O futuro das bibliotecas e livrarias

Máquina de impressão sob demanda Espresso. Não precisa entender o que se fala no vídeo, apenas assista. E acompanhe o relógio.

Essa é a solução conveniente para o mundo de bits em que vivemos, em contraposição ao mundo de átomos em que Dewey vivia. Não precisamos mais de acervo físico. Isso vale tanto para livrarias como para bibliotecas. Livrarias podem oferecer impressão sob demanda. Bibliotecas podem emprestar Kindles. Hoje parece impossível, mas quando um leitor digital de livros custar o mesmo preço de um livro impresso comum (e isso é bem possível dentro de 5-10 anos), pode-se eliminar acervos físicos e investir pesadamente em coleções digitais. A biblioteca passaria a ser apenas um espaço vazio de interação de pessoas com outras pessoas (e eventualmente, autores), mais do que a interação entre pessoas e livros.

Pensem em como nós comprávamos discos no passado e hoje em dia simplesmente baixamos discografias completas em mp3. Meu ipod é capaz de armazenar mais de 25 mil músicas. Não caberiam tantos discos no meu quarto. E talvez eu nem tenha mesmo tempo de ouvir todas as músicas. Mas a minha experiência com a música e com os músicos e outros amantes de música não se alterou. Na verdade ela só se ampliou.

Isso reflete uma economia de abundância, não uma economia de escassez. As bibliotecas ainda vivem na mentalidade da escassez.

Argumentos mais detalhados sobre o assunto estão em:

A nova desordem digital
Cauda Longa e Free
Reflexões sobre a vida da mente na era da abundância

Biblioteca de Livros Digitais

biblioteca de livros digitais

A Biblioteca de Livros Digitais traz para o computador o prazer da leitura, convidando os mais novos a folhearem livros digitais.

Antes de começarem a ler cada obra, os interessados têm a possibilidade de assistir a uma apresentação animada das personagens principais de cada livro, bem como de ouvir os autores e os ilustradores falar sobre as suas obras.

As crianças são ainda convidadas a personalizar os seus livros, criarem um perfil e partilharem na comunidade, enviando emails e recomendando obras ou divulgando os textos que escreveram.

Para consultar a Biblioteca Digital aceda a http://e-livros.clube-de-leituras.pt

via MSN tec

rent movie download

Semântica web aplicada aos catálogos

OpenLibrary Dat

Kate & Leopold dvdrip

Varsity Blues the movie a é um projeto que visa aplicar conceitos da Web Semântica e conceitos de modelização de registros como o FRBR em catálogos. Os vocabulários usados são: Misc. Open Library Terms (temporary), OpenVocab, Dublin Core, The Bibliographic Ontology,
Music Ontology, BIO (Biographical Information), FRBR, OWL, SKOS, FOAF.

Um registro que vale de exemplo é o
The hobbit, or, There and back again

Neste registro, vale a pena observar como o FRBR foi utilizado e a como foram feitas as relações com as versões.

Unesco lança biblioteca mundial digital

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) está lançando hoje a Biblioteca Digital Mundial, que permitirá consultar pela internet o acervo de grandes bibliotecas e instituições culturais de diversos países, entre eles o Brasil.

A Biblioteca Nacional Waterworld video do Brasil é uma das 32 instituições que contribuíram com o fornecimento de conteúdo.

Vale a pena conferir.

The Killing Fields ipod

Sugestões aos bibliotecários


SIBI USP – Dia do Bibliotecário 2009 publicado por Fabiano Caruso no Vimeo.

Fabiano Caruso disponibilizou o vídeo na íntegra da nossa apresentação no evento do SIBI USP pelo dia do Bibliotecário. O vídeo é looongo, nós falamos demais, mas aí está.

Eu falei na condição de alto consumidor de informação, dando sugestões aos bibliotecários sobre como eu gostaria que os serviços de bibliotecas me fossem oferecidos.

Fabiano explicou como passou a inserir as tecnologias que faziam parte do seu cotidiano, em projetos relacionados a biblioteconomia no decorrer da sua formação.

Enjoy!

update: pra quem quiser ver os vídeos em partes menores, aí está


SIBI USP – Parte 2 – Moreno Barros from ExtraLibris on Vimeo.


SIBI USP – Parte 3 – Fabiano Caruso from ExtraLibris on Vimeo.


SIBI USP – Parte 4 – Perguntas from ExtraLibris on Vimeo.

Biblioteca Digital sob uma perspectiva urbanística

Faz um tempo que estava querendo falar sobre isso.. o Bibliothécaire? postou que as bibliotecas digitais deveriam ser projetadas utilizando uma perspectiva urbanística. Ela deve ser pensada como uma cidade, em que cada módulo tem uma certa autonomia e cultura particular e o trabalho do gestor deve ser de criar a conexão entre esses módulos.

Essa perspectiva só se justifica para as bibliotecas digitais que venham a ser criadas, com o conteúdo atual.

Fonte: Bibliothécaire ?

Quer digitalizar os seus livros?

Para quem achava que os robôs de digitalização de livros eram somente para gigantes como o Google, agora já podem comprar uma belezinha dessas para a sua casa. O preço? Baratinho: $1,595 dólares. Em inglês, o nome é book ripper. Genial!!! Ripper normalmente é usado para ripar cds em mp3.

Book ripper

Ou, crie o seu próprio em casa através de mashups (gambiarra, em bom português):

Ripador de livros caseiros

Tudo via: Engaget