao dois fatores que so estou comentando para demonstrar um dos porques para esse numero de inscritos, pois o aluno tem muita facilidade em fazer a prova tanto em como pagar como em realiza-la e depois pode analisar pela sua nota o curso no qual ele passaria mas so depois que ele vai poder concluir se realmente aquele curso vale a pena. Ate porque esse enorme aumento nos cursos foi geral em todos os cursos do país.
    É é por isso que depois que passa a inscriçao ocorre um enorme número de vagas sobrando e a lista de espera fica praticamente o ano todo em aberto.

    1. Priscilla,
      Esse um dos objetivos do atual modelo do ENEM. Garantir a Mobilidade Estudantil pelo país. Você faz prova em São Paulo para uma instituição lá na Paraíba

  4. Eu acredito que a grande maioria pense assim. No momento em que faço minha inscriçao e vejo minha nota e comparo com a nota de corte e vejo que nao irei conseguir passar, automaticamente começo a procurar qualquer outro curso em que eu teria pelo menos a possibilidade de passar ou tentar a vaga.
    So para a inscriçao nao ser em vao msm e depois o aluno decide se ira ou nao fazer o curso. É mais uma vez por isso justifico a grande quantidade de vagas sobrando e o numero de pessoas na lista de espera

  5. Vou ser bem sincera, fui aprovada no Sisu para Biblioteconomia na UFF, era a minha segunda opção. Na verdade eu tinha uma ideia bem limitada sobre a área… Mas sou concurseira e sei que muitos concursos abrem vagas para esta área, grandes empresas procuram profissionais formados em Biblioteconomia, daí o meu primeiro interesse. Depois eu pesquisei bastante, li vários depoimentos de bibliotecários, vi inúmeros vídeos, blogs (este por exemplo rs) e agora estou encantada pelo curso e pela abrangência que ele tem. E de verdade,me identifiquei tanto que, mesmo sendo aprovada no prouni e na segunda chamada do Sisu para o curso que eu queria, estou decidida a fazer Biblioteconomia. Começo dia 05/03 =)

  6. Acredito que o “boom” dos concursos dos últimos anos tbm tem alguma influência na história. Concurseiros estão percebendo que é relativamente mais fácil passar num bom concurso na nossa área, daí o aumento do interesse.

  7. Olá Moreno!!!
    Sou caloura 2012.1 na Unirio. Biblioteconomia foi a minha primeira escolha. É o que realmente quero.
    Unirio foi escolhida pela sua tradição no curso. O que pude notar em alguns fóruns em redes sociais é que muitos escolheram o curso simplesmente pela nota de corte. A escolha era só para entrar na universidade mesmo. E alguns até confessaram que assim que abrir transferência interna concorrem para mudar para o curso que realmente desejam. No ato da matrícula teve um rapaz que falou que fez a matricula, mas o que ele queria mesmo era Psicologia.
    Acredito que muitos também estão tentando por conta do “aumento da oferta de vagas pode estar associada ao levante econômico do país e a necessidade de adequação à leis que exigem ocupação de profissionais bibliotecários”.

    O que espero é profissionais terminando a graduação com o intuito de melhorar a visão da profissão no mercado de trabalho, seja onde for que ele irá atuar.

  8. Moreno, no caso da UFC a quantidade de vagas sendo 85 se refere aos campus Fortaleza e o campus Cariri – 50 pro Cariri e 35 em Fortaleza no 2012.1 – por isso esse número alto. Em Fortaleza são ofertadas 70 vagas no total, sendo dividas em dois semestres de ingresso.

  9. Sou caloura da Unirio 01/2012 e foi a minha primeira opção no ENEM. Eu acompanhava pelas redes sociais as pessoas trocando de curso enlouquecidamente. Fiz a minha inscrição no primeiro dia e a mantive. Será a minha segunda graduação. Pesquisei muito sobre a profissão e sei que agora estou no caminho que eu quero. Ansiosa pelo início do curso!

  10. gostaria de saber com quantos pontos,posso entrar para fazer biblioteconomia na ufc.(pelo enem)

Deixe uma resposta