A primeira numeração impressa

tradução do original The First Printed Page Numbers

A imagem abaixo é a digitalização de uma folha impressa por Arnold Ther Hoernen, Colônia, 1470 (segundo impressor de Colônia depois de Ulrich Zel). O livro, Sermo em festo praesentationis beatissimae Mariae Virginis, é especial pois trata-se do primeiro livro (sobrevivente) a incluir paginação impressa (números de página*), visto abaixo impresso nas margens, na metade da página.

3381695

Numeração impressa de páginas (algo que parece bastante necessário e óbvio hoje) só se tornou prática tipográfica comum a partir do final do século XVI. E antes do livro impresso, a paginação permaneceu rara até o fim da Idade Média**, e de uso indicial ou citacional limitado, já que os manuscritos eram muito raramente idênticos.

Hoje é difícil imaginar livros sem paginação. Os números de página tornam mais fácil mencionar, citar e cruzar referências – que por sua vez tornam o acesso, estudo e comparação de textos muito mais fácil.

composite-page-numbers-first

Talvez você tenha notado que os algarismos arábicos – 4, 5 e 7 – na imagem composta diferem daquelas que usamos hoje. Estas formas eram comuns em manuscritos medievais (o J é simplesmente o numeral romano 1.)

arabic-numerals-evolution Figura traçando a evolução parcial de algarismos arábicos. Fonte: The Development of Arabic Numerals in Europe Exhibited in Sixty-Four Tables.

Não foi até o século X que algarismos arábicos chegaram a Espanha, embora eles não tenham sido usados ​​até o século XIV. A partir do final do século XV, os números 4, 5, 7 começaram a assumir as formas que estamos familiarizados hoje.

Referências:
*Paginação é a numeração sequencial de páginas.

** The Palaeography of Gothic Manuscript Books, p. 33

Margaret M. Smith. “Printed foliation: forerunner to printed page-numbers?” — Gutenberg Jahrbuch 63 (1988), pp. 54–57

Introduction to Manuscript Studies — Clemens & Graham, pp. 92–94

Latin Palaeography: Antiquity and the Middle Ages — Bernhard Bischoff, p. 132

The Development of Arabic Numerals in Europe Exhibited in Sixty-Four Tables (Oxford, 1915) [available at archive.org]

The Oxford Companion to the Book , Vol. 2, p. 726 & 994

1 pensamento em “A primeira numeração impressa”

  1. Muito bacana. O livro é uma tecnologia da informação que só evolui com o tempo. A paginação é uma coisa muito curiosa mesmo. Foi pela falta ou impossibilidade de paginar que se dividiu a Bíblia em capítulos e versículos.

Deixe uma resposta