Melhores blogs do ano

andre barros

arte de andre martins de barros

Eu queria escrever um post fodasso sobre o ano que passou, sobre a minha ausência do BSF, a minha percepção sobre a dinâmica da blogosfera, sobre como a biblioblogosfera brasileira vai ser meu objeto de estudo no mestrado, sobre como eu estou engajado com a ExtraLibris, como eu estou feliz pela solidificação do BSF e sobre todas as iniciativas que estão se desenvolvendo por pessoas com potencial incrível que fazem ou contribuiram com o BSF. Mas se eu fizesse, não seria eu, porque eu nunca consigo escrever posts longos decentes. Talvez no natal de 2007.

Por ora, apenas uma consideração: eu sou obcecado por listas de melhores do ano porque em grande parte possuem menções para aquilo que eu vou consumir bastante no ano seguinte.

Não tenho como respaldar o refino e compilação de uma gama de produtos sem que seja tendenciosamente de meu agrado, mas sinto que o BSF é espaço para divulgar uma lista dos melhores blogs bibliotecários do ano, por todos os anos.

É difícil classificar os blogs com a temática em biblioteconomia, pior ainda ciência da informação. Mas eu vou me esforçar. As menções valem praqueles blogueiros que tem origem na biblioteconomia, na documentação, gestão ou ci.

Os meus preferidos, sem ordem

Biblio design

Residência dos deuses

Digeracy

Blog do Kuramoto

Abrindo espaço

EL Concursos

InformarE

O ser bibliotecário

Biblioteconomia de Babel

vou sair, dar uma viajada, ano que vem eu volto. boas festas pra vocês

Sobre o futuro…

Desculpem a visão quase egocêntrica deste post, mas estou em crise depois que a graduação acabou e agora falta um objetivo futuro. Então, a idéia agora é planejar o que fazer no futuro, para que pelo menos possa criar caminhos que me levem ao um bom nível de desenvolvimento profissional. É claro que para isso é necessário que apareçam oportunidades, mas é sempre bom estar preparado para quando elas aparecerem. Por isso, eu ando avaliando uma série de possibilidades como:

Pós-graduação ou educação continuada:

Pós-graduação é meio que um caminho natural na área. Todo mundo pensa ao menos em fazer uma pós, pois para quem está trabalhando, é um diferencial (uma espécie de MBA) e para quem quer seguir carreira acadêmica, é pré-requisito. Como já perdi a prova deste ano (perdi mesmo.. me inscrevi e perdi a data), uma boa alternativa seria uma pós em outra área. Mas como não achei alguma ainda que me encaixo, uma segunda graduação não está descartada. Eu descobri que a UFSCar e a UNESP irão oferecer graduação a distancia no próximo ano.
Também tem a possibilidade de fazer cursos de curta duração para aperfeiçoamento, mas depende de custo (normalmente bons cursos são caros).

Trabalhar em bibliotecas digitais:

A opção que eu mais gostaria, mas infelizmente não existe mercado de trabalho específico para isso. Ainda…

Prestar um concurso:

É sempre uma boa opção prestar um concurso na área, e ainda mais porque após as eleições os concursos voltam a aparecer.. mas entre os contras tem coisas como estudar AACR, CDD e CDU (decorar, por que fosse só usar a coisa seria diferente), além das condições de trabalho nem sempre serem as mais encorajadoras (falta disso e falta daquilo…) tá certo que é exigir demais ter uma biblioteca com todas as condições, mas algumas são mínimas… porém não é uma hipótese descartada…

Empreendedorismo:

Ando pensando com bastante atenção em criar um negócio. Seria muito interessante pois seria assumir uma responsabilidade de aplicar todo o conhecimento adquirido durante a vida e a faculdade. Na área, essa hipótese não é comum (tirando poucos corajosos, não é Claudia?), mas é bem atraente. Particularmente não gostaria criar uma consultoria, mas também ainda não encontrei uma boa área para entrar e por isso fico só pirando no momento.

Sei lá, o que vocês tem em mente em fazer depois da faculdade?

Mais um

Depois de 47 disciplinas cursadas; 3000 horas aula; 167 créditos obtidos; 8,09 de coeficiente de rendimento acumulado; 2 notas máximas , em estatística e epistemologia e história das ciências; 1 reprovação em automação em bibliotecas; 4 notas mínimas em Introdução a biblioteconomia, lógica instrumental, representação descritiva de documentos III e metodologia da pesquisa documentária; 1 verificação suplementar em representação descritiva de documentos I; 1 bolsa de iniciação científica; 4 estágios; 5 enebds; 4 erebds; 1 blog e 1 milhão de amigos…

estou oficialmente graduado em biblioteconomia e documentação pela universidade federal fluminense. e ano que vem começam as aulas do mestrado em ciência da informação.

eu sei que eu tenho andado muito ausente do BSF, mas eu volto.

Pesquisa brasileira em CI e Biblio

Eu ainda não sei como é feito o levantamento da produção, mas o Ibict lançou uma excelente revista/meta-revista que “tem como objetivo divulgar resultados de pesquisas brasileiras nas áreas de Ciências da Informação e Biblioteconomia, em níveis de graduação e pós-graduação, focalizando ações de Informação e Inclusão Social”. Se chama Pesquisa Brasileira em Cência da Informação e Biblioteconomia.

——-

2ª Conferência sobre o Acesso Livre ao Conhecimento, Universidade do Minho, 27 e 28 de Novembro de 2006 (via Paulo)

Referências automáticas

ottobib

Já ouvi falar de vários sistemas que emitem as referências automáticas, e esse é apenas mais um (que não funciona muito bem).

Ver também BibTex, Easybib, EndNote, Citation Machine, FormatEase, todos americanos.

A idéia é muito boa, mas ainda falta no Brasil um sistema que cumpra as normas da ABNT com precisão, e com o menor número de informações possível. No caso do OttoBib por exemplo, basta inserir o ISBN de um livro qualquer, que ele fornece a referência automática, com autor, título, editora, ano, etc. Funciona bem para trabalhos escolares, mas não para artigos científicos.

OttoBib

Alguém sugere outra ferramenta? Ou quer inventar uma 100% nacional, de acordo com NBR 6023?

Os nomes de futuros bibliotecários mais bizarros conforme a lista do ENADE

Logicamente, eu não posso falar dos outros com um nome como o meu, mas talvez por isso mesmo, vamos nos divertir um pouco. (colegas citados não se sintam ofendidos, é apenas um levantamento de cunho biblioteconômico…)

ABELANDIA MARIA
ABSON SANY
ADEILDNA
AIRTIANE FRANCISCA
ALA DE JESUS SACRAMENTO
ANDRELINO DA SILVA
ARILMES
BAURILENE
BELIJANE
CAACI (Seria Centro Acadêmico de Arquivologia e CI?)
CÁLICA ANANIAS
CAUÊ MARURI DALLE MOLLE
CELANDRO
CHERLLS GARDENIA
CLAUDEVANE NERIS
COMLAN MARCELINO
CRISELEN JARABIZA
DEUSILENE
DEUSIMÁ
ESTELAMAR
ETCHEILE
GEDEÃO ESCÓSSIA
JOELKSON
JOHN KENEDY
LITYERSSE JESUINO
OGNA
OSMÉLIA OLINDA
RITCHELLY
ROXANA MARIA
SERVULO
ULANA MARIA
USTANA
WALGNEIA
WILLIAM HELMUT
YOHRRANNA KELLY
ZEANIEIDE MARIA
ZIZIL ARLEDI

Audio books em português

Audiobooks:

Harry Potter e a pedra filosofal – J.K. Rowling

Harry Potter e a câmara secreta – J. K. Rowling

O Auto Da Compadecida – Ariano Suassuna

Alice No País Das Maravilhas – Lewis Carroll

Dom Quixote – Miguel de Cervantes

Drácula – Bram Stroker

Toy Story – audiolivro

Comer, rezar, amar – Elizabeth Gilbert

Inglês para leigos – 3 CDs de áudio

Querido John – Nicholas Sparks

Como fazer amigos e influenciar pessoas – Dale Carnegie

Vale Tudo – Nelson Motta

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres – Clarice Lispector

Uma vida inventada – Maitê Proença

Carros – Disney

Cinderela – Disney

Direito Penal – aulas em áudio

Tudo o que você precisa ouvir sobre direito autoral