A volta dos que não foram

Depois de muito tempo sem publicar nada aqui, estou de volta! Faz tanto tempo que vou até me apresentar:

Participo do BSF desde seu início, passando a ser editor e tendo colaborado mais em sua segunda fase. Na sua terceira fase (quando mudou para o atual domínio, BSF.org.br) acabei tendo uma participação bastante reduzida, apenas nos bastidores. Neste tempo, já formado no curso de Biblioteconomia da UFSC, passei a me dedicar mais a minha área profissional (informática, em especial desenvolvimento de software e administração de redes, em geral utilizando Software Livre).

Em termos de biblio, participei ativamente como “diretor de informática”, cargo informal que as meninas criaram para me fazer participar, mas com alguma participação em quase todas áreas, na Gestão 2005-2007 da Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB). Após o término de nossa gestão, ainda colaborei com a organização do Painel 2008, sob a coordenação da Dani.
Em 2005 implantei, juntamente com a professora Ursula, o SEER/OJS na revista da ACB, a primeira de Santa Catarina nesta plataforma e uma das primeiras do país. Após esse pioneirismo, ministrei cursos em algumas das principais universidades daqui (UDESC, FURB, Senai/CTAI, Unisul e Univali) e dei suporte ou consultoria para, além das já citadas, FURG, portal de periódicos da UFSC, Revista Produção On Line, uma revista de educação física, entre outras. A Ursula foi uma grande incentivara do SEER, em especial aqui na região Sul e graças ao seu apoio e colaboração que fiz muito do que fiz nesta área.

Agora espero publicar algo aqui em média uma vez por semana, com o mínimo de um post por mês.

ps.: Apesar da foto e descrição que constava na coluna da esquerda sobre mim, não uso óculos ainda e já não sou tão tímido assim.

Estereótipo dos bibliotecários

Alguém saiu pelas conferências Estados Unidos afora com uma câmera tomando fotos dos bibliotecários presentes (todos muito brancos, de óculos e os homens barbados).

meredith farkas

Na foto, Meredith Farkas, de quem eu sou fã e já me contou gostar de música brasileira.

Eu que já escrevi sobre o tema, acho a idéia bem interessante. Quando eu tiver uma boa câmera posso tentar fazer o mesmo. Aliás, o meu projeto de bibliotecários brasileiros tatuados está incubado. Quando eu tiver mais tempo, preparo o lançamento.

Desafio: Quadrinhos

Savage Chickens

Existem vários quadrinhos muito bons sobre bibliotecários ou que tratem de certa forma assuntos comuns a nós, mas como sou fã de quadrinhos, sinto falta de uma maior organização dos quadrinhos, pois é quase impossível conseguir achar um que vi alguma vez por ai e não lembro onde. Por isso, pensei num desafio. Como criar uma organização ou sistema que respondesse uma pergunta como essa:

Onde acho um quadrinho do laerte sobre leitura?

Bibliotecários tatuados

tattoo

Eu sempre quis montar um site com fotos de tatuagens de bibliotecários (brasileiros, porque gringos já tem). Acho que entraria foto de bastante gente, pois conheço muitos bibliotecários tatuados. Quem tiver tatuagem aí levante a mão e mande sua foto pra mim (morenobarros arroba gêmeio ponto com), de repente eu me empolgo e crio logo o site.

A foto acima serve de inspiração