Omeka: open source para exibições online

Está disponível uma nova versão do software Omeka, desenvolvido para que bibliotecas e museus possam criar arquivos e exibições online. Grátis e open source. É uma espécie de WordPress para acervos digitais..bom, bonito e barato.

Vem com toda a papagaiada necessária, Dublin Core, plugins, rss, temas, etc. O Omeka é um projeto do Centro de História e Novas Mídias, da George Mason University.

A proposta é simples. Os desenvolvedores perceberam que bibliotecas e museus que disponibilizam coleções digitais não querem apenas empurrar uma caixa de busca aos seus visitantes ou uma navegação em ordem crescente-decrescente. A idéia é criar exibições que guiem as pessoas através de uma curadoria elegante dos objetos incluídos na base de dados.

Já tem um portfolio interessante de instituições utilizando o software, entre elas a NYPL, com uma instalação fotográfica chamada Eminent Domain retratando a mudança do espaço urbano em Nova York.

Quando a dissertação estiver pronta, quero publicá-la nesses moldes. Me cobrem.

Quer digitalizar os seus livros?

Para quem achava que os robôs de digitalização de livros eram somente para gigantes como o Google, agora já podem comprar uma belezinha dessas para a sua casa. O preço? Baratinho: $1,595 dólares. Em inglês, o nome é book ripper. Genial!!! Ripper normalmente é usado para ripar cds em mp3.

Book ripper

Ou, crie o seu próprio em casa através de mashups (gambiarra, em bom português):

Ripador de livros caseiros

Tudo via: Engaget

The Code4Lib Journal

Está nascendo um periódico que tratará somente de softwares para bibliotecas e bibliotecas digitais: The Code4Lib Journal.

Ele tem uma proposta interessante, de abordar casos práticos de usos, como pode se observar nos assuntos de interesse:

  • Aplicações práticas de tecnologias de bibliotecas. São aceitas aplicações práticas e hipotéticas.
  • Projetos de tecnologia(que falharam, que tiveram sucesso, propostas e em andamento)
  • Estudos de casos
  • Melhores práticas
  • Comparações de softwares ou entre bibliotecas
  • Gerenciamento de projeto e comunicação com o ambiente da biblioteca
  • Estudos de usuários
  • Vamos ver se essa iniciativa prospera…

    Ah, só para não perder o gancho, tem um trabalho interessante disponível no RABCI sobre o tema:

    Aprendendo a avaliar sistemas de automação de bibliotecas: teoria e prática para o mercado de trabalho, de Camila Belo Tavares Ferreira e Caroline Brito de Oliveira