Mestrado de biblioteconomia e ciência da informação no Canadá

Em dezembro, terminei meu mestrado em biblioteconomia e ciência da informação. Eu estudei na Universidade de British Columbia, no Canadá, onde resido há quase sete anos. A convite do Moreno, passo a integrar a equipe de colaboradores do Bibliotecários Sem Fronteiras, e achei que seria legal estrear minha participação aqui falando um pouco de como foi o meu mestrado.

Pra começar, eu não sou graduada em biblioteconomia. Sou jornalista por formação acadêmica, e web-qualquer-coisa por experiência profissional. Foram mais de 10 anos entre a minha graduação e eu finalmente voltar à universidade para fazer um mestrado, que sempre quis. Acabei escolhendo biblioteconomia, mas não vou explicar o motivo aqui agora. O fato é que aqui no Canadá, você não precisa ser necessariamente graduado em biblioteconomia para fazer mestrado na área.

Até porque não existe curso de graduação em biblioteconomia no Canadá.

Biomedical Library
Biomedical Library. Foto de UBC Library Community, no Flickr, sob licença Creative Commons

Posso até ver as caras de espanto do outro lado da telinha. Estranhei muito isso também. O que até me fez questionar o quão “mestrado” era esse mestrado que eu estava fazendo, se tudo que estava estudando aqui, em nível de mestrado, meus colegas no Brasil viram na graduação.

Quer saber outra coisa diferente do mestrado aqui? Não precisei fazer dissertação. O MLIS (Master of Library and Information Studies, em inglês) aqui é considerado um mestrado profissional, tipo um MBA. Por isso não exige que você faça dissertação para obter o grau de mestre. A dissertação é opcional e é geralmente feita por aqueles que querem seguir uma carreira acadêmica, prosseguir para um doutorado e fazer pesquisa na área de ciência da informação. Não fiz dissertação e não faço ideia do que vai ser de mim se um dia eu resolver fazer um doutorado.

Exigências do mercado de trabalho para bibliotecários

Para trabalhar como bibliotecário aqui no Canadá, as bibliotecas – sejam públicas, acadêmicas ou corporativas – exigem que o candidato tenha o MLIS, o mestrado em biblioteconomia. Existe um curso técnico de biblioteconomia, que não tem nível de graduação. Os técnicos são mais envolvidos na área de catalogação. Em poucos casos, os técnicos podem atender o público em serviços de referência. A diferença é o salário e a hierarquia dentro da biblioteca. Os bibliotecários com mestrado ganham mais que os técnicos, e podem exercer cargos de gerência.

Irving K. Barber Learning Centre
Irving K. Barber Learning Centre. Foto de UBC Library Community, no Flickr sob licença Creative Commons

Estrutura do mestrado

O mestrado dura, em média, dois anos. Dá pra fazer em menos tempo se você pegar matérias durante o verão. O ano letivo vai de setembro a abril (dois períodos de 13 semanas cada), e grande parte dos alunos não estuda no verão (de maio a agosto). Ou trabalham, ou somente curtem o pouco sol que temos aqui no hemisfério norte. Pra quem decide estudar no verão, há dois períodos de seis semanas cada com duas aulas por semana em cada disciplina. Durante o outono e inverno, as aulas são semanais.

Para concluir o curso, o aluno deve alcançar 48 créditos. Cada disciplina tem três créditos. Então, com 16 matérias você fecha o curso. Você pode pegar até cinco matérias por período, no máximo. Em dois períodos eu tive quatro e foi muito! Cada aula semanal tem três horas de duração. Mas estima-se que, para cada hora dentro de sala de aula, o aluno deve gastar outras três horas fora de sala de aula com as leituras e trabalhos. Não dá pra estudar e trabalhar nesse ritmo, apesar de que muitos dos meus colegas trabalhavam também.

O que se estuda no mestrado?

São seis as disciplinas obrigatórias. Quatro delas você pega assim que entra no curso: Fundamentos da tecnologia da informação, Fundamentos sobre a sociedade e organizações de informação, Introdução ao controle bibliográfico, Introdução à serviços e fontes de referência. (Desculpem se a nomenclatura não é totalmente correta em português, estou tentando traduzir os nomes das disciplinas. Meu jargão profissional é todo em inglês, desculpem). As outras disciplinas obrigatórias são Gerenciamento de organizações de informação e Métodos de pesquisa.

Fora essas, você pode escolher o que quer fazer de eletivas no resto do curso. Há várias disciplinas dedicadas a serviços para crianças e jovens; disciplinas técnicas como indexação e catalogação (não é obrigatório fazer catalogação para concluir o mestrado. Lembrem, são os técnicos que se especializam nesta área); serviços especializados como biblioteconomia aplicada a registros médico-hospitalares, legais, governamentais ou corporativos; cursos ligados à parte técnica de sistemas, base de dados, programação e tudo ligado a TI; disciplinas sobre o gerenciamento de bibliotecas, arquitetura e planejamento do espaço; livros raros; preservação e arquivo; bibliotecas digitais; e muito mais. Você pode ver a grade de cursos oferecidos na UBC aqui.

O que eu estudei

Eu tentei fazer um pouquinho de tudo, mas tentei focar na parte de serviços para crianças, que é a minha paixão. Contar histórias, cantar músicas para os pequenos. Estudei sobre a formação dos bebês e sobre como é importante ler pra eles desde o nascimento, se possível. Estudei sobre a formação da linguagem, sobre o desenvolvimento motor e intelectual das crianças até cinco anos e como as bibliotecas podem ser fontes super úteis para os pais nesse período crítico de desenvolvimento dos seus filhos. É fascinante!

Também tive que estudar um pouco sobre literatura canadense e norte-americana, conhecer os autores, os livros clássicos de cada geração.

Estudei novas mídias para crianças e jovens e como incorporar a tecnologia dentro das bibliotecas.

Fiz questão de estudar catalogação, mesmo não sendo obrigatório. Acho que essa disciplina faz parte do coração da biblioteconomia.

Também escolhi algumas das disciplinas mais técnicas como Desenho de banco de dados e Sistemas de automação.

Fugi das disciplinas mais teóricas, da ciência da informação.

UBC Main Library
UBC Main Library, onde fica a Escola de Biblioteconomia, Estudos de Informação e Arquivo. Foto de Thomas Chung, no Flickr, sob licença Creative Commons

Próximos passos

Agora, estou à procura de trabalho. Com o meu diploma, eu posso trabalhar em bibliotecas públicas, acadêmicas ou especializadas/corporativas. Não posso trabalhar em bibliotecas de escola primária ou secundária. Para isso é preciso ser professor também, ter um certificado em Educação. Isso vale para o Canadá somente. Nos Estados Unidos, podemos trabalhar em escolas também.

Por enquanto, estou tentando me manter envolvida na área voluntariando na biblioteca escolar das minhas filhas. Uma vez por semana vou ajudar a professora-bibliotecária a guardar os livros nas estantes.

Imagem principal: Koerner Library, no campus da UBC. Foto de David Baron, no Flickr, sob licença Creative Commons.

39 pensamentos em “Mestrado de biblioteconomia e ciência da informação no Canadá”

  1. Ana querida, que bom ler seu relato de formação e poder participar um pouquinho disso tudo. Parabéns! O currículo do curso é excelente. Quantas portas se abrirão daqui pra frente. Tenho certeza de que sua colaboração para os “Bibliotecários Sem Fronteiras” será incrível. É realmente uma grande Vitória. God bless you. POG!

  2. Ana, boa tarde.
    Adorei seu relato. Isto ajuda bastante outras pessoas que estão procurando cursos no exterior.
    “Super curti” a parte “Fugi das disciplinas mais teóricas, da ciência da informação”. Também estou fugindo, mas no doutorado acho que não vai ter jeito.
    Estou aguardando ansiosamente seus próximos posts,
    Forte abraço,
    Érica Saito

    1. Eu até tive algumas aulas mais teóricas, e era tudo super interessante mesmo. Mas como meu objetivo era trabalhar na área e não dar aula, acabei focando nas disciplinas mais práticas.

  3. Aqui no Brasil, também não é necessário ser graduado em uma área pra fazer uma pós stricto senso em outra. Só pra constar!

    1. Obrigada, Joel. Eu acho que sabia disso também. Mas é mais comum as pessoas seguirem a mesma área da graduação aí, não?

  4. Hola, soy bibliotecaria con 19 años de experiencia en procesos técnicos. Gracias por el relato es hermoso y alentador, en nuestro país (Venezuela) no tenemos maestría en bibliotecología, pero este año la Universidad de Los Andes (Mérida) abrió un diplomado en gestión bibliotecaria que estoy haciendo y es bastante bueno.

    1. A anuidade era cerca de 5 mil dólares. Mas eu sou estudante residente aqui. Pra estudantes internacionais é mais caro, mas não sei quanto. Geralmente nos sites das universidades há informações sobre valores.

  5. Oi Ana. Interessante seu relato. Tive a mesma experiência mas nos EUA. No entanto, é importante complementar algumas informacoes para aqueles que tem o mesmo interesse.

    Fiz o mestrado em biblio com ênfase em gerência da informação na Carolina do Norte. Sou bibliotecária e foi tudo muito tranquilo. Eu queria trabalhar e ter a experiência e só foi possivel com o mestrado feito.

    Voltei ao Brasil e tive que revalidar o diploma e foi tudo bem. Apresentei todos os trabalhos que envolviam pesquisa para “compor” uma dissertação.

    É uma excelente experiencia. Recomendo!!! Mas agora vem o alerta.

    Caso exista o retorno ao Brasil é obrigatório o diploma de Bacharel em biblio (pelo menos a teoria e a lei dizem isso…) e o registro profissional para exercer a função de bibliotecário!

    Achei importante deixar este esclarecimento a outros interessados.
    Abs,
    AnaG.

    1. Obrigada por esclarecer este ponto, Ana. Eu não tenho previsão de voltar a morar no Brasil, então não sei mesmo como seria no meu caso se um dia resolvesse voltar. Mas pra quem pensa em sair do Brasil pra fazer mestrado e voltar, foi super pertinente seu comentário.

  6. Adorei, esse relato me anima. Fico triste com o QI dos mestrados aqui no Brasil, deveria ser simples assim. Maria do P Socorro-Bibliotecária UFRJ

    1. Eu não cheguei a fazer mestrado no Brasil, mas tive amigos que fizeram, e a impressão que sempre tive era que o mestrado no Brasil é bem mais acadêmico, pra quem quer ser professor um dia. Claro que deve haver mestrados onde o foco é pesquisa aqui também, só que este meu não foi assim.

  7. Em termos acadêmicos, foi muito interessante e importante seu relato para que possamos fazer comparações com as estruturas adotadas aqui e levar essas experiências para discussão no ambiente acadêmico, com esperanças de mudanças mais radicais. A grade é sensacional.
    Quanto ao mercado de trabalho,é bam mais complicado,há uma grande diferença que é a formação na graduação, aqui obrigatória, por lei. Um abraço e sucesso.Paula Mello

    1. Como assim? Aqui o valor é que tenho as qualificações que o mercado exige para trabalhar como bibliotecária. No Brasil, não sei. Como outra pessoa comentou aqui, aí no Brasil precisa ter graduação, né? Não sei como seria validar meu mestrado caso eu voltasse a morar aí.

  8. Também gostei muito do seu relato.
    Fiquei em dúvida quanto ao seu ingresso no mestrado na Universidade de British Columbia.
    Passou por um processo seletivo? Apresentou pré-projeto e/ou fez prova?

    Obrigada, Larissa Costa

    1. Pra entrar no mestrado tem que fazer inscrição preenchendo um formulário gigantesco onde você responde várias questões relacionadas com a profissão e como você se encaixa nela. São várias perguntas e cada resposta seria uma mini-redação basicamente. Tive que fazer prova de inglês (TOEFL) e mandar toda minha documentação da graduação traduzida juramentada. Além de ter que mandar carta de três referências, professores ou chefes. Foi um processo longo até conseguir juntar toda a papelada. Eles avaliam o currículo do candidato, o histórico acadêmico e profissional, e as respostas do formulário. Pelo menos foi assim na UBC. Não precisei apresentar projeto nenhum.

  9. Muito legal teu relato e bom saber dos desafios superados por ser uma profissional com raízes em outra área. Interessante também tuas escolhas voltada a formação do público infantil que apesar dos “avanços” das escolas brasileiras ainda temos muito a fazer com nosso primeiros leitores. Mas como nem tudo é perfeito fico triste quando colocas que nas bibliotecas escolares é permitido trabalhar somente professor. Isso é um absurdo pois tenho certeza que tens e muita competência. Sucesso e parabéns pelas belas escolhas.

    1. Rosane, os bibliotecários que trabalham em escolas aqui também dão aula. Por isso a exigência da certificação em educação. Eu também acho que os bibliotecários poderiam dar conta do recado numa boa, mas regra é regra, né? Pelo menos podemos trabalhar com crianças nas bibliotecas públicas aqui. Tem muita coisa bacana que dá pra fazer!

  10. Querida filha, parabéns pela sua determinação e conquistas. Amei seu relato sobre a conclusão do mestrado. Continue caminhando e buscando realizar todos os bons desejos e sonhos do teu lindo e precioso coração. Beijos da sua mamãe muito coruja !!

  11. Olá Ana tudo bem, gostaria de saber se o curso em biblioteconomia nos Estados Unidos é mestrado, graduação ou especialização. Se você puder me informar fico muito agradecido.

    1. Oi Cristiano, não sei se nos EUA eles têm graduação. Só pesquisando pelas universidades mesmo.

  12. Ana! Sou estudante de Biblioteconomia aqui no Brasil e adorei seu post pois tenho muita vontade de fazer mestrado por ai! rs

    Gostaria de saber sobre seu ingresso na universidade, você só precisou organizar a papelada (um questionario, o exame de idioma, e as cartas de recomendações) ? quero dizer, não teve nenhuma prova nem nada dessas coisas( como no brasil)?

    Tambem gostaria de saber se existe alguma taxa que deve ser paga antes e durante o curso

    E, por ultimo, tenho interesse na universidade McGill.. voce saberia me dizer que ela é uma universidade gratuita e etc?

    Muito obrigada!

    1. Mariane, o processo de seleção na UBC foi só o formulário, histórico de graduação (traduzido juramentado), prova de inglês e só. Não teve prova nenhuma e não tive que apresentar proposta de dissertação. Acho que tive que pagar uma taxa de inscrição, não lembro direito agora. Mas deve ter sido menos de 100 dólares.

      Nenhuma universidade na América do Norte é gratuita. Todas são pagas. As universidades recebem subsídio do governo e por isso tem uma taxa menor para estudantes que moram aqui. Estudantes internacionais pagam mais.

    1. Tiago, recomendo que você procure as universidades canadenses que oferecem o curso. A University of British Columbia tem. E tem outras duas universidades em Ontario que também tem. Procure por Library Science PhD program. Os sites das universidades são bem completos e têm tudo de informação que você precisa.

  13. Adorei o post Ana, muito esclarecedor, porém fiquei com uma dúvida. Os profissionais que fazem graduação e mestrado aqui no Brasil podem validar seus diplomas e exercer a profissão aí sem problemas? Obrigada.

    1. Nayeli, não sei como funciona o caminho contrário. Acredito que não precise de validação formal, mas posso estar enganada.

      O que acontece é que algumas bibliotecas exigem que o candidato tenha formação de uma instituição de ensino reconhecida pela ALA (Associação de Bibliotecas Americanas). Não sei como eles tratam candidatos que tenham formação fora da América do Norte.

  14. Oi Ana, adorei sua postagem, sou estudante de Biblioteconomia em São Paulo, e quero fazer minha pós no Canadá, sabe me informar se as aulas são em Francês ou inglês. E como posso me inscrever.
    Obrigada, e boa sorte na procura por uma colocação.

    1. Minhas aulas foram todas em inglês. Só falam francês no Quebec, e mesmo assim, na universidade de Montreal acredito que eles falem inglês também.

      Para se inscrever, procure informações específicas na universidade de sua escolha.

  15. Boa Tarde Ana, sou graduando de Biblioteconomia e Ciência da Informação no Brasil.
    Estou pensando em ir para o Canadá no próximo ano, assim que acabar a graduação, e estou procurando por mestrado na área…
    Você sabe me dizer se alguma universidade oferece bolsa de estudo?

  16. Oi, Ana. Eu amei teu relato. Tbm sou jornalista formada e estou estudando biblioteconomia (1 semestre ainda!). Sonho em morar aí e amei saber sobre esse mestrado. Seria algo maravilhoso na minha vida!

  17. Oi Ana
    Amei o post parabéns. Sou formada em biblioteconomia e exerço a profissão em biblioteca escolar e amo! Quando você diz que precisa ter certificação em educação para trabalhar em biblioteca escolar, você diz em nível de graduação, pós ou mestrado?

    1. Obrigada, Roberta! Eu não tenho certeza, mas acredito que seja alguma formação em educação em nível pós-secundário. Quando eu estava na UBC, eles disseram que se eu quisesse trabalhar em escolas, teria que fazer uma formação extra lá mesmo, não seria graduação, seria tipo uma pós em educação, eu acredito. Se a pessoa já tem formação de professor (graduação), é só fazer o mestrado em biblioteconomia e pode trabalhar em escolas. Acho que é isso.

  18. Olá! Eu gostaria de saber se vcs tem informações sobre biblioteconomia na parte francesa do Canadá.

Deixe uma resposta