Bibliotecas nas propostas de governo dos candidatos à presidência nas eleições de 2014

Para conseguir as propostas de governo, acesse o site do TSE: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/sistema-de-divulgacao-de-candidaturas

Aécio Neves

III CULTURA:

15. Robustecimento do Sistema Nacional de Bibliotecas, com vistas a implantar novas unidades e socorrer bibliotecas regionais de referência, detentoras de acervo de valor nacional, que serão beneficiadas com apoio federal, mesmo sem ter vínculo formal com o governo central.
16. Estímulo a empresas estatais e privadas para a adoção de instituições culturais de âmbito nacional – museus ou bibliotecas, assegurando a sua sustentabilidade.

IV. EDUCAÇÃO

8. Apoio à modernização dos equipamentos escolares, incluindo a instalação de bibliotecas e laboratórios, computadores e acesso à Internet, e adequação térmica dos ambientes para o tempo de verão, garantindo a todas as escolas brasileiras condições adequadas de infraestrutura, incluindo conexão WIFI acessível a todo estudante.

Dilma Rouseff

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Eduardo Jorge

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Pastor Everaldo

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Levy Fidelix

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Zé Maria

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Eymael

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Luciana Genro

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

Marina Silva

Não tem a palavra biblioteca na proposta de governo

19 pensamentos em “Bibliotecas nas propostas de governo dos candidatos à presidência nas eleições de 2014”

  1. Sem entrar no merito se o 1o candidato da lusta ura de fato cumprir o que diz, claro esta que os demaus representam a manutencao do Brasil burro, subdesenvolvido e marginal

    1. Não acredito nas proposta de governo de Aercio Neves. Pois conheço bem a politica do PSDB!!

  2. Atualmente, no governo Dilma ocorre um dos maiores movimentos da história em favor das bibliotecas públicas e escolares, que é o Plano Nacional do Livro e da Leitura. Se obtiverem o devido êxito, o Plano Nacional de Cultura e o Plano da Leitura que mencionei poderão transformar nossas bibliotecas. Claro que não será de uma hora pra outra. Há uma grande articulação ocorrendo no Brasil em favor da leitura e das bibliotecas. É necessário estarmos atentos ao que ocorre no país.

  3. Se é assim José Paulo, esse movimento em favor da leitura e das bibliotecas, que você diz estar acontecendo, devia estar presente nas propostas de governo de Dilma. Ora, como não está, podemos concluir que tal movimento provavelmente não tem importância suficiente para constar dessas mesmas propostas, caso contrário estaria lá…

  4. Meus caros.
    Todos sabemos que os planos lançados nessa época são pura marmelada. É doce na boca da criança e roubado depois.
    Os tucanos são bons de bico e de escrita mas na hora de fazer são tão piores quanto os petistas, que ao menos tentam algo. Nas gestões do FHC nada foi feito.
    Nós temos que fazer. Nós temos que peitar TODOS ESSES CARAS!!!

  5. Prezado Tiago, acredito que você não tenha tomado o cuidado necessário ao realizar esse levantamento junto aos programas de governo dos candidatos. Prefiro pensar assim, do que imaginar algum tipo de partidarismo que tenha lhe influenciado a escrever um artigo parcial e inverídico como este.

    Em uma rápida pesquisa para confirmar suas informações, constatei que no programa de Marina Silva existe 13 referências a palavra “biblioteca”, 9 para “bibliotecas” e 1 para “bibliotecário”. Uma das propostas constantes no documento, diz: “Apoiar as bibliotecas públicas e comunitárias. Modernizar espaços e atualizar acervos. Criar um fundo direto para a aquisição de publicações e equipamentos e para a viabilização de cursos e programação cultural. Fortalecer o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, bem como os sistemas estaduais.” Para maiores detalhes, sugiro que os interessados leiam o Eixo 3 do programa de governo de Marina Silva. (http://marinasilva.org.br/programa/)

    Em se tratando do programa de governo da candidata Dilma, a palavra biblioteca e seus derivados, realmente não aparecem. Mas, o termo “educação” é utilizado 26 vezes. Pela rápida leitura que realizei, investimentos na área da educação, como os royalties do Petróleo, devem impactar em nossa área também. Programa de governo da Dilma Bolada: https://programadegoverno.dilma.com.br/wp-content/uploads/2014/07/Programa-de-Governo-Dilma-2014-RGB1.pdf .

    Não realizei consultas nos programas de governo dos candidatos restantes.

    Por fim, sugiro que você coloque algum tipo de “errata” em seu post. Afinal, como bibliotecários devemos preservar os princípios da veracidade e imparcialidade, além de preservar o cunho liberal e humanista da profissão, fundamentado na liberdade de investigação e na dignidade da pessoa humana.

    Tenha um bom dia!

    1. Mauricio, muito obrigada pelo levantamento junto aos Programas de Governo. Sou bibliotecária e “Educação” é tudo.

  6. Oi Mauricio, a consulta foi feita nas propostas que foram enviadas e estão disponíveis no TSE. Faltou aos candidatos enviarem as propostas que estão em seus sites para o TSE.

  7. Pingback: Eleições 2014
  8. Prezados,

    Absurdo esse boletim, defendendo o Partido político num espaço que é público. Logo o PSDB, que nunca investiu adequadamente nas bibliotecas escolares, que nunca fez um concurso para bibliotecário na Educação. Me sinto ofendida ao ver esse conselho que pertence aos bibliotecários ser usado dessa forma para se fazer uma apologia a esse tipo de governo, sendo que isso não pode ser pra nenhum partido ainda mais para esse PSDB que tanto prejudicou a nossa classe ao deixar bibliotecas escolares do jeito que estão, como vcs do CRB bem sabem. Eu como profissional, que contribuo financeiramente para a manutenção dessa instituição exijo uma retratação, ou vou tomar as medidas cabíveis pela lei eleitoral.

    Atenciosamente e aguardo provid?ncias,

  9. Não acredito na proposta de nenhum candidato. Infelizmente não temos nenhum governo que realmente preocupa com educação. exemplo: 10 anos para adequar escolas para que tenha um espaço para Bibliotecário atuar, Escola sem uma biblioteca e um profissional capacitado para atuar, realmente não consigo entender. Não confio na proposta de nenhum deles infelizmente.

  10. Estou dando uma olhada no Programa de governo da candidata do PSOL e há algumas idéias diferentes do comum. Recomendo uma olhada.

    Destaco alguns pontos:

    3. Construção de bibliotecas públicas federais

    O Brasil tem índices tragicamente insuficientes na relação entre o número de bibliotecas e a quantidade de habitantes, estando atrás de países com menores índices econômicos e produtivos. Ao mesmo tempo, as bibliotecas do país são marcadas pela inadequação do acervo que não atende à demanda, por dificuldades de acesso e utilização e pela extremamente precária capacitação profissional. Quando tratamos desses dados observando as disparidades regionais, os números são ainda mais alarmantes, com claro prejuízo para as populações do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Tratar dessas disparidades – tanto da relação biblioteca-habitante quanto da relação biblioteca-região – deve ser uma prioridade para que o escasso acesso ao hábito da leitura no Brasil seja combatido. Além da obrigatoriedade da construção desses equipamentos nos municípios, como trataremos em outra proposta, orientaremos em todas as cidades com população acima de 150.000 habitantes a construção de equipamentos no modelo das bibliotecas-parque, com incentivos do governo federal, e equipamentos públicos multifuncionais em áreas de risco e com acesso imediato e fácil à informação.

    7. Rede integrada de equipamentos culturais e obrigatoriedade de bibliotecas, espaços de memória e centros culturais em cada município

    Tidos como elementos secundários nos planejamentos de obras dos municípios, os equipamentos culturais devem ser entendidos como meios de desenvolvimento humano e, inclusive, econômico de cada município, devendo ser tratados como instrumentos norteadores dentro das estratégias de políticas públicas municipais e estaduais. Para tanto, além de promover uma rede nacional de equipamentos culturais integrada, que leve em conta os instrumentos públicos federais, estaduais ou municipais e também os controlados pela iniciativa privada, devemos condicionar a criação de novos municípios à existência de equipamentos culturais básicos tais como: biblioteca, espaço de memória e centro cultural de uso múltiplo. Paralelamente deve-se estabelecer um prazo para adequação dos municípios já existentes dentro de uma relação razoável entre cada equipamento e o número de habitantes.

    Também posso destacar a luta para orçamento de até 2% para a cultura.

    Enfim, aqui é um espaço público, cada um escreve o que quer, e sob esse aspecto eu votarei na Luciana Genro.

    http://lucianagenro.com.br/programa/cultura/

  11. Realmente nunca vi interesse pelas bibliotecas em partido algum, sempre fomos massacrados enquanto bibliotecários…com prefeitos colocando professores no lugar de bibliotecários, e infelizmente não temos a quem recorrer.

Deixe uma resposta