Como incentivar seu filho a ler antes dele aprender a ler

Muitas vezes me fizeram essa pergunta.

Conte histórias para ela, desde cedo, coisa de dias mesmo. Adultos gostam de conversar com o bebê fazendo aquela voz irritante de adulto falando como um bebê, acho que se o bebê falasse com certeza reclamaria, como em “olha quem está falando”. Por isso, aproveite seus momentos calmos com o bebê para contar histórias com sua voz normal, a criança agradece e isso melhora sem dúvida sua relação com aquele ser humano para o resto da vida.

Conheço pais que dizem “mas é um bebê, não sabe nada”. Ora, por isso mesmo você deve começar a apresentar-lhe o mundo através das histórias.

Conte qualquer história, importa mais a forma como se conta do que a história em si. Aprenda a adaptar, e muitas vezes adaptar é apenas tirar os excessos de erotismo e violência que as histórias trazem. Criança não é idiota, e aqui fica minha crítica a vários livros e autores infantis e suas histórias imbecis. Criança gosta de aventura, amor, drama, suspense, mistério e terror em tramas bem montadas assim como qualquer adulto. Os contos infantis clássicos trazem tudo isso, “a roupa nova do rei” e “a bela adormecida” são contos infantis, para citar dois dos que mais gosto.

Desconfio que os filhos gostam mesmo é de histórias que ocorreram com os pais, e nessa hora eu aproveito para inventar bastante. As crianças adoram. Também é muito legal contar as histórias que nós escutamos quando crianças, como Comadre Florzinha, Pai do Mangue, Perna Cabeluda, entre outras. Além de garantir uma diversão, mantém a tradição viva por mais uma geração. Uma pesquisa nas lendas urbanas locais também pode ajudar, caso você não conheça.

Essa fase em que a criança não lê ainda, é muito muito importante, pois ela aprende a entrar na história, e ter um livro por perto é bom para ela associar de onde vem a história. Nessa fase pré alfabetização o contato com os livros deve ser frequente, os livros podem fazer parte dos brinquedos das crianças e servir como um brinquedo. Eu sugiro livros de páginas resistentes e que tenham imagens, muitas imagens. Não precisa ter letra nenhuma, apenas imagens para que a criança possa folheá-lo com interesse. Se puder, faça uma estante para os livros ao alcance da criança, para que ela possa buscá-los sozinha. É surpreendente.

Livros de pano, de plástico, de espuma, de madeira, do que for. Livros de 0,50 centavos e de 1 real não podem ser considerados livros caros, e tem vários por aí. São sempre bem-vindos e as crianças gostam muito.

Leia sempre. O exemplo arrasta. Os maiores leitores que eu conheço tinham alguém da família como um grande leitor. Ler é diferente de estudar, a leitura por prazer é diferente da leitura utilitária. Em geral quem lê tem o seu lugar de ler, uma rede, um sofá, e você vai gostar de encontrar seu filho sua filha lendo lá igual a você um dia.

Frequente feiras de livros, livrarias e bibliotecas com as crianças, elas precisam entender que livro é apenas livro e que existem vários, inúmeros deles por aí. Certa vez vi numa livraria uma criança com medo de pegar livros na seção infantil, a mãe do lado marcando em cima para que ela não fizesse bagunça, enquanto minha filha estava sentada com vários livros espalhados. Criança e livro precisam ter uma relação intima.

Fantoches e dedoches fazem sucesso nessa fase, sempre tenha alguns para contar histórias com mais apelo dramático.

Meninos gostam de heróis e meninas gostam de princesas, e não foi a Disney que determinou isso, por mais que as teorias da conspiração digam o contrário.

Você pode aproveitar a história para ensinar algo, é por isso que os contos infantis são um sucesso desde sempre. Se você quer ensinar o valor da lealdade, dos respeito aos mais velhos, da honra, da calma, enfim, do que quiser passar como valor para a criança, conte histórias. Vale muito mais do que horas repetindo isso e aquilo. E a criança aprende bem mais rápido.

Livros podem ser lidos de diversas maneiras, não espere a criança aprender a ler para iniciar seu contato com os livros e o que eles contêm: mágica.

Não é fácil fazer tudo isso e mesmo fazendo pode não garantir que sua criança se torne uma ávida leitora. Mas com certeza terá feito a infância dela mais bacana.

12 pensamentos em “Como incentivar seu filho a ler antes dele aprender a ler”

  1. Os filhos aprendem TUDO pelo exemplo.
    Devemos trata-los com respeito, não imbecilizar com vozinhas e nem mandar sem dar explicações. Desde sempre expliquei e conversei com os meus e colho frutos até hoje.
    Quanto à leitura de gênero, discordo. Menina gosta de herói e menino gosta de princesa. Criança gosta de qualquer história que você conte com paixão e interesse.
    Mas mesmo com exemplo ou incentivo, filhos também são seres independente e desenvolvem gostos além (ou aquém) das nossas expectativas. Pode ser que eles se interessem mais pela culinária do que por livros. E vice-versa. O segredo é fazer a nossa parte com amor 😉

  2. O exemplo tem que começar em casa, cada dia fazendo uma leitura diferente, sendo elas de vários gêneros.

  3. Minha mãe me contava muitas histórias e meu pai sempre me dava livros de presente. Lamento que tenha contado mais histórias aos filhos dos outros do que aos meus, mas pelo menos consegui formar dois leitores. Um com mais fôlego, outra menos… E agora tento investir mais tempo com a caçula, q já AMA livros aos 5 anos e, independente como ela só, diz preferir ler sozinha! Detalhe: ainda não aprendeu a ler! rs
    Desconfio um pouco da qualidade dos livros de 0,50 ou 1,00. Mas sempre frequentei sebos e bibliotecas com eles.

    1. Olá Cilene. Existem livros excelentes por esses preços, sim. Não são livros bem acabado fisicamente, mas trazem os clássicos e podem ser deixados com as crianças sem muito sofrimento financeiro.

  4. Ótima postagem! Mas, bem que poderia estar nas mãos do moço da foto, um livro infantil daqueles bem bacanas, que fazem os adultos virar os olhos e se emocionar… Há tantas publicações dessas perto de nós, menos quantidade, mais qualidade, não é mesmo?

  5. Olá Glaucia. Obrigado! O moço da foto é meu pai hehehehehe a criança do lado é minha filha e meu filho no colo do avô. As histórias da Polly são legais sim, pois são bem cotidianas, e como minha filha já brinca com bonecas Polly, é uma forma de incentivá-la. Mas realmente não são interessantes para adultos. Essa foto tem cerca de 3 anos, hoje ela já tá lendo por conta própria, e ainda adora escutar histórias.

  6. Gostei muito de, finalmente, ler que livro é apenas livro e existem vários… muitos! E não é preciso ter medo de tocá-los! Até podem, mas não devem ser, somente, objeto de adoração. Gostei também de ler sobre a questão da “censura”, do que é bom e do que não é. Já comprei vários livros de 1 real e garanto que fizeram muito bem para as crianças que os folhearam e “leram”. Enfim, gostei muito do texto! Parabéns Gustavo!

  7. muito bom esse artigo, parabéns pelas dicas excelentes.

    meus filhos gostam muito da quelas historia em que os pais são as principais personagens. quer prender seus filhos em uma boa historia, é só contar um pouco da sua história de infância para eles, eles vão amar.

Deixe uma resposta