As melhores capas de 2013

Só passei a acompanhar melhor os lançamentos do mercado editorial local já no final do ano, por conta do Uma capa por dia, página do facebook que eu gerencio junto com a Vivizzi do A book cover a day, mas ainda assim deu pra selecionar algumas capas que chamaram bastante atenção, seja pela composição, pelas cores, tipografia ou imagem, daquelas que quando a gente vê na biblioteca sente vontade de pegar e folhear o livro.

Opisanie Swiata – Veronica Stigger

1002014_328726383933379_234135412_n

Luiza – Maura Nalin

1452371_331290070343677_1380401455_n

A tristeza extraordinária do leopardo das neves – Joca Reiners Terron

1424372_321279581344726_991070353_n

Beatles em tudo – João Resende

1457678_333047946834556_1044229944_n

O valor do amanhã – Eduardo Giannetti

1459272_326892637450087_1110483994_n

Vida querida – Alice Munro

1469865_333040816835269_1773691026_n

O arco e a lira – Octavio Paz

1_800

De gados e homens – Ana Paula Maia

539202_322750144531003_2030012073_n

Gosto de batom – Valter Petenel

1461845_328727807266570_1384824485_n

O histórico infame de Frankie Landau Banks – E Lockhart

1463188_326134247525926_917724293_n

Napoleão – Vincent Cronin

1395835_322747161197968_1329667412_n

15 dicas de livros para dar de presente a uma bibliotecária

Bibliotecária(o)s adoram ganhar livros e adoram ler livros sobre bibliotecas e bibliotecários. Se quiser presentear um bibliotecário nesse natal, sem errar, basta escolher um dos títulos abaixo:

A bibliotecária: Logan Belle: Record

bibliotecaria

A jovem Regina Finch acaba de chegar a Manhattan para trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York. Mas o que parecia ser a promessa de uma rotina tranquila em meio a clássicos da literatura logo se revela um irresistível jogo de sedução quando ela conhece o envolvente Sebastian Barnes, investidor da instituição e um dos homens mais cobiçados da cidade, que fica obcecado pela beleza da bibliotecária.

O bibliotecário do imperador: Marco Lucchesi: Globo

bibliotecario

Frequentador, pesquisador e curador de importantes exposições sobre o acervo da Biblioteca Nacional, o escritor homenageia a instituição e faz uma declaração de amor a todos os bibliófilos e leitores em O bibliotecário do imperador. Seu personagem é Ignácio Augusto Cesar Raposo, bibliotecário de dom Pedro II. Este homem real, que foi testemunha dos bastidores do Palácio de Petrópolis e da Corte no Rio de Janeiro, é usado pelo autor como um fio-condutor, para que ele apresente as alterações no tabuleiro de poder e na vida cotidiana do Rio de Janeiro a partir da Proclamação da República.

Bibliotecária pós-moderna: Dulce Baptista: Thesaurus

bibliotecaria moderna

A obra conta a história de uma bibliotecária e suas passagens de vida na profissão. Suave como o vôo da borboleta na tundra siberiana que afeta toda a estrutura do Planeta, Dulce transmite por meio de suas impressões a impressão de que as fichas catalográficas e todos os demais registros técnicos de seus afazeres não passavam de suportes materiais de leitura do mundo, tais como as cartas estão para as cartomantes e as moedas chinesas furadas ao meio estão para os intérpretes do I Ching.

O amor às bibliotecas: Jean Marie Goulemot: Unesp

amor biblioteca

O professor Jean Marie Goulemot é um ávido leitor e também um grande frequentador de bibliotecas. Assim, nesta obra praticamente autobiográfica, que remonta às suas principais lembranças, ele nos relata suas andanças por bibliotecas da França, Espanha e Estados Unidos. Traz, portanto, uma narrativa desses caminhos percorridos, mas também serve de mote para que debata sua visão romântica dessas instituições. Goulemot discute e defende a prática da leitura pública, dos espaços comunitários em que indivíduos com sede de conhecimento se reúnem para ler. Por isso critica, de certa forma, o uso da tecnologia nesses ambientes, que estaria criando um processo de distanciamento social diante da consulta a distância de livros. Com o intuito de cativar o leitor para levá-lo a locais de relação com o livro e com outros curiosos, este ensaio é um convite às bibliotecas em qualquer lugar do mundo.

O livro roubado: Flávio Carneiro: Rocco

o livro roubado

O livro roubado traz os jovens detetives André e Gordo na busca pela primeira edição de Histoires extraordinaires, coletânea de contos de Edgar Alan Poe que, reza a lenda, traz sorte a seu possuidor, e foi roubada da casa de um milionário.

Fantasmas na biblioteca: Jacques Bonnet: Civilização Brasileira

fantasmas na biblioteca

As bibliotecas são seres vivos à imagem da nossa complexidade interior, e compõem um labirinto do qual poderemos não conseguir sair. Na verdade, os milhares de páginas que ocupam as nossas estantes estão povoadas de fantasmas que, uma vez encontrados, nunca nos largarão. Um livro para quem gosta de livros. Para bibliotecários. Para livreiros. Leitores fanáticos que perseguem livros quando são perseguidos pela fome de ler. Para devoradores de livros que nunca desistem. Para todos os que acham que os fantasmas se escondem na biblioteca.

Além da biblioteca: Jorge Schwartz: Imprensa Oficial

biblioteca

O livro Além da Biblioteca reúne obras que encontram sua configuração ideal no livro, evidenciando dois aspectos objeto: sua forma e seu conteúdo funcional. Os trabalhos apresentados levantam especificidades formais do livro, que não deve ser visto como mero objeto, e sim como uma seqüência de espaços, na definição de Ulises Carrión. As obras expostas aqui exploram a espacialidade do livro com a naturalidade de quem pertence ao universo criado por esse objeto, que é ao mesmo tempo mundano e enigmático. Este livro apresenta o atlas geográfico, o álbum de figurinhas, o dicionário, a enciclopédia, o romance, o caderno de desenho, o caderno de partitura, o livro de poesia, etc. Ao lançar um olhar sobre obras de arte que são livros, Além da Biblioteca disponibiliza ao público um recorte significativo da produção de arte contemporânea, respeitando as necessidades expositivas peculiares do livro de artista.

A biblioteca perdida do alquimista: Marcello Simoni: Jangada

biblioteca alquimista

A Biblioteca Perdida do Alquimista é o segundo livro da trilogia medieval protagonizada pelo mercador Ignazio de Toledo.Primavera de 1227. A rainha de Castela desaparece de forma misteriosa. Estranhos boatos correm pelo reino e alguns sugerem até uma intervenção do maligno. Ignazio de Toledo é convocado por Fernando III, o Santo, à sua corte e incumbe o mercador de relíquias de procurar a rainha, presumivelmente sequestrada pelo conde de Nigredo, um alquimista. Em Córdova, para onde foi convocado, Ignazio encontra um velho magister que lhe fala de um livro que todos procuram e que poderá fornecer-lhe indícios sobre o sucedido. Mas no dia seguinte o velho magister é encontrado morto, envenenado…

Bibliotecas do Mundo: Daniela Chindler: Casa da Palavra

bibliotecas do mundo

Conheça a história de bibliotecas clássicas, modernas, exóticas e até daquelas que sobreviveram à guerra, neste livro, elas são contadas por personagens de conto de fadas, animais falantes, filósofos da Antiguidade e bibliotecários, que viveram essas aventuras pessoalmente. Em forma de conto, são ilustradas por grandes artistas, de traço e estilo variados, ampliando o universo da escrita e da imagem sobre os mais diversos lugares e épocas.

Biblioteca???: Uma Biblioteca Pode Fazer Milagres: Lorenz Pauli:: Brinque-Book

biblioteca rato

O pequeno rato é o alvo da raposa. Ele corre o mais rápido que pode e passa por lugares apertados na tentativa de fugir, mas a raposa continua a sua caça. O rato descobre sua salvação em uma biblioteca, repleta de livros com histórias e novidades, onde apresenta um mundo muito maior à raposa. Ela nunca tinha ouvido falar daquilo: “bibioteca???”. E logo esquece o rato para se aventurar num novo desafio: aprender a ler.

Biblioteca escolar – Conhecimentos que sustentam a prática: Bernadete Campello: Autêntica

biblioteca escolar

Esta obra contribui para que bibliotecários e educadores estabeleçam e aperfeiçoem práticas que tornem a biblioteca também um espaço de aprendizagem. Mostra que uma prática baseada em evidências, ou seja, embasada em resultados de pesquisas sobre bibliotecas escolares e a subsequente reflexão sobre eles, pode proporcionar ideias inovadoras que apurem as práticas educativas de bibliotecários. E quem sabe, assim, essas ideias inspirem os profissionais a investigar a realidade da biblioteca escolar no Brasil, descobrindo novas evidências que permitam ampliar o seu papel educativo.

Biblioteca escolar hoje: Glòria Durban Roca: Penso

biblioteca escola

A obra descreve a biblioteca escolar como um recurso educativo imprescindível para a promoção da cultura escrita e o desenvolvimento das competências básicas. Aborda a necessidade de a biblioteca participar das ações estratégicas para incentivar e dar apoio às situações de aprendizagem que requerem o uso de materiais (impressos e digitais) e de auxiliar efetivamente no desenvolvimento pedagógico. O livro apresenta ainda um modelo útil e realista para a implantação da biblioteca no sistema educacional.

Destaques da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin: José Mindlin: EdUSP

brasiliana mindlin

A difícil tarefa foi a de selecionar entre o vastíssimo acervo as obras que merecem o destaque não só por sua raridade, mas que abordam fatos singulares e de grande valor para a cultura brasileira. Os textos apresentam as principais vertentes da coleção, e são acompanhados de imagens das páginas de rosto e de curiosidades das obras, trazendo também comentários do bibliófilo discorrendo sobre suas particularidades e a história de suas aquisições.

Para a Tão Falada Biblioteca José e Guita Mindlin: Lúcia Mindlin Loeb: EdUSP

tao falada biblio

A Biblioteca de José e Guita Mindlin reúne raridades bibliográficas que já foram comentadas e descritas em outras ocasiões, mas um pormenor das edições ainda não havia sido destacado – as dedicatórias de seus autores. As dedicatórias que compõem este livro foram selecionadas de alguns exemplares pertencentes ao acervo da Biblioteca e pertencem a autores como Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Antonio Candido, Renina Katz, Raquel de Queiroz, Manuel Bandeira e muitos outros.

Assassinato na biblioteca: Helena Gomes: Rocco

assassinato biblioteca

A bibliotecária do tradicional Colégio Santa Maria, em Santos, é assassinada na manhã em que o desajustado Igor se escondeu na biblioteca para matar aula. Cabe agora a ele descobrir o assassino nesta trama de suspense, reviravoltas e novos assassinatos, que estão ligados a um crime ocorrido há quase 40 anos, durante a ditadura militar. Este é o mote do lançamento “Assassinato na biblioteca”, de Helena Gomes

Como encontrar artigos científicos publicados

Sempre que alguém não vinculado a instituições associadas ao consórcio do Portal de Periódicos da Capes tenta acessar um artigo de periódico online, o acesso ao RESUMO do texto é geralmente livre, mas a leitura de um artigo na ÍNTEGRA só é possível mediante pagamento. Os artigos científicos publicados por um dos periódicos da Elsevier custa 31,50 dólares, a Springer cobra 34,95 dólares e Wiley-Blackwell, 42 dólares.

Então as grandes questões são: como obter acesso aos artigos científicos na íntegra, sem ter que pagar questionáveis 60,70,80 reais por algumas páginas, sem pertencer a uma instituição acadêmica (desvinculada do Portal Capes)? Como ter acesso aos artigos originais na íntegra de maneira legal, sem infringir os direitos das editoras e autores?

Partindo da minha experiência diária lidando com esse tipo de demanda, quero deixar 10 dicas à vocês, pesquisadores desse meu Brasil varonil:

1) procure uma bibliotecária, preferencialmente de uma biblioteca universitária ou instituição de pesquisa e converse com ela sobre a possibilidade de obter acesso aos artigos na íntegra, mesmo não tendo vínculo com a instituição consultada. Alguns artigos são realmente muito fáceis de conseguir, desde que a biblioteca tenha o acesso via Portal Capes. Você pode levar um pen drive para copiar os arquivos dos artigos ou solicitar que eles sejam enviados ao seu email.

2) Quase todos os pesquisadores estão autorizados a colocar em seus sites pessoais ou institucionais uma versão em PDF dos textos que foram aceitos para publicação em periódicos. O caminho mais curto para encontrar a produção de um determinado autor é via Google Acadêmico. Então vá ao scholar.google.com e procure o título do artigo, o nome do autor ou o tópico de pesquisa.

Por exemplo, aqui está a página para um artigo publicado por um grupo de biólogos da UFRJ, no periódico Evolution, v.53, n.5, 1999. “Does Cosmopolitanism Result from Overconservative Systematics? A Case Study Using the Marine Sponge Chondrilla nucula“:

O primeiro resultado é o artigo procurado. Notem que na sinopse há a indicação de que ele está vinculado à base de dados JSTOR (notem também que já de cara há um link para o pdf, mas vamos fingir, para este exemplo, que ele não estivesse ali). Abaixo da sinopse está:
Citado por X Artigos relacionados Todas as Y versões

Clicando no link do título propriamente, você é levado à página do editor>periódico e verá um link para download do artigo na íntegra por módicos 14 dólares.

Mas se clicar no link “Todas as Y versões“, você verá todas as versões indexadas pelo Google. No nosso exemplo, a segunda versão é um PDF do artigo na íntegra que está hospedado no site do departamento da UFRJ o qual estão vinculados os autores do artigo.

3) em alguns casos, usar o parâmetro “filetype:pdf” no Google Acadêmico também ajuda. Vejam esse exemplo para um busca sobre pré-sal e águas profundas. Basta substituir o assunto ou incluir o nome do autor, mantendo o parâmetro de tipo de arquivo.

4) Se você precisa de muitos artigos sobre determinado tópico, é melhor seguir os passos anteriores. Mas se você só precisa de um ou poucos artigos e for capaz de encontrar um meio de contato com o autor, você pode pedir diretamente à ele. Geralmente os autores são solícitos e gostam de ter seus trabalhos reconhecidos. Basta você se identificar como pesquisador, do Brasil (ajuda sempre) e solicitar uma versão digital.

Para encontrar os emails dos autores (melhor forma de contato) busque pelo nome deles, associados às suas instituições de origem (universidades, departamentos, centros de pesquisa). Geralmente os resumos dos artigos contêm essas informações, mesmo em bases de acesso restrito.

5) Em muitas áreas é comum o uso de servidores pré-publicação (pre-print), que oferece acesso na íntegra aos artigos que já foram aceitos pelos periódicos, mas que ainda aguardam os trâmites de publicação. Um dos mais conhecidos é o Arxiv.org (pronunciasse ar-cai-ve mesmo) que têm grande concentração na área de física, mas engloba outras áreas do conhecimento também.

Recentemente no Facebook, Tiago Murakami solicitou esse artigo, bloqueado pela sua editora, acessível somente mediante pagamento. Mas o mesmo artigo está disponível na íntegra no Arxiv, provavelmente meses antes de ter saído na versão impressa/digital do periódico.

Outros servidores de preprints que valem menção são viXra, nature precedings, sciencepaper china e philica.

Não confundir os servidores pre-print com os servidores open acces (como o PLOS ONE, por exemplo). Os preprints são em geral de artigos aceitos para publicação em periódicos mediante avaliação por pares. Funcionam como um espelho grátis dos periódicos de acesso restrito e pago.

6) algumas bases de dados e de periódicos oferecem a opção de “trial”, JSTOR sendo um bom exemplo. Se você se registrar pode ler até 3 artigos na íntegra online, na tela do computador (sem opção de download grátis). Você pode armazenar até 3 artigos e mantê-los em um arquivo pessoal por 14 dias. Após esse período, você pode pesquisar por três novos artigos.

7) as bibliotecas ainda possuem coleções impressas dos periódicos. Isso significa que se você descobrir precisamente a edição do periódico onde foi publicado o artigo e descobrir qual biblioteca possui o exemplar impresso, você pode solicitar uma cópia simples (xerox). Isso vale especialmente para revistas antigas, algumas delas com suas edições retrospectivas não digitalizadas, não encontráveis na internet. As bibliotecas possuem sistemas de intercâmbio entre si, facilitando a troca de materiais mesmo entre diferentes e distantes cidades.

No Brasil, você pode consultar o Catálogo Coletivo Nacional, que não tem uma interface legal, mas que é um instrumento ultra útil pra saber quais bibliotecas, separadas por estados, possuem a revista que você procura.

Basta incluir o título da revista no campo de busca, clicar no “executar busca”, aparecendo os registros clicar em “visualizar consulta”, selecionar o título, clicar em “visualizar registros” e percorrer a lista das bibliotecas que possuem tal revista em suas coleções. Repare que a lista contêm exatamente a indicação de quais edições a biblioteca possui (a biblioteca pode ter a coleção integral ou parcialmente).

Feito isso, você pode ir até a biblioteca fisicamente ou entrar em contato por telefone ou email. Se você estiver em outra cidade e a burocracia não permitir a cópia ou scaneamento do artigo e envio por email, você pode solicitar à bibliotecária o envio por Correios, pela modalidade “COMUT”. Ela vai te explicar melhor os procedimentos.

8] nós bibliotecários possuímos fóruns privados de trocas de artigos. Eu participo e gerencio alguns fóruns de intercâmbio de artigos, que não são divulgados publicamente para evitar problemas com as editoras. É certo que não baixamos volumes gigantescos de artigos para imprimí-los e vendê-los em uma banquinha na esquina, mas os contratos editoriais são tão rígidos que não podemos nos expor muito, mesmo querendo somente o melhor e o mais rápido meio de fazer o artigo chegar até nossos usuários.

Eu sou feliz por ter um acesso VPN a uma das grandes universidades americanas, o que me permite uma gama maior de revistas do que o Portal Capes oferece. E conto com a ajuda sensível e inestimável dos colegas bibliotecários de outras instituições, no Brasil e no exterior.

Por isso, considere sempre falar com um bibliotecário quando empacar em suas pesquisas acadêmicas. A gente salva vidas. É o que eu faço, todos os dias 🙂

9) Se por acaso você estudou em alguma universidade americana ou européia, verifique a possibilidade de conseguir acesso aos recursos das bibliotecas e bases de dados por meio das associações de alumni. Converse com a bibliotecária de lá.

10) se você estuda ou tem vínculo com alguma universidade ou instituição de ensino, público ou privada, procure saber com a bibliotecária como você pode obter o acesso remoto ao Portal Capes, que te garante acesso aos artigos na íntegra em seu computador pessoal, sem precisar se deslocar até a biblioteca.

Quem tiver qualquer dúvida, pode falar comigo. Quem tiver qualquer solicitação de artigo, procure a bibliotecária mais próxima!

Curso de Técnico em Biblioteconomia

divulgando: nova turma do curso Técnico em Biblioteconomia no Senac Consolação.

A idéia é que o curso seja oferecido a partir do dia 09/08, de 2ª à 6ª feira, das 19 às 22 horas.

É um curso profissionalizante. O aluno aprende como montar, organizar e manter bibliotecas, centros de documentação e informação e como atender os seus usuários.

(Carga horária mínima: 800)

Mercado de Trabalho
O Técnico em Biblioteconomia pode atuar em vários segmentos onde a informação seja absolutamente necessária, tais como: escritórios de advocacia, agências de publicidade, bibliotecas públicas, universitárias, escolares, órgãos públicos, indústrias, hospitais, empresas de comunicação, Ong’s, empresas de auditoria, consultoria etc.

Pré-requisitos
Ter concluído ou estar cursando a 3ª série do Ensino Médio.

Método
O aluno desenvolve cinco grandes projetos de trabalho que integram teoria e prática da profissão.

Clique aqui para conhecer o plano de curso.

Programa
Projeto 1 – Conhecendo a Biblioteca (80 horas)
• Visitas, seminários, oficinas e outras atividades de aprendizagem para integrar os alunos ao mundo da informação e comunicação.

Projeto 2 – Bibliotecando (424 horas)
• Atividades e vivências para desenvolver as competências profissionais ligadas ao cotidiano das Unidades de Informação.

Projeto 3 – Criando e Recriando (76 horas)
• As experiências contidas neste projeto destinam-se a desenvolver competências relacionadas à organização, ao preparo do espaço físico e à comunicação visual das Unidades de Informação.

Projeto 4 – Fazendo e Acontecendo (80 horas)
• As vivências deste projeto permitirão o desenvolvimento de competências de gestão da biblioteca no âmbito do Técnico relacionadas a marketing, trabalho em equipe e cultura organizacional.

Projeto 5 – Deslumbrando o Usuário (140 horas)
• As atividades deste projeto irão garantir o suporte à excelência na prestação de serviços em Unidades de Informação

Certificação
Ao concluir todos os módulos e, comprovando a conclusão do Ensino Médio, o aluno recebe o diploma de Habilitação Técnica de Nível Médio de Técnico em Biblioteconomia, nas áreas de Comunicação e Gestão, válido em todo o Brasil.

Documentos para Matrícula
• Requerimento de Matrícula
• Documento de Identidade (fotocópia) com foto e validade nacional
• Documento que comprove a escolaridade mínima exigida (duas vias, sendo o original ou fotocópia autenticada e fotocópia simples).

As inscrições e as matrículas serão efetuadas conforme cronograma estabelecido pela Unidade, atendidos os requisitos de acesso e nos termos regimentais.