Onde está Biblioteconomia?

Estava eu na livraria Cultura do centro do Rio de Janeiro procurando livros da área de Biblioteconomia perto da área de História, onde se encontravam desde a inauguração da loja.

Fui, voltei e não consegui localizá-los…

Quando desisti, perguntei ao funcionário da loja sobre a localização dos livros de Biblioteconomia, que disse: “Está ali embaixo, perto da  História.”.

Indo lá conferir, não achamos Biblioteconomia. Daí, ele perguntou ao colega que disse estar lá em cima, perto da Administração.

Será esse um reflexo das mudanças em nosso cenário profissional e no imaginário social ou apenas não havia espaço nas estantes perto da História?

Fundamentalmente, estávamos bem mais próximos da História do que da Administração, como pode ser observado nos quadros abaixo, que trazem as disciplinas das grades curriculares dos primeiros anos dos cursos de Biblioteconomia no Brasil:imagem2

Biblioteca Nacional
1915 (1 ano) 1931 (2 anos)
•Bibliografia;•Paleografia; •Diplomática; •Numismática •História Literária com aplicação à Bibliografia;•Iconografia e Cartografia;• Bibliografia;• Paleografia;• Diplomática.

 

Mackenzie Departamentode Cultura deSão Paulo
1929 – 1931 1936 – 1937
•Catalogação; •Classificação; •Referência. •Catalogação; •Classificação; •Referência.

 

Fonte: O profissional da informação: formação, perfil e atuação profissional, organizado pela Martha Valentim, disponível na Biblioteca Central do Gragoatá da Universidade Federal Fluminense

Com o passar dos anos, refletindo transformações econômicas e conjunturais, a formação do profissional bibliotecário, antes centrada em técnicas de organização de acervos, passou a abranger temas de cunho mais gerencial e, posteriormente, tecnológico, como recuperação da informação em bases de dados, seleção de softwares para bibliotecas, gestão da informação, gestão do conhecimento, inteligência competitiva e empresarial.

Além disso, disciplinas prevendo alguma especialização ainda na graduação, contemplando fontes de informação e temas específicos da área, passaram a serem ofertadas como disciplinas eletivas e optativas, sendo exemplos “Informação em Ciência & Tecnologia”, “Informação Jurídica” e “Informação em Arte”.

O crescimento da atuação bibliotecária também está refletido na Classificação Brasileiras de Ocupações – CBO. Em sua última revisão, de 2002, o profissional bibliotecário saiu da família ocupacional, onde figurava ao lado de arquivistas e museológos para constituir ocupação principal de uma nova família criada para abrigar as mudanças decorrentes do cenário vigente.

Antes, na CBO de 1994, o profissional bibliotecário aparecia da seguinte forma:

Código CBO: 1-91.20

Título: Bibliotecário

Sinônimos: Responsável de biblioteca Bibliotecário-chefe Bibliotecário de divisão técnica Biblioteconomista Bibliotecônomo Chefe de biblioteca Chefe de biblioteca e documentação científica Chefe de documentação e biblioteca Chefe de documentação e registro Chefe de setor de biblioteca Classificador bibliográfico Coordenador de biblioteca Diretor bibliotecário Diretor de biblioteca Encarregado de biblioteca Supervisor de biblioteca.

Descrição Resumida: Organiza, dirige e executa trabalhos técnicos relativos às atividades biblioteconômicas, desenvolvendo um sistema de catalogação, classificação, referência e conservação do acervo bibliográfico, para armazenar e recuperar informações de caráter geral ou específico, e colocá-las à disposição dos usuários, seja em bibliotecas ou em centros de documentação.

Código CBO: 1-91.90

Título: Outros bibliotecários, arquivologistas e museólogos

Sinônimos: Filmotecário Gerente de divisão de obras de arte Restaurador de livros e documentos Ajudante de documentação técnica Auxiliar de documentalista Auxiliar de museus Bibliotecário tradutor Subchefe de setor de cinemateca Supervisor de controle de volumes

Descrição Resumida: Incluem-se aqui os bibliotecários, arquivologistas e museólogos, não-classificados nas anteriores epígrafes deste grupo de base, por exemplo, os que se especializam na aquisição, avaliação, classificação, compilação e catalogação de documentos sobre assuntos de interesse para organizações comerciais e de outro gênero.

Com as modificações realizadas na CBO publicada em 2003, o profissional bibliotecário passou a figurar da seguinte forma:

2612: Profissionais da informação

2612-05 – Bibliotecário Biblioteconomista, Bibliógrafo, Cientista de informação, Consultor de informação, Especialista de informação, Gerente de informação, Gestor de informação

2612-10 – Documentalista Analista de documentação, Especialista de documentação, Gerente de documentação, Supervisor de controle de processos documentais, Supervisor de controle documental, Técnico de documentação, Técnico em suporte de documentação

2612-15 – Analista de informações (pesquisador de informações de rede) Pesquisador de informações de rede

Descrição Sumária: Disponibilizam informação em qualquer suporte; gerenciam unidades como bibliotecas, centros de documentação, centros de informação e correlatos, além de redes e sistemas de informação. Tratam tecnicamente e desenvolvem recursos informacionais; disseminam informação com o objetivo de facilitar o acesso e geração do conhecimento; desenvolvem estudos e pesquisas; realizam difusão cultural; desenvolvem ações educativas. Podem prestar serviços de assessoria e consultoria. (BRASIL. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO, 2003)

Teoricamente, já ficou clara a nossa posição… E no dia-a-dia, na prática, estamos mais próximos da História ou da Administração?

12 pensamentos em “Onde está Biblioteconomia?”

  1. Eu me formei num Centro de Artes e Comunicação (UFPE). E sempre vi a biblioteconomia muito mais ligada à comunicação do que a outras disciplinas. Reconheço que cada vez mais estamos voltados para administração (gestão), o que eu acho péssimo e perigoso, pois é robotizado demais. Muito bom o post.

    1. Obrigada, Gustavo! Uma coisa que sempre me pergunto também é se essas variações em nossa formação (umas mais sociais, outras mais gerenciais, algumas mais tecnológicas…) é positivo ou negativo para a nossa classe profissional.

  2. Gostaria de fazer o Curso de Biblioteconomia, já sei que foi liberado em EAD, mas não consigo achar uma faculdade que o ofereça. Você pode informar-me alguma? Tenho o Curso de Auxiliar de Biblioteca pela UFF, mas adoraria fazer o outro. Grata

  3. A UFRJ também está preparando (abriu edital para elaboração de material didático).

    Há também em particulares, como a Universo.

    Eu, particularmente, não tenho informações sobre a qualidade dos cursos.

  4. Carol,

    adorei a pergunta. Já tive esse questionamento.

    Já me perguntei sobre essa organização e notei que não encontraria tantas respostas classificatórias como temos (e temas) nas bibliotecas.
    Talvez seja uma organização de espaço, talvez uma estratégia de marketing. São tantos “talvez” que não sei se as respostas são anteriores à classificação/ordenação.

    Na Saraiva, por exemplo, os livros “de” Biblioteconomia ficam ao lado dos livros “de” Moda.

    Maria Tereza,

    como fonte formal: sugiro que consulte o site do MEC. Lá tem as relações de cursos e as respectivas avaliações.

    1. De fato, muitos “talvez” que nos afligem… *rs

      Ótima sugestão, Mari: buscar nas fontes formais.

      Estamos tão habituados às indicações – que, para a maioria de nós, são mais valiosas – que esquecemos das fontes formais.

  5. Carol, excelente texto. Confesso que as livrarias sempre me deixam angustiada. Vc relata o local dos livros de nossa área. E a organização dos mesmos?
    Procurar um livro numa livraria, pra mim, é uma tarefa quase impossível e quando peço ajuda, num piscar de olhos o livro aparece.
    Certa vez perguntei a um atendente e ele me explicou que dentro do assunto organizam por editora, mas não precisa ser em ordem alfabética. Me senti como os usuários a decifrar a localização que atribuímos.
    Outra reflexão: Procurar livros em bibliotecas e livrarias, uma missão quase impossível.

  6. Tenho uma pergunta. Será que alguém poderia responder? Sou professor de Geografia (UFRJ) e História (UFF), com especializações em Educação (UERJ) e Ensino de Geografia (UFRJ). Estou próximo da aposentadoria. Tenho 54 anos. Gostaria de saber se há, para mim, alguma chance de colocação no mercado de trabalho como Bibliotecônomo, após um curso de Graduação em Biblioteconomia EAD.

Deixe uma resposta