Facebook Top10: artigos mais “populares” de 2017

Facebook-top102

 

Temos monitorado desde 2015 os dados altmétricos da atenção online que artigos de periódicos de Biblioteconomia e Ciência da Informação têm alcançado no Facebook e calculado a soma das interações (reactions, comentários e compartilhamentos) que eles recebem na rede social.

A partir desses dados temos elaborado todo ano um ranking com os 10 artigos com mais interações no Facebook. Divulgamos o de 2016 (veja aqui) e o de 2015 (veja aqui). Agora fizemos o mesmo para os artigos publicados em 2017 (n=1.024) em 26 dez., 2017). Caso queira fazer consultas similares para outros anos, basta aplicar o filtro ano de seu interesse e ver a listagem.

Então com vocês, eis o Facebook Top10: artigos mais “populares” de 2017.

2017 Facebook Top10 SUMÁRIO:
     10 top artigos.
     22 autores.
     1,547 interações.
     9 periódicos.

 

# Artigo Autores Periódico              Score* 
1 Competências do bibliotecário de referência em bibliotecas universitárias Maria Giovanna Guedes FariasJean da Silva Soares Biblionline 205
2 A Ciência da Informação e os 200 anos da Independência Brasileira Murilo Bastos da Cunha Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação 169
3 Responsabilidade Ética e Social do Bibliotecário de Referência: reflexões na sociedade informatizada Joana Coeli Ribeiro GarciaGustavo Henrique do Nascimento NetoGeysa Flávia Câmara Lima do Nascimento Revista Conhecimento em Ação 156
4 Editorial v. 8, n. 1, mar./ago. 2017 Marco Antonio de Almeida InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação 155
5 Produção e colaboração científica da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre Maiara BettioGonzalo Rubén AlvarezSamile Andréa de Souza Vanz Informação & Informação 154
6 Competências de bibliotecários: Estudo de caso com profissionais da rede de bibliotecas do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET/MG Alexandre Augusto GamberiniTalita Ribeiro da Luz Ciência da Informação 151
7 Letramento informacional e currículo Kelley Cristine Gonçalves Dias GasqueJanaina Ferreira Fialho
148
8 Mecanismos de busca e as implicações nos aspectos de privacidade Elaine Parra AffonsoSilvana Drumond MonteiroSilvana Aparecida Borsetti Gregório VidottiRicardo César Gonçalves Sant’Ana Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação 144
9 A crise e a universidade Kenneth Rochel de Camargo Jr. RECIIS 138
10 A ciência da informação e sua contribuição para a avaliação do conhecimento científico Gonzalo Rubén AlvarezSônia Elisa Caregnato BIBLOS 127
*valor referente a soma das interações.

Veja esses e outros artigos publicados no ano de 2017 com dados altmétricos que obtiveram atenção online e foram curtidos, comentados ou compartilhados no Facebook, confira a lista. (Tivemos problemas no nosso servidor e temporariamente a solução tem sido acessada em outro endereço, mas esperamos regularizar isso em breve).

A solução já foi explicada em outro post (ver aqui) e a metodologia é melhor detaljada no trabalho: ARAUJO, R. F.; MURAKAMI, T. R. M. ; ANDRADE, R. L. V. . Repertório da produção periódica brasileira de Ciência da Informação: indícios embrionários. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, v. 11, p. 44-53, 2016.  https://doi.org/10.6084/m9.figshare.5829576 

 

Facebook Top10: artigos mais “populares” de 2016

facebook-top102

O ano de 2016 está quase no fim e o Repertório da Produção Periódica Brasileira de Ciência da Informação (RPPBCI), desenvolvido no Laboratório de Estudos Métricos da Informação na Web (Lab-iMetrics), conta com quase 11.300 registros de artigos de 36 periódicos da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação.

Já divulgamos um post sobre o RPPBCI por aqui e ressaltamos seu diferencial de ordenar os resultados de busca por altmetrics do Facebook, ou seja, pelas interações (curtidas, comentários e compartilhamentos) que os artigos recebem na rede social. A partir desses dados elaboramos um ranking com os 10 artigos publicados no ano de 2015 com mais interações no Facebook (veja aqui).

Agora fizemos o mesmo para os artigos publicados em 2016 (n=874 em 22 dez., 2016). Caso queira fazer consultas similares para outros anos, basta aplicar o filtro ano de seu interesse e ver a listagem.

Então com vocês, eis o Facebook Top10: artigos mais “populares” de 2016.

2015 SUMÁRIO – RPPBCI
     10 top artigos.
     21 autores.
     1,878 interações.
     6 periódicos.

 

# Artigo Autores Periódico              Score* 
1 The trajectory of the university library in Brazil in the 1901-2010 period (2016) Cunha, Murilo Bastos da, Diógenes, Fabiene Castelo Branco Encontros Bibli 412

 

2 The librarian and the scientific journals editing (2016) Santana, Solange Alves, Francelin, Marivalde Moacir Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentacao 196
3 O papel dos bibliotecários na gestão de dados científicos (2016) Corrêa, Fabiano Couto Revista Digital de Biblioteconomia e Ciencia da Informacao 193
4 The solution to SUS is not a Brazilcare (2016) Santos, Isabela Soares RECIIS 177
5 Promotion or prevention? Analysis of the communication strategies carried out by Brazilian Health Ministry from 2006 to 2013 (2016) Vasconcelos, Wagner Robson Manso de, Oliveira-Costa, Mariella Silva de, Mendonça, Ana Valéria Machado. RECIIS 173
6 História do papel: panorama evolutivo das técnicas de produção e implicações para sua preservação (2016) Fritoli, Clara Landim, Krüger, Eduardo Leite, Carvalho, Silmara Küster de Paula. Revista Ibero Americana de Ciencia da Informacao 157
7 Use of social media by university libraries with focus on relationship marketing (2016) Araújo, Walqueline Silva, Pinho Neto, Júlio Afonso Sá, Freire, Gustavo Henrique Araújo Encontros Bibli 153
8 Use of social network to support visually impaired people: A Facebook case study (2016) Caran, Gustavo Miranda, Santini, Rose Marie, Biolchini, Jorge Calmon de Almeida Transinformacao 148
9 The Trojan Horse: the story of the united front against the SUS (2016) Silva, Thiago Henrique. RECIIS 136
10 The evolution of the topic of Information literacy in Brazil: a bibliographic study from 2006 to 2013 (2016) Trein, Juliane Marlei, Vitorino, Elizete Vieira Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentacao 133
*valor referente a soma das interações.

Veja esses e outros artigos publicados no ano de 2016 com dados altmétricos que obtiveram atenção online e foram curtidos, comentados ou compartilhados no Facebook, confira a lista.

Melhores universidades do Brasil

As 10 melhores universidades do Brasil, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC) – um novo indicador lançado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira (8).

1. Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) SP Federal 439 pontos
2. Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) RS 425
3. Universidade Federal de Viçosa (UFV) MG Federal 417
4. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) MG Federal 414
5. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) RS Federal 410
6. Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) MG Federal 402
7. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) RJ Federal 392
8. Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) SP Federal 390
9. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) RJ Privada 385
10. Universidade Federal de Itajubá (Unifei) MG Federal 381

Como funciona o IGC

Segundo o Inep, o IGC é um indicador que engloba em um único índice a qualidade dos cursos de graduação, mestrado e doutorado de cada instituição de ensino superior do do Brasil. Ao todo, 173 universidades, 131 centros universitários e 1.144 faculdades, institutos isolados e outras modalidades de ensino superior foram avaliados.

Segundo o Inep, o IGC de cada instituição inclui a qualidade de todos os seus cursos de graduação, mestrado e doutorado, distribuídos na totalidade de campi e municípios onde a instituição atua.

Para chegar na nota, o cálculo levou em consideração a média dos Conceitos
Preliminares de Curso (CPCs) da instituição – componente relativo à graduação e à nota do aluno no Enade – e o conceito fixado pela Capes para a pós-graduação.

A média dos conceitos dos cursos é ponderada pela distribuição dos alunos entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado). Para esta primeira divulgação do IGC, foram utilizados os CPCs referentes às edições do Enade no período de 2005 a 2007.

O CPC considera, além de resultados de avaliação de desempenho de estudantes, infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente. A nota da Capes é referente à avaliação do triênio de 2004 a 2006.

Veja aqui o ranking oficial do MEC (em ordem alfabética)
*o arquivo deve ser aberto em excel

via G1