Bibliotecários sem Fronteiras: 7 anos!

Hoje completamos 7 anos desde a criação do primeiro blog na área de biblioteconomia no Brasil.
Começou com o nome Blig-o-teconomia, uma brincadeira com o nome do serviço de hospedagem de blogs usado na época pela Vivi, e com outro objetivo: informar pessoas de fora da área sobre o que é biblioteconomia, o que um bibliotecário faz, etc. O objetivo estava sendo alcançado, mas em pouco tempo as visitas de pessoas da área e discussões voltadas para este público dominaram o blog. A coisa cresceu e mais tarde ganhou o nome atual, novo servidor, novos editores, um domínio próprio e até hoje sempre tem alguém pensando em um novo conteúdo ou recurso.
Fica aqui a lembrança do aniversário, e que o sétimo ano seja de muitas novidades!

A volta dos que não foram

Depois de muito tempo sem publicar nada aqui, estou de volta! Faz tanto tempo que vou até me apresentar:

Participo do BSF desde seu início, passando a ser editor e tendo colaborado mais em sua segunda fase. Na sua terceira fase (quando mudou para o atual domínio, BSF.org.br) acabei tendo uma participação bastante reduzida, apenas nos bastidores. Neste tempo, já formado no curso de Biblioteconomia da UFSC, passei a me dedicar mais a minha área profissional (informática, em especial desenvolvimento de software e administração de redes, em geral utilizando Software Livre).

Em termos de biblio, participei ativamente como “diretor de informática”, cargo informal que as meninas criaram para me fazer participar, mas com alguma participação em quase todas áreas, na Gestão 2005-2007 da Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB). Após o término de nossa gestão, ainda colaborei com a organização do Painel 2008, sob a coordenação da Dani.
Em 2005 implantei, juntamente com a professora Ursula, o SEER/OJS na revista da ACB, a primeira de Santa Catarina nesta plataforma e uma das primeiras do país. Após esse pioneirismo, ministrei cursos em algumas das principais universidades daqui (UDESC, FURB, Senai/CTAI, Unisul e Univali) e dei suporte ou consultoria para, além das já citadas, FURG, portal de periódicos da UFSC, Revista Produção On Line, uma revista de educação física, entre outras. A Ursula foi uma grande incentivara do SEER, em especial aqui na região Sul e graças ao seu apoio e colaboração que fiz muito do que fiz nesta área.

Agora espero publicar algo aqui em média uma vez por semana, com o mínimo de um post por mês.

ps.: Apesar da foto e descrição que constava na coluna da esquerda sobre mim, não uso óculos ainda e já não sou tão tímido assim.

Blogs pipocando

Cada dia que navego pela Web, descubro um novo blog interessante sobre Biblioteconomia, CI ou pessoais de bibliotecários. Então resolvi fazer uma lista dos últimos que descobri:

Penso que deve ter mais um monte por ai que não conheço…

Intercâmbio universitário – Portugalegrenses

Os colegas João Pereira e Matilda Minuzzo, estudantes do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, criaram um blog com o objetivo de registrar o caminho percorrido em busca de uma vaga no Curso de Licenciatura em Ciência da Informação, na Universidade do Porto – UP, em Portugal, e publicar informações úteis a respeito de todos os passos necessários para auxiliar os interessados na mesma aventura a chegarem bem na terra do bacalhau.

Após a etapa que antecede a viagem e a de adaptação à nova cultura (que também será publicada), mudaremos um pouco nosso foco. Registraremos nossas impressões tupiniquim-sul-rio-grandenses relativas à Escola de Ciência da Informação da UP e demais assuntos concernentes à Biblioteconomia.

Uma das minhas frustrações foi não ter feito um intercâmbio durante minha graduação, apesar de eu ter tido oportunidade de conhecer mais de 20 escolas de biblio no Brasil. As universidades oferecem uma série de artifícios e possibilidades, que os alunos em maioria desconhecem. É bom que alguém tenha a sensibilidade de compartilhar a experiência, porque assim outros poderão fazer o mesmo.

Visitem o blog e comentem, pro João e a Matilda não se sentirem tão distantes de casa.