Aplicativos mobile em bibliotecas brasileiras

Tive uma rápida troca de emails com Jonas da UFRGS, que está fazendo uma pesquisa sobre dispositivos mobiles em bibliotecas brasileiras, e a conclusão que a gente chega não é muito boa: pouquíssimas experiências ainda no uso de apps.

Eu fiquei de investigar melhor e o meu chute é começar procurando o que as bibliotecas de universidades particulares estão oferecendo (Michelângelo, alguma novidade por aí?)

A única produção nacional que eu encontrei até agora foi um app da UCS no Google Play.

“Versão Beta do aplicativo para Android do Sistema de Bibliotecas da Universidade de Caxias do Sul.
Neste aplicativo é possível acessar:
- As atualizações do blog da biblioteca;
- Fotos (Flickr);
- Tutoriais em vídeo;
- Renovação de materiais.
Instale agora o primeiro aplicativo, disponível para Android, de uma biblioteca universitária brasileira.”

Jonas indicou a versão mobile do Portal Capes, que não é um aplicativo, mas já é um avanço o fato de ter uma versão móvel do site.

Falar de aplicativos em bibliotecas brasileiras pode parecer um completo absurdo para quem gosta de defender o discurso de que o país é muito grande e distinto e que tecnologias mobile não fazem parte da realidade da massa brasileira. Mas faz completo sentido se você considerar que todas as pessoas ativas economicamente possuem algum modelo de telefone celular (muitas sem conexão 3G ou 4G, embora a óbvia tendência seja de dominação do mercado em médio prazo) e que a maior parte dos universitários de instituições públicas ou privadas utilizam a biblioteca com aporte de seus aparatos tecnológicos (não é raro ver na biblioteca em que trabalho, por exemplo, alunos estudando nas mesas com seus ipads e iphones a tiracolo).

Preparar os catálogos para as versões mobile seria o primeiro desafio, acompanhado logo atrás da necessidade de criação de aplicativos para android e iOS.

Existem boas experiências que servem de modelo, muitas universidades americanas e européias, alguns aplicativos de bibliotecas nacionais e museus. É o tipo de coisa que dentro dos próximos anos vai exigir investimento e planejamento próprio, além da mão de obra especializada.

Das centenas de opções no itunes store e google play, eu gosto dos exemplos da rede de bibliotecas da Universidade de Salamanca

Livros famosos da Bayerischen Staatsbibliothek

British Library apps

Overdrive App

Existe também um infinidade de aplicativo que podem servir de serviços extras às bibliotecas. Caruso indicou o EasyBib, um aplicativo do ipad para criação automática de referências a partir do código de barras dos livros. Testamos com ISBN de livros brasileiros e deu certo.

tem tambéms as lindas versões mobile do WorldCat, North Carolina State libraries e Duke.

Se vocês conhecem algum aplicativo ou versão mobile de biblioteca brasileira, indiquem que eu atualizo a lista.

13 opiniões sobre “Aplicativos mobile em bibliotecas brasileiras”

  1. Estou chegando a conclusão que o número é nulo =\

    Eu acho que, acima de tudo, para uma base de dados digital ter essa ferramenta, vai muito mais de quem desenvolve (Pergamum, Aleph e etc…) criar tais versões.

  2. Moreno, excelente discussão. Hoje as bibliotecas possuem o legado dos sistemas criados no século passado, feitos exclusivamente para telas de computadores desktop. Em termos de formato, as interfaces pouco evoluíram em relação aos “terminais burros” usados com mainframes. Hoje os usuários utilizam a biblioteca de qualquer lugar do planeta, por inúmeros dispositivos fixos e móveis como smart televisions, notebooks, netbooks, telefones celulares, smartphones, leitores de e-books, tablets… e as interfaces dos sistemas de bibliotecas disponíveis na maioria dos sistemas continuam sendo feitas apenas para monitores de PCs. Concordo plenamente com o Jonas: as empresas fornecedoras de sistemas precisam começar a oferecer, de fábrica, interfaces para dispositivos móveis com a mesma usabilidade e rapidez de resposta das oferecidas para PCs.
    Aqui no Brasil, sei que as bibliotecas (particulares ou não) que usam o Sophia podem oferecer uma versão para dispositivos móveis para o OPAC. As biblitotecas que usam ferramentas de descoberta (todas acadêmicas e particulares: USP, UNESP, Puc-Rio, Unicamp, UCB…) também possuem interface para DM.
    Mas propostas como a que foi elaborada pelas bibliotecas européias, para diversis serviços – não apenas OPAC/Descoberta, não conheço no Brasil outra além da UCS. Apesar das críticas que essa recebeu (por redirecionar o acesso para o website em vez de realizar as funções no próprio dispositivo), demonstra interesse em oferecer essa opção.
    Aqui na PUCRS estamos com um projeto em andamento para a criação de um novo website para as bibliotecas, com novos e modernos conceitos, mas ainda para PC – por ser prioritário. Em uma segunda etapa projetaremos uma versão do mesmo própria para dispositivos móveis e outra própria para leitura de tela / baixa visão.
    É um assunto para ser mais discutido, com certeza.

  3. Exatamente Michelângelo, nossas interfaces estão bem defasadas. Estamos em uma época muito promissora em termos de dispositivos móveis e nos futuros híbridos (que incluem até automóveis com acesso a internet). É triste ver que ainda não existem iniciativas como as de fora por aqui. A biblioteca pública da Bavaria tem um recurso maravilhoso de uma espécie de realidade aumentada, está aqui: http://www.bsb-muenchen.de/Ludwig-II-Auf-den-Spuren-des-Maerchenkoenigs.ludwig-app.0.html?L=3

    Andei lendo nessas minhas pesquisas na web que a tecnologia RFID vai ser incorporada em smartphones, imagino como a ferramenta vai aumentar a interação na Biblioteca da PUCRS, fazendo com que o celular de um aluno possa localizar livros na prateleira.

  4. Eu gosto muito do Library Anywhere, que é o aplicativo da LibraryThing for Libraries que transforma virtualmente qualquer catálogo em uma interface móvel. Ainda dá pra criar outras páginas com informação sobre a biblioteca e traduzir a interface. Fica a dica para as bibliotecas que queiram colocar seu catálogo disponível para DM sem gastar muito. Até o site deles é bacaninha, dá pra emular o app na tela e ver como funciona.
    Quanto aos extras, achei o EasyBib muito limitado. Só funciona com livros, só tem 3 formatos de saída, e nenhum muito usado no Brasil, e não tem integração com nada que não seja ele mesmo. Dentre as ferramentas de gestão de citação, continuo sendo super fã do RefWorks, que só não tem app, mas tem uma interface móvel que funciona.

  5. Boa tarde,

    Em 2011 fiz uma pesquisa a respeito e não encontrei nenhum fora o app do UCS, apesar de bem simples, já é um passo , mesmo que de tartaruga, afinal de contas, melhor que ficar parado certo? rs…
    Existe o app da ESPM tb, apesar de não ser especifico para biblioteca, vale a pena dar uma olhada….

    Abraços

  6. A aplicação móvel da Biblioteca Virtual da Natura Cosméticos encontra-se em fase final de testes para iPhone, Andróide e Blackberry. Aguardem artigo de minha autoria, onde reportarei este case. Yara Rezende, Gerente de Informações da Natura Cosméticos S/A

  7. Muito bom este artigo. Pessoalmente sou sou a favor de toda a nova tecnologia. Todo o material do curso de biblioteconomia ainda tenho no velho e bom Nokia E61i,com o pacote do Office, num cartão SD de 2 Mbytes. Tenho até um bom tesaurus nele. Mostrava para os professores que ficavam malucos (rs…)
    Ao migrar para o sistema IOS do Iphone, há um ano e meio, criei uma pasta que só os Apps correlacionados com biblio. São muitos. Dicionários on-line e outros serviços de referência. Um deles é o “Decimator” o sistema Dewey até à casa centecimal, show!
    Agora mesmo fiz download do app sugerido neste post acima,o Easybib, e funcionou perfeitamente. Mais um para App para colocar na pasta de Biblio do Iphone.

  8. Moreno,

    Gostaria de saber se existe algum aplicativo para IOS que sirva para catalogar uma pequena biblioteca de livros, aproximadamente 500 títulos?

    Grata,
    Ana.

  9. Natura lança app de Biblioteca Virtual voltado para seus executivos

    Em comemoração aos 20 Anos da criação da sua Biblioteca Virtual, a 1ª do País, o Centro de Informações da Natura (CIB) lançou esta semana o CIB Mobile, através do qual é possível acessar todos os conteúdos das Bases de Dados do Centro, através de smartphones.

    Através do CIB Mobile é possível consultar, de maneira fácil e interativa, milhares de conteúdos nacionais e internacionais sobre o negócio da Natura: relatórios, artigos técnico-científico, matérias de revistas, livros, relatórios, além da íntegra das pesquisas feitas pelo Centro, desde 1992, ano da sua criação.

    Através do CIB Mobile também é possível consultar os cerca de 21 mil produtos cosméticos do mundo todo, existentes na Cosmetoteca da Concorrência, também a 1ª do País.
    Mais uma vez, o Centro de Informações da Natura é pioneiro: o CIB Mobile é o primeiro portal de pesquisa de informação empresarial em plataforma móvel, do Brasil.

    Ainda em comemoração ao aniversário de 20 Anos, o Centro de Informações está lançando uma base de conhecimento, contendo toda a Produção Científica da Natura: são centenas de patentes nacionais e internacionais, papers científicos, monografias, capítulos de livros e trabalhos de congressos, produzidos pelos colaboradores da empresa.

    O lançamento do CIB Mobile se deu através de um SMS comemorativo, que instalou automaticamente o ícone de acesso às bases de dados do Centro, nos smartphones dos executivos da Natura.
    Nesse primeiro momento, apenas os smartphones dos executivos terão acesso ao CIB Mobile. Em uma segunda etapa, o acesso será estendido aos demais colaboradores da empresa.

  10. Natura lança app voltado para seus executivos

    Mobile Time – 16/10/2012

    A Natura lançou nessa terça, 16, um aplicativo para apoiar as atividades dos executivos da empresa. Cerca de 300 funcionários utilizarão o CIB Mobile, que viabiliza a consulta mais rápida a conteúdos nacionais e internacionais que fazem parte da Biblioteca Virtual da Natura por meio de dispositivos móveis, como smartphones. “Antes o executivo tinha que acessar a Intranet da empresa. Agora, que os dados estão indexados no novo aplicativo, o funcionário dispõe de milhares de conteúdos na palma da mão”, explica Tatiana Pignatari, diretora de categorias da empresa.

    http://www.mobiletime.com.br/16/10/2012/natura-lanca-app-voltado-para-seus-executivos/306237/news.aspx

Deixe uma resposta