Podcasts para quem gosta de livros

Eu sou super fã de podcasts. Geralmente ouço enquanto faço outra atividade que não requer muita atenção, como tarefas domésticas (passar ou dobrar roupa, lavar louça, lerê lerê), quando estou na rua, dirigindo ou em transporte público.

Tem uma podosfera imensa nesse nosso Brasil que produz conteúdo de qualidade e entretenimento para quem curte livros como a gente. Aqui estão alguns dos meus preferidos e outros super bem conceituados, mas que ainda não entraram na minha playlist.

Literáriocast
Foi o primeiro podcast que comecei a acompanhar. A equipe é super bem entrosada e bate um papo bem legal sobre livros, autores e tudo que envolve literatura e cultura pop. O Rafael Franças é um mestre na edição do áudio do programa. Em outubro, eu fui convidada pra falar de bibliotecas. (Espero ter defendido a nossa classe bem por lá! 😉 )

Cabulosocast
Depois que comecei a acompanhar o Literáriocast, fiquei curiosa sobre outros podcasts e caí de paraquedas no podcast do Lucien, o bibliotecário, que edita o blog Leitor Cabuloso. Os episódios são bem completos, com convidados especiais, incluindo escritores. Além de bem informados, os participantes também são muito divertidos. Os dois programas que eles fizeram recentemente sobre Neil Gaiman me deixaram ainda com mais vontade de ler a obra desse autor.

30:MIN Homo Literatus
O Vilto Reis já foi convidado no Cabulosocast algumas vezes, mas eu não tinha assinado o podcast dele ainda. Os episódios parecem super interessantes. Que tal começar pela indicação deles dos escritores essenciais da literatura brasileira?

Livrocast
Apesar do conteúdo ser eclético, me parece que o Livrocast foca mais em obras de fantasia e tem bastante coisa sobre quadrinhos também (super heróis, Marvel e companhia). Mas o episódio que eu baixei pra ouvir primeiro foi o sobre A sombra do vento, do Carlos Ruiz Zafón, um dos melhores livros que li em 2014.

Papo lendário
Podcast do blog Mitografias. Pra quem curte mitologias e lendas.

The White Robot
Podcast liderado por um casal apaixonado por fantasia e ficção científica. Eles falam sobre títulos específicos e outras notícias do mundo literário. Fiquei curiosa com o episódio sobre o filme Interestelar, que estou doida pra ver.

E vocês, costumam ouvir podcasts? Tem algum bacana pra indicar? Deixem nos comentários.

As melhores HQs que li em 2013

Já que o William Okubo fez uma preciosa (imagine o Sméagol falando isso) lista dos melhores livros de literatura lidos por ele em 2013, pensei: porque não uma das melhores HQs que li em 2013? Pelo menos minha namorada concordou comigo…“aham honey”.

Meu primeiro contato com a leitura foi com histórias em quadrinhos, com a Turma da Mônica e Peanuts, e mais intensamente, com as do Chico Bento, o “culpado” por eu escrever muita coisa errada por muito tempo.

A partir dessas primeiras leituras, o meu interesse por quadrinhos e pela literatura em geral se desenvolveu. O prazer de ler se estendeu para outros gêneros, mas nunca abandonei as bandas desenhadas. Já na adolescência, a busca por algo a mais nos quadrinhos traduziu-se em graphic novels. Frank Miller e o mago Alan Moore me mostraram que não há limites nos quadrinhos para a imaginação. Tudo, tudo mesmo pode ser ilustrado e dito ali.

Infelizmente existe muito preconceito com os quadrinhos e muitos não os consideram como um braço da literatura. Isso acaba se estendendo para muitas bibliotecas e seus bibliotecários, que as moldam conforme suas restrições e gostos pessoais, já que vejo pouquíssimas bibliotecas com algum acervo de quadrinhos. Creio que isso aconteça por simples desconhecimento das nuances das narrativas, da arte nas ilustrações e diversidade de subgêneros que esta mídia permite explorar. Pra essas pessoas, mando um beijinho no ombro.

Mas chega de conversa e ressentimento.

Ah! Antes que alguém conteste que aparecem na lista obras que não são de 2013, explico que esta é uma lista subjetiva e pessoal dos melhores que li em 2013, até porque muitos desses quadrinhos demoram a ser publicados em terras tupiniquins.

Simbora! vamos a minha lista de melhores quadrinhos que li em 2013 (no final tem links para listas de alguns críticos experientes e de premiações como o Eisner Awards):

Pagando por sexo.

Arte e roteiro: Chester Brown

Nesta graphic novel, Chester Brown contesta o amor romântico em relatos com garotas de programas que passaram a fazer parte de sua vida desde que ele abandonou os relacionamentos “não pagos”.

Pagando-por-sexo-590x821

Astronauta: magnetar

Arte e roteiro: Danilo Beyruth

Esta obra faz parte do novo selo Graphic MSP do Maurício de Sousa, que são releituras dos personagens clássicos feitas por diversos artistas, com uma linguagem mais adulta, no modelo graphic novel. Quem assistiu e gostou do filme Gravity, com certeza vai gostar de Astronauta: magnetar.

astronauta_magnetar_2

Loki

Arte: Esad Ribic

Roteiro: Robert Rodi

Loki, o príncipe das mentiras, é um personagem denso, que vai muito além da superficialidade que são retratados alguns personagens mais pops. Nesta obra magnífica ele é magistralmente apresentado. A arte é impecável, o roteiro bem trabalhado e amarrado, e não deixa voando nem mesmo quem não costuma ler quadrinhos. A edição que saiu no Brasil é encadernada, capa dura, coisa linda.

detail

Bônus:

loki-esad-ribic-01

Surpreendentes X-men: superdotados

Arte: John Cassaday

Roteiro: Joss Whedon

Aqui existe uma história central, fechada, sem relação com outras publicações dos X-men. Os personagens são maravilhosamente bem trabalhados por Joss Whedon e a arte de Cassaday não fica devendo. Para quem não sabe, Whedon é responsável por um dos maiores sucessos da Marvel nos cinemas, Avengers.

Apesar de a obra ter sido publicada lá nos EUA a 8 anos, a Panini relançou por aqui novamente e vale a pena acompanhar esse arco.

63_308738_0_theultimategraphicnovelscollec

Thanos Rising

Arte: Simone Bianchi

Roteiro: Jason Aaron

Série em 5 edições que mostra a origem de um dos maiores vilões do universo dos quadrinhos: Thanos, o avatar da morte. O universo cósmico da Marvel tende a ter histórias mais bem elaboradas e com os dois pés na literatura fantástica e ficção científica, e nesta obra não é diferente. A arte de Bianchi é de chorar de emoção, assim como toda a história do roxinho de Titã.

20130116222317!Thanos_Rising

Bônus:

Thanos_Rising_Vol_1_4_Textless

Persépoles

Arte e roteiro: Marjane Satrapi

A obra é antiga, mas a Companhia das Letras, através da Quadrinhos na CIA, lançou Persépolis em edição única, completinha.

Persépolis é uma autobiografia em quadrinhos de Marjane, garota nascida em uma família moderna que vivenciou aos 10 anos a revolução islâmica no irã.

persepolis-livro

Marie-Gabrielle de Saint-Eutrope

Arte e roteiro: Georges Pichard

Outra obra antiga, de 1977, mas que continua a chocar muita gente até hoje. É pra quem tem estômago e não estranha um erótico mais hardcore.

MariegabrielleDeSaintEutrope1b_17042004

Outras listas:

Omelete: http://omelete.uol.com.br/quadrinhos/retrospectiva-2013-melhores-hqs-do-ano/

Papo de quadrinho: http://revistaogrito.ne10.uol.com.br/papodequadrinho/2013/12/26/papo-de-quadrinho-escolhe-as-melhores-hqs-de-2013/

Sobre quadrinhos:

http://papodehomem.com.br/por-que-leio-quadrinhos-tanto-quanto-leio-livros/

Prêmio Eisner:

http://omelete.uol.com.br/will-eisner/quadrinhos/eisner-awards-2013-chris-ware-e-saga-sao-os-grandes-vencedores/#.Us-A4J5dVMg

Os melhores livros de literatura de 2013

Todo início de ano costumo acompanhar a imprensa e suas listas de melhores livros publicados no ano anterior. Além da imprensa, os prêmios literários e uma porção de blogueiros também divulgam suas escolhas, proporcionando aos interessados um grande painel de obras literárias das mais diferentes linguagens, gêneros e temas.

Acredito que essas listas todas podem ajudar os colegas na hora de escolher um livro na livraria ou na internet e também aqueles que trabalham com desenvolvimento de coleções em bibliotecas públicas, escolares e comunitárias. 

Os links arrolados não compõem um apanhado estruturado (algum maluco com tempo poderia empreender uma pesquisa comparando as listas acadêmicas ou da crítica tradicional com as listas dos blogueiros leitores), portanto, é limitado e corresponde a minha intenção de mostrar boa literatura publicada em 2013 indicada por várias fontes.

É a bibliodiversidade em ação para além das listas de mais vendidos e emprestados.

E como não sou de ferro, faço a indicação dos livros que mais gostei primeiro:

  • Pessoas que passam pelos sonhos – Cadão Volpato
    uma viagem poética que lembra em alguns momentos o realismo fantástico do Gabriel Gárcia Márquez. Da CosacNaify.
  • 1Q84 (3 livros) – Haruki Murakami
    obra mais conhecida do japonês que todo ano está na lista de apostas para ganhar o Prêmio Nobel de Literatura, mas é muito novo, não vai ganhar tão cedo, exceto se vier a falecer neste momento…. Da Alfaguara.
  • A tristeza extraordinária do Leopardo-das-neves – Joca Reners Terron
    romance tipicamente paulistano que poderia se passar em qualquer centro velho de outras capitais brasileiras onde reina o abandono e o crack. Nesse cenário, o autor consegue criar uma história de suspense com toques de terror!
  • Divórcio – Ricardo Lísias
    biografia ou ficção? Ficção, mas que parece muito realidade parece. Embutido na história uma crítica ácida ao jornalismo cultural (e não cultural) paulista. Da Alfaguara.
  • Amanhã não tem ninguém – Flávio Izhaki
    garoto viciado em videogame rouba a cena do livro. Final incrível! Da Rocco.
  • Gado novo – Guille Thomazi
    uma mesma história vista por vários personagens. Rotineiro, não? Mas muito bem elaborado. Da 7 Letras.
  • Reprodução – Bernardo de Carvalho
    uma crítica voraz ao personagem comum por aqui: o comentarista de blogs e portais da internet. Sabe aqueles energumenos que xingam, escrevem asneiras e tal pela internet? Há um nessa obra. Da Companhia das Letras.
  • Meu coração de pedra-pomes – Juliana Frank
    A personagem principal, uma faxineira de hospital, é de morrer de rir. Ao final do livro saiba o porque. Da Companhia das Letras.
  • Um útero é do tamanho de um punho – Angélica Freitas
    Um dos melhores livro de poesia que li nos últimos tempos. Feminismo de verdade está nessa obra. Da CosacNaify.
  • Barba ensopada de sangue – Daniel Galera
    Quero ir para a praia de Garopaba, em Santa Catarina, local onde se passa boa parte deste já premiado livro. Da Companhia das Letras.
  • Sentimental: poemas – Eucanaã Ferraz
    Poeta sentimental mas não melodramático. Da Companhia das Letras.

 

Outras listas de melhores livros:

Espanadores (os maníacos das listas literárias, segue a lista de uma das colaboradoras)

iBahia

Blog do André Barcinski (jornalista autor do meu best-seller predileto: Guia da culinária ogra)

Prêmio Portugal Telecom 2013

Paraná online

Blog Viagem literária (a colega bibliotecária deve ter lido 170 livros no ano. Incrível!!)

Os melhores livros de 2013 segundo os prêmios – Estadão

Prêmio AGES – Associação Gaúcha de Escritores

Prêmio 30 melhores livros infantis do ano – Revista Crescer

Blog Lendo nas Entrelinhas

55º Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro

Melhores do ano da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte

Quais são os livros de sua lista?

O que acha de uma lista de livros de não-ficção e da área de biblioteconomia e afins?

Rede de Blogs em CI – Primeiro resultado (36 blogs visitados)

Este é o primeiro resultado da Rede de Blogs de CI, com base nos blogs indicados no post: Blogs na Ciência da Informação – Indique um blog. Como o objetivo é manter o “experimento” controlado, visitei os 36 blogs indicados com o Navicrawler e exportei para o Gephi.

Lista com blogs e sites da CI com ao menos 3 links (foram desconsiderados sites não blogs como o facebook, por exemplo, mas foram mantidos alguns não blogs, mas sites da área):

http://bsf.org.br 10
http://extralibris.org 8
http://rabci.org 5
http://avoantes.blogspot.com 4
http://wl.blog.br 4
http://fabianocaruso.com 4
http://www.ifla.org 4
http://www.biblioconcursos.com.br 4
http://www.ibict.br 4
http://www.dominiopublico.gov.br 4
http://blogs.estadao.com.br 3
http://revista.ibict.br 3
http://www.ofaj.com.br 3
http://linafuko.wordpress.com 3
http://eprints.rclis.org 3
http://www.crb8.org.br 3
http://bdtd.ibict.br 3
http://www.dgz.org.br 3
http://www.pucrs.br 3
http://a-informacao.blogspot.com 3
http://vivabibliotecaviva.blogspot.com 3
http://www.npr.org 3
http://bibliocomics.blogspot.com 3
http://www.febab.org.br 3
http://kuramoto.blog.br 3

Lista de Hubs (Hubs são nós mais conectados levando em consideração toda a rede) desta rede e sua respectiva pontuação:

http://bsf.org.br 0.11111111
http://extralibris.org 0.11111111
http://wl.blog.br 0.061728396
http://www.biblioconcursos.com.br 0.061728396
http://linafuko.wordpress.com 0.049382716
http://a-informacao.blogspot.com 0.049382716
http://doraexlibris.wordpress.com 0.037037037
http://naeradainformacao.blogspot.com 0.037037037
http://odiliabiblio.blogspot.com 0.037037037
http://leituraecontexto.blogspot.com 0.024691358
http://diadegreve.blogspot.com 0.024691358
http://tesourobibliografico.wordpress.com 0.024691358
http://bibliotecariovirtual.wordpress.com 0.024691358
http://monitoriafabci.blogspot.com 0.024691358
http://marcosmucheroni.pro.br 0.024691358
http://elderlopes.blogspot.com 0.024691358
http://figoblog.org 0.024691358
http://hamiltont.blogspot.com 0.024691358
http://pbcib.webnode.com.br 0.024691358
http://infobci.wordpress.com 0.024691358
http://universidicas.blogspot.com 0.012345679
http://copyfight.corante.com 0.012345679
http://www.davidleeking.com 0.012345679
http://libraryjuicepress.com 0.012345679
http://www.librarian.net 0.012345679
http://librarianinblack.net 0.012345679
http://bibliovirtual.es 0.012345679
http://www.uniritter.edu.br 0.012345679
http://bibliotecariosgeeks.wordpress.com 0.012345679
http://www.pesquisamundi.blogspot.com 0.012345679
http://www.contextoinformacional.com 0.012345679
http://bibliotecadobibliotecario.blogspot.com 0.012345679
http://www.bibliosimples.blogspot.com 0.012345679
http://bibarqmus.wordpress.com 0.012345679

Você pode navegar nesta rede clicando aqui (demora um pouco para carregar e clique em Display edge e altere o tamanho das letras)

Continue indicando os blogs para que possamos ampliar o alcance dessa lista e o resultado final.

Quer explorar os dados gerados? Blogs.gexf (clique em Salvar como…)

Ah, importante: Ainda não foram considerados os blogs indicados no delicious do Moreno. No próximo levantamento, os incluirei.

BSF no Facebook

Vez ou outra a gente recebe uns emails assim:

“Moreno, você acha que eu devo ir pro trabalho hoje de coque ou de cabelo solto? De óculos gatinha ou de lente?”

“Editores do BSF, trabalho em uma biblioteca escolar mas não sou bibliotecária. O CRB vai vir me pegar?”

“Qual é o melhor software para catalogar todos os 23 livros que eu tenho na minha estante?”

“Descubri uma máquina de busca super interessante, é lançamento, dá pra encontrar de tudo lá, é incrível. Vocês podem divulgar no blog? Se chama Yahoo!”

e por aí vai…

não dá pra responder todas as perguntas, nem publicar tudo que indicam e nem temos competência suficiente para servir de consultores em determinadas situações.

Mas certamente, a gente recebe muitos comentários interessantes, indicações e sugestões de notícias, links, novidades e outras coisas relevantes que passam desapercebidas no nosso refino pessoal.

Então eu decidi criar uma página no facebook (fan page) que permite que qualquer pessoa associada à página insira links e comentários lá na comunidade. Em princípio não vou instituir nenhum critério de aprovação, vai ser tudo automático. Basta usar o “What’s on your mind” e postar, pronto.

É uma comunidade focada no conteúdo do blog.

Isso talvez reduza a carga de emails que a gente recebe e vai permitir uma interação maior, não só entre os visitantes individuais e os editores do blog, mas a comunidade toda interessada na temática (eu ainda consegui pegar o vanity “biblioteconomia”).

Vai ficar mais fácil pra gente gerenciar esse tipo de troca (links, sugestões, etc) e até mesmo conceder crédito às pessoas que enviarem as dicas, sempre que aparecer alguma coisa que mereça ser publicada no próprio blog.

Funciona mais o menos como a fan page da Coca Cola, Grey’s Anatomy e do Brainstorm, vejam lá.

A página do BSF no Facebook é essa aqui: http://www.facebook.com/biblioteconomia

FAQ do Bibliotecários Sem Fronteiras

Tudo o que você sempre quis saber sobre o BSF, mas nunca teve coragem de perguntar, pode perguntar agora.

Vocês sabem que esse blog já tem um tempo de estrada, acumulou experiência, transformou seus editores de meros bibliotecários em celebridades da blogosfera, dando a eles sucesso, dinheiro, mulheres, contratos com editoras e por aí vai.

Brincadeiras a parte, é legal a gente ser um certo tipo de referência. Então assumindo esse posto, talvez nós tenhamos coisas interessantes pra compartilhar com as pessoas que nos visitam e nos lêem.

Eu não posso responder por todos, mas acho que todos os outros editores podem responder também numa boa.

Façam as perguntas que quiserem, técnicas, bastidores, consultoria, curiosidades, etc. A gente vai respondendo nos comentários ou atualizando o post. E de repente depois disso eu crio uma página com um FAQ oficial do BSF.

O que você quer saber sobre os Bibliotecários Sem Fronteiras?

Update: tenho resposta pra quase tudo, vou publicar em breve. Podem mandar mais perguntas

Update 2: na verdade eu já tinha feito um levantamente histórico sobre o bastidores do BSF (e de outros três projetos então dos alunos, em 2006: Um blog, uma revista, um repositório e um portal: experiências discentes na divulgação e comunicação em Biblioteconomia)

Algumas respostas estão lá.

Na verdade, uma das versões antigas do BSF tinha uma página “sobre” escrita pela Vivi, contando um pouco da história e da missão:

Sobre o BSF
Breve histórico:

Este blog teve início no dia 30 de março de 2002, em outro servidor e endereço: BLiG_o_TeCoNoMia.
Naquela época, o objetivo do blog era divulgar um pouco a Biblioteconomia para os leigos, já que eu, Viviane, a esta altura na metade do curso, não agüentava mais responder à pergunta: “Biblio que??”. Aproveitando que a “febre”de blogs estava começando, achei que esta seria uma boa maneira de mostrar um pouco do curso, para quem não conhecia.

Deu certo, a maioria dos comentários no início era feito por pessoas que não eram da área. Mas, com os mecanismos de busca e com a divulgação nas listas e entre amigos (Diego já era fundamental pro blog desde aquela época), um maior número de estudantes e profissionais de Biblioteconomia começou a nos visitar e por isso, o foco foi mudando, da divulgação para questões relacionadas à área.

O blog foi crescendo, passou por mudanças de template, editores foram sendo convidados a participar e o BliG ficou pequeno demais para nós.

Assim entrou o Dener, que criou este blog em outro servidor e que foi implantando novos recursos que fazem com que o “Bibliotecários sem Fronteiras” seja o que é hoje.

Por que “Bibliotecários sem Fronteiras”?

Ao mudar de servidor, tínhamos que mudar de nome, até porque o nome antigo estava intimamente ligado ao BliG.

Este nome foi baseado nas ONGs “Médicos sem Fronteiras”, “Enfermeiros sem Fronteiras”, “Jornalistas sem Fronteiras” porque a médio prazo tenho um projeto para criar a ONG “Bibliotecários sem Fronteiras”.
Sendo assim, achei que este seria um nome ideal, pois representa bem o que somos: editores de vários lugares do Brasil e até uma de Portugal! Visitantes de todo lugar do mundo. Todos trocando idéias, informações e até mesmo conhecimento!

Fora que o blog me proporcionou grandes amigos, ficando provado que a verdadeira amizade não tem fronteiras.

Objetivos atuais

a) Objetivo geral: servir como um canal para que estudantes e profissionais da área de Biblioteconomia, Documentação Ciência e Gestão da Informação troquem informações e experiências adquiridas.

b) Objetivos específicos:
# atuar multidisciplinarmente para que as questões relativas à nossa área possam ser discutidas de maneira ampla;
# permitir que qualquer pessoa opine ou coloque suas dúvidas através de comentários, emails, mensagens no fórum e mural de maneira a contribuir com o crescimento individual e coletivo de todos que têm interesse por Biblioteconomia e ciências afins;
# divulgar o curso de Biblioteconomia.
Caso você ainda tenha alguma dúvida ou curiosidade em relação ao BSF, mande-nos um email!

Beijos,
Vivi

Na entrevista que fiz com o Diego para esse artigo que eu escrevi, eu perguntei: “Como se deu o desenvolvimento do BSF, a evolução histórica?”

Ele citou uma passagem da Vivi

(…) com os mecanismos de busca e com a divulgação nas listas e entre amigos, um maior número de estudantes e profissionais de Biblioteconomia começou a nos visitar e por isso, o foco foi mudando, da divulgação para questões relacionadas à área. O blog foi crescendo, passou por mudanças de template, editores foram sendo convidados a participar e o BliG ficou pequeno demais para nós. Assim entrou o Dener, que criou este blog em outro servidor e que foi implantando novos recursos que fazem com que o “Bibliotecários sem Fronteiras” seja o que é hoje.

Eu falando (Diego falando)

um pouco sobre essa fase: com o crescimento das visitas de gente interessada em biblioteconomia, e que já conhecia a biblioteconomia, o foco mudou naturalmente para discussões sobre temas relacionados a área e divulgação de notícias.

O sistema utilizado até então era bem limitado, era chato de dar manutenção no template (o que era basicamente feito pela Vivi) e a parte dos comentários era ruinzinha (limitava a pequenos comentários, quebrava links, etc). Então, pela mesma época, que eu me lembre, o blog passou a contar com
1) mais editores – e com isso novas posições, novos pontos de vistas e menos dependência do tempo da Vivi para atualização do conteúdo.
2) Novo sistema e um grande colaborar. O Dener “Anjin” instalou o WordPress (ver wordpress.org), converteu o conteúdo do blig e o blog iniciou uma nova fase. A audiência então cresceu bastante e sem parar, o número de editores cresceu, o visual ficou muito mais “amigável” e o foco num público da área de biblioteconomia e assuntos relacionados foi consolidado. O Dener não só instalou como prestou suporte, atualizou o WordPress, ofereceu novos recursos, disponibilizou o domínio e servidor e, apesar de ainda não ter seu nome ali em editores, publicou posts também. E não só

Desde então o blog muda seu conteúdo conforme os editores mais ativos em cada momento. E quase sempre temos algum editor com maior atividade num determinado momento e outros editores publicando conteúdo com menor freqüência. O blog que era a cara da Vivi quando estudante, passou a ter várias caras. Não dependia mais de nenhum editor, a semente plantada já era uma árvore forte que ficava ali firme mesmo quando a Vivi não aparecia pra regar

E com o tempo de vida e conteúdo acumulado o BSF passou a ficar bem posicionado nos mecanismos de buscas, em especial no Google, e com muita gente apontando links pra gente, em especial blogs de bibliotecários ou sobre biblioteconomia.

Uma coisa que diminuiu muito na transição blig-o-teconomia para BSF foram as discussões pelos comentários. Isso foi uma pena ter se perdido. Não entendo até hoje o motivo disso ter ocorrido. Talvez fosse uma fase mais polêmica do blog.

Update 3: fiz o upload dos registros do google analytics recentes. Lá tem todas as estatísticas de uso do BSF.

Continua…